No dicionário, a palavra Administração diz respeito às tarefas de planejar, comandar, controlar, coordenar e organizar. Isso significa que a Administração Pública é a área responsável por atender as organizações pertencentes ao Estado. 

Ou seja, é um campo do conhecimento ligado a administrar a estrutura dos órgãos e ao setor público em geral. Diferente da Administração de Empresas que é voltada às instituições privadas, como você pode ler no Blog Vai de Bolsa.

Caso você esteja pensando em se tornar um Bacharel em Administração Pública ou só tem curiosidade sobre essa profissão, esse post é para você. Aqui vai saber como é o curso de Administração Pública, quais são as disciplinas estudadas, as atribuições do profissional, a remuneração e, ainda, entender as diferenças e semelhanças com a Gestão Pública. Boa leitura!

Como é o curso de administração pública?

O curso tem como principal objetivo contribuir para a qualidade do serviço público por meio da formação dos profissionais que passarão a exercer a função de organizar, planejar e coordenar setores das organizações públicas.

Tanto a metodologia de ensino, como os procedimentos e técnicas administrativas da administração pública e privada são distintos por conta do interesse público e da legislação que compreendem a Administração Pública.

Em geral, durante o curso os estudantes de Administração Pública usufruem de um amplo estudo das ciências sociais, gestão e políticas públicas. Além de desenvolverem sua capacidade de negociação, articulação e tomada de decisão.

Para isso, os alunos preparam seminários e estudos de caso. Também assistem a aulas teóricas, com o objetivo de proporcionar uma visão mais sistêmica a respeito do funcionamento das instituições públicas. 

No fim, para obter o diploma no curso de Administração Pública, é preciso ainda realizar o trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Mas o formato varia de acordo com cada curso e sua respectiva instituição de ensino. Além disso, na maioria das instituições é obrigatória a realização de estágios.

Grade curricular do curso de administração pública

O curso de Administração Pública costuma durar em média entre 4 e 5 anos. A duração varia de acordo com a instituição de ensino. Ele também possui diversas disciplinas em comum com o curso de Administração de Empresas, como, por exemplo, administração financeira, matemática, economia e estatística.

A outra parte da grade curricular, porém, é preenchida por disciplinas específicas da Administração Pública, como políticas públicas, finanças para administradores públicos, direito público, licitações e gestão de pessoas do setor público. 

Entre as principais matérias da graduação estão:

  • Administração Estratégica;
  • Cálculo;
  • Políticas Públicas;
  • Matemática Financeira;
  • Ciências Sociais;
  • Direito;
  • Economia;
  • Teorias da Administração;
  • Ciência Política;
  • Psicologia;
  • Contabilidade.

Como é o mercado de trabalho para profissional de Administração Pública?

As possibilidades para o bacharel em Administração Pública no mercado de trabalho são muitas e em variados setores. O egresso do curso pode desempenhar funções voltadas à formulação, implementação e a avaliação dos serviços públicos prestados à sociedade, como: educação, cultura, segurança, saúde e esportes. 

Ainda pode atuar em outros segmentos da área como técnico, assessor ou consultor nas áreas de recursos humanos, marketing, produção, operações e finanças, por exemplo. Também está capacitado para prestar consultorias, funções junto a empresas não-governamentais e auxiliar empresas privadas que realizam trabalhos em parceria com o setor público.

Além disso, o curso é indicado para aqueles que buscam a estabilidade profissional com o funcionalismo público, pois o conteúdo das aulas ajuda bastante no sucesso em concursos públicos. Já que as matérias abordam temas que costumam aparecer nas provas. 

Outra oportunidade para os graduados em Administração Pública está na constante e demanda por maior transparência do serviço público. Essa necessidade oferece outra possibilidade aos administradores, que podem atuar nas prefeituras e em organizações do governo, viabilizando esse processo e aperfeiçoando a utilização das verbas recebidas.

Os principais campos de atuação

Os principais campos de trabalho são: ministérios, secretarias, concessionárias de serviços públicos e órgãos federais, estaduais ou municipais, de áreas como saúde, cultura, habitação, educação e assistência social. 

Nessas instituições, o profissional é responsável pela elaboração, coordenação e avaliação de políticas públicas. Nesse caso, são atendidas as demandas coletivas, como o combate à exclusão social, ao analfabetismo e à subnutrição, entre diversas outras questões, podendo atuar, inclusive, de forma preventiva.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), existem, no Brasil, 5.570 municípios e grande parte deles não tem um administrador público nos quadros administrativos das prefeituras. Sendo assim, a procura pelo profissional é grande em todo o país.

Outra área em constante desenvolvimento que tem expandido as oportunidades para o administrador público é o terceiro setor. Nas Organizações Não-Governamentais (ONGs), o profissional trabalha, por exemplo, com a captação de recursos e no desenvolvimento das políticas públicas. 

A demanda pelo profissional existe em todo o país, mas as Regiões Sudeste e de Brasília, no Centro-Oeste, concentram o maior número de vagas.

As funções de um administrador público

Veja, na prática, quais funções o administrador público pode exercer em cada área:

  • Consultoria: o consultor é responsável pelo planejamento das ações institucionais que buscam reduzir os custos administrativos, amplificar a abrangência das ações e potencializar os benefícios das políticas públicas. Além disso, também é sua atribuição elaborar projetos para aquisição de financiamentos junto aos bancos públicos.
  • Empresas do terceiro setor: nessa função o administrador deve implementar programas e projetos da organização, planejar os processos de licitação pública, viabilizar o contato entre instituições do terceiro setor, como ONGs, entidades filantrópicas e fundações.
  • Empresas privadas: ao contrário do que se pode imaginar, o bacharel em Administração Pública também pode atuar na prestação de serviços aos órgãos do governo. Nesse caso, será o responsável pelas atividades de interação com o poder público, programas de responsabilidade social e também nos projetos de gestão compartilhada.
  • Gestão de políticas públicas: estabelece as diretrizes para direcionar os programas e encaminha as soluções para resolver problemas sociais nos poderes Executivo e Legislativo. Essa atuação também se estende para as organizações da sociedade civil, em áreas diversas, como educação, segurança pública, meio ambiente, transporte, saúde, assistência social, habitação e  lazer.
  • Organizações não governamentais: nessa área o profissional atua na criação e na execução dos programas de metas, faz a gestão do orçamento e implementa os programas sociais.
  • Política: nessa função o Administrador Público faz a assessoria de políticos, sejam eles vereadores, deputados, governadores, prefeitos ou senadores em seus gabinetes oficiais, atuando na elaboração das políticas públicas.
  • Serviço público: responsável pela administração dos setores contábeis e orçamentários dos órgãos públicos, prestando também assistência a eles. Realiza ainda licitações e contratos administrativos, além de manter o contato entre as empresas públicas e privadas.

Quanto ganha um profissional de administração pública

De acordo com o Conselho Federal de Administração, o salário médio inicial para a profissão é de R$ 2.779,50.

Qual a diferença entre Administração Pública e Gestão Pública?

É bem comum a confusão entre os dois cursos, já que algumas disciplinas base da grade curricular são bastante semelhantes. Porém, existem algumas particularidades que comprovam a diferença:

Administração Pública

A Administração Pública é voltada ao atendimento dos órgãos e das organizações do Estado. Assim, seus procedimentos, metodologias e técnicas administrativas são particulares. Isso ocorre em função da influência do interesse público e da legislação específica. Em outras palavras, essa área está relacionada à administração da estrutura dos órgãos e também ao setor público. 

Gestão Pública

Já a gestão traz um sentido maior que administrar, visto que utiliza técnicas contemporâneas como empreendedorismo e eficiência, vindas da iniciativa privada para a pública.  Dessa forma, a Gestão Pública diz respeito aos formatos de gestão privados aplicados ao setor público com concepção gerencial, participação, autonomia, político-administrativo e de responsabilidade. 

Outra questão importante é que a criação recente dos cursos superiores de tecnologia torna obrigatória a utilização da expressão Gestão Pública na nomenclatura.

Isso porque o termo Administrador só pode ser utilizado para os bacharéis formados em cursos superiores de Administração, pois essa é uma profissão regulamentada. Por essa razão, temos observado um aumento no número de cursos com a denominação de Gestão Pública, já que este forma tecnólogos.

De qualquer modo, os termos são muito semelhantes e, como pudemos analisar aqui, tudo é administrar.

Administração pública é a sua área?

Esperamos que nosso conteúdo tenha servido para tirar suas dúvidas sobre o curso de Administração Pública. O que você está esperando para começar um curso de graduação? Veja também no nosso blog 10 motivos para fazer faculdade!

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui