Atenção plena: o que o Mindfulness pode fazer por você?

Atenção plena: o que o Mindfulness pode fazer por você?

Estudar para uma prova importante ou entregar um projeto grande no trabalho podem ser tarefas exaustivas. E quando se tem um prazo apertado, parar de estudar ou trabalhar não é uma opção para a maioria. Mas talvez, seja melhor forma de ter um bom desempenho! É o que pregam os adeptos da técnica mindfulness de meditação, também conhecida como atenção plena. Continue lendo e entenda!

Quem trabalha ou estuda por muitas horas, sem pausas para descansar, precisa de momentos de relaxamento. E isso não tem nada a ver com preguiça. É uma necessidade  do cérebro para absorver informações. Além de ser essencial para manter a saúde mental no processo. Sabemos que há técnicas para estudar melhor.

No entanto, existem estudos que mostram a vantagem de tirar algum tempo para meditar, fazer atividades físicas ou apenas ter momentos de lazer. Isso facilita até na questão de memorizar conteúdos.

Por isso, no artigo de hoje vamos focar no conceito de atenção plena, que usa a meditação como uma forma de descansar a mente e, com isso, estar mais atento ao que acontece ao seu redor. 

Leia também: Vestibular 2020: veja no nosso e-book o que revisar antes da prova

O que é atenção plena?

O termo atenção plena é uma tradução da palavra inglesa “mindfulness”, técnica de meditação que aposta em esvaziar sua mente para conseguir focar no que está acontecendo agora. 

Mas a verdade é que o estado de atenção plena pode ser alcançado de diversas formas. Só que no mundo em que vivemos, no qual a concentração e o foco são cada vez mais raros, muita gente tem procurado a meditação como uma forma de recuperar esses momentos.

Nesse estado, o indivíduo se concentra em si mesmo, nas suas ações e sentimentos do momento, sem outros pensamentos sobre o futuro. Assim, ele consegue diminuir a ansiedade e melhorar a absorção de informação pelo cérebro para encarar os desafios do presente.

Qual a origem do mindfulness?

A meditação tem origem nas religiões e filosofias orientais. Ela surgiu há milhares de anos mas só se popularizou no resto do mundo depois dos anos 70. Principalmente graças ao trabalho do Dr. Jon Kabat-Zinn, que a adaptou para tratar doenças crônicas em pacientes atendidos na University of Massachusetts, nos Estados Unidos.

Desde então, a meditação deixou de ser praticada apenas para fins religiosos, por exemplo, e se tornou uma forma comum de tratar problemas psicológicos causados pelo estresse, entre outras indicações. 

Como a atenção plena impacta nos estudos? 

Entre os estudantes, principalmente, a meditação se mostrou bastante eficaz. De acordo com um estudo Universidade da Califórnia, estudantes que praticam meditação têm suas capacidades de leitura e memória impactadas positivamente. 

Durante a pesquisa, uma turma de 48 alunos foi dividida em dois grupos: enquanto uma parte teve aulas de Nutrição, a outra teve sessões de meditação em grupo e foi incentivada a praticar exercícios extras em casa. 

Depois, eles foram avaliados e o grupo que praticou meditação por duas semanas teve os melhores resultados. As notas subiram, em média, 16% com relação a provas anteriores. 

A conclusão dos pesquisadores foi que a meditação realmente impacta na aprendizagem, principalmente no que diz respeito à leitura e à memória. 

Estímulo para a meditação

No Brasil, também há um movimento para estimular a meditação entre os estudantes. Instituições de ensino como faculdade de medicina da Universidade de Juiz de Fora, em Minas Gerais, já estudam implementar disciplinas optativas de mindfulness no currículo. 

Além disso, outras já têm usado a prática como uma forma de “desestressar” os alunos antes de provas importantes. 

Confira alguns benefícios da técnica mindfulness:

Evita a sobrecarga do cérebro

Portanto, se você tem estudado ou trabalhado muito mas não consegue ver os resultados de todo o esforço, vale tentar a meditação. Pode ser que o excesso de informação consumido esteja deixando seu cérebro exausto e com pouca capacidade de processar tudo que você vê diariamente. 

Melhora a concentração

Da mesma forma, se você tem dificuldade de se concentrar, está sempre olhando o celular e tem dificuldade de sentar para estudar, a meditação pode ser uma excelente maneira de treinar seu cérebro para focar em uma só coisa por vez.

Mantém a saúde mental

Outro fator que impacta muito nos estudos e no trabalho é a saúde mental. Quando alguém está muito estressado, ansioso ou até desanimado com seu objetivo, ele pode ter dificuldade para executar atividades simples e reter informações. 

Por isso, é fundamental cuidar do seu psicológicos em momentos de pressão, como a véspera do vestibular ou da apresentação do TCC, por exemplo, para evitar a autossabotagem

E a meditação tem um papel fundamental nisso, já que proporciona uma sensação maior de bem estar e pode contribuir no tratamento da depressão e ansiedade.

Como praticar a atenção plena?

Tempo

Mas se você acha que não tem tempo para meditar, tente começar com poucos minutos por dia. Uma boa sugestão é utilizar cinco minutos na primeira tentativa e aumentar gradativamente o quanto se sentir confortável. Esse momento pode ser ao acordar, durante uma pausa nos estudos ou até antes de dormir. 

Local

O importante é procurar um lugar calmo, principalmente no começo, em que as distrações são muito mais impactantes. Seja no sofá, na cama, na cadeira do escritório ou até no carro estacionado antes de trabalhar. Basta encontrar uma posição confortável, com as costas, o pescoço e os ombros relaxados. 

Prática

Em seguida, feche os olhos e tente perceber como você se sente. Tente focar no momento, nos seus sentimentos naquele instante e no seu próprio corpo. Respire fundo e permita que sua mente descanse. 

Ao contrário do que muita gente fala, na prática da atenção plena você não precisa suprimir seus pensamentos. Deixe-os fluírem, mas tente trazer as preocupações do futuro sempre para o presente e o que elas representam naquele momento para você.

Repita em outras situações

Depois que você fizer esse exercício algumas vezes em um lugar tranquilo, você pode começar a incorporar a atenção plena ao seu dia a dia. Siga os passos citados enquanto toma banho, passeia com o cachorro ou lava a louça. Basta fazer essa viagem interior e se concentrar nos seus pensamentos.

Com esse hábito, você deve adquirir mais autoconhecimento, tranquilidade e concentração para encarar os desafios do dia a dia. 

Experimente aplicativos e livros sobre atenção plena

Porém, se você tiver muita dificuldade para praticar o mindfulness, pode procurar também alguns livros que ensinam exercícios rápidos ou então aplicativos de meditação guiada que ajudem nos primeiros passos. 

Da mesma forma, pode experimentar também outras maneiras de esvaziar o cérebro. Aqui no nosso blog, já falamos sobre as vantagens da Yoga na aprendizagem, por exemplo. 

E, por fim, se você está precisando estudar e memorizar conteúdos com mais facilidade, veja nosso conteúdo sobre o tema. Com certeza algumas dicas vão ser bastante úteis para a sua rotina!

Acompanhe mais informações sobre cursos, capacitações, mercado de trabalho e dicas no blog Vai de Bolsa!