Atividades complementares: exemplos e dicas para universitários

Atividades complementares: exemplos e dicas para universitários

Atividades complementares, como o próprio nome sugere, são atividades que complementam a formação ministrada em sala de aula nos cursos superiores. Essa complementação, em horas e em conteúdo, faz parte da grade curricular tanto de cursos presenciais quanto a distância.

As atividades complementares são obrigatórias para a conclusão de um curso de graduação e as informações sobre essas atividades devem ser descritas nos Projetos Pedagógicos dos Cursos (PPC). Esses documentos, por sua vez, são definidos pela instituição de ensino seguindo algumas exigências impostas pelo Ministério da Educação. Se você está em uma universidade ou pensando em entrar em uma e quer saber mais sobre esse tipo de atividade, continue a leitura.

Confira exemplos de atividades complementares oferecidas pelas universidades

De acordo com o MEC, nos cursos de bacharelado, na modalidade presencial, o estágio e as atividades complementares não deverão exceder 20% (vinte por cento) da carga horária total de cada curso. A exceção para essa regra são os casos em que a lei determina o contrário.

Portanto, se você está se preparando para entrar na faculdade ou está buscando formas de terminar sua graduação, vale a pena já pensar em algumas alternativas para concluir essa etapa obrigatória da sua formação.

Confira alguns exemplos de atividades complementares e dicas para que você faça essas horas de formação de uma maneira mais prática e eficaz:

1. Atenção ao PPC

É importante ler atentamente o PPC e conferir quais são as áreas de conhecimento e a quantidade de horas exigidas para cada uma delas. Geralmente, não é possível validar todas as horas com o mesmo tipo de atividade.

Por exemplo, a instituição pode requerer 140h de atividades curriculares, porém uma mesma atividade não pode superar 70h. Portanto, nesse caso, você deverá atender pelo menos duas áreas definidas no PPC.

O PPC é um documento público e, por isso, está disponível para cada aluno desde o início do curso. Uma boa dica é ler esse documento já no começo da sua graduação para ter uma noção das atividades complementares exigidas.

Não deixe as atividades complementares se acumularem ou ficarem para a parte final da sua formação. Procure realizar estas atividades aos poucos e ao longo do curso. Lembre-se que ao final do curso você deverá se concentrar em outras atividades, como no Trabalho de Conclusão de Curso, e, portanto, pode ser muito ruim ter que realizar, em paralelo, outras atividades complementares ao mesmo tempo. Tente antecipar-se!

2. Cursos curtos e gratuitos

Com algumas pesquisas simples no Google é possível encontrar opções de cursos gratuitos que servirão como atividades complementares. Vale lembrar que você deve conferir no PPC do seu curso quais as áreas de conhecimento exigidas e as horas equivalentes a cada uma delas.

3. Palestras online ou presenciais

Outra maneira de completar as atividades complementares exigidas é participando de palestras, sejam elas online ou presenciais.

Tanto para os casos de cursos curtos quanto para os de palestras, algo indispensável no momento de escolher o que você irá fazer é garantir que essas atividades disponibilizarão certificados de conclusão. Apenas com essa documentação em mãos você conseguirá validar as horas de atividades complementares no seu curso.

Esses certificados devem conter os dados da atividade desenvolvida, como o tema do curso/palestra, as horas dispensadas para a conclusão e outras informações relevantes. Somente com esses certificados é que a instituição de ensino conseguirá validar as horas e atividades complementares.

4. Procure dicas da instituição e de colegas

Algumas instituições de ensino oferecem cursos e outras atividades que podem ajudar você a concluir as suas atividades complementares. Por isso, vale ficar atento aos meios de comunicação que a sua instituição de ensino disponibiliza e descobrir se essas informações estão disponíveis.

Além disso, pegue dicas com colegas de turma e professores. Certamente eles possuem algumas sugestões que poderão ser bastante úteis.

Não fique de fora de grupos de discussão e, sempre que possível, troque informações com seus colegas e professores a respeito de dicas de cursos ou outras atividades complementares.

5. Projetos de pesquisa e atividades acadêmicas

Projetos de pesquisa e outras atividades acadêmicas como mentorias também são maneiras interessantes de conseguir concluir suas atividades complementares. Além de ajudarem você a ampliar seus conhecimentos, essas atividades podem valorizar o seu currículo e atrair melhores oportunidades de trabalho no futuro.

Como elas costumam durar alguns meses, são uma boa maneira para conseguir obter mais horas em um único tipo de atividade.

Acompanhe as informações da sua instituição de ensino, seja através de ambientes virtuais ou de murais. Caso essas informações não sejam divulgadas em meios gerais de comunicação, você também pode solicitar à secretaria acadêmica e, quem sabe, até sugerir alguma atividade que seja do seu interesse e que beneficie a instituição.

Gostou das nossas dicas? Quer compartilhar com outras pessoas os meios de concluir as atividades complementares? Conte pra gente nos comentários e compartilhe este texto com os seus amigos. Aproveite também para saber mais sobre cursos de graduação e pós-graduação navegando pelo nosso site. Até o próximo texto!