Fazer uma pós-graduação pode ser uma ótima forma de se recolocar profissionalmente, de conseguir a tão sonhada promoção ou até de mudar de área. Agora já imaginou ter um incentivo ainda maior, como conseguir uma das bolsas de pós-graduação disponíveis no mercado? Pois saiba que é possível qualificar-se e alavancar a carreira pagando menos.

Se o seu plano é acessar uma das bolsas de pós-graduação do mercado, será importante ficar atento aos programas governamentais e das próprias instituições de ensino. Cada um tem as suas próprias regras para quem deseja fazer um curso com desconto. Neste post, você vai conferir algumas modalidades de bolsas de estudos que chegam a englobar 100% do valor da mensalidade da especialização ou que ajudam com outros custos dessa fase de qualificação.

 

Quais são as opções de bolsas de pós-graduação?

Se você planeja fazer uma especialização, mestrado ou doutorado, é importante avaliar antes quais são as modalidades de bolsas de pós-graduação que podem auxiliá-lo nesse período. Conseguindo uma das bolsas de pós-graduação, você pode passar por esse período de qualificação sem que os estudos pesem tanto no bolso. 

Seja em instituições públicas ou privadas, há diversas possibilidades de bolsas de pós-graduação disponíveis. Confira algumas das principais:   

 

1. Bolsas oferecidas pelo governo federal

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fundação do Ministério da Educação (MEC), responde por boa parte das bolsas de pós-graduação atualmente oferecidas no País. A Capes tem alguns programas de incentivos aos alunos, como o Programa de Demanda Social (DS) e o Programa de Apoio à Pós-Graduação (Proap). Essas iniciativas concedem bolsas de pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) em instituições públicas de ensino superior.

As universidades precisam ter cursos aprovados pela Capes com nota igual ou superior a 3 para participar desses programas. As bolsas são gerenciadas pelas pró-reitorias de pós-graduação de cada instituição, por isso os alunos interessados devem procurar esses departamentos para se candidatarem.

Os benefícios das bolsas variam entre R$ 1,5 mil e R$ 4 mil, dependendo se for aluno de mestrado, doutorado ou pós-doutorado. A Capes oferece ainda bolsas para estudar no exterior em alguns países parceiros. No site da fundação é possível ver quais editais estão abertos e as condições do benefício. 

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), agência do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, também concede bolsas para alunos de mestrado e doutorado. 

No caso dos bolsistas pelo CNPq, os acadêmicos devem se dedicar exclusivamente às atividades acadêmicas e de pesquisa, além de estar em um curso aprovado pelo Conselho Técnico-Científico do CNPq ou que tenha sido avaliado pela Capes com conceito igual ou superior a 3. Nesses casos, a bolsa é paga diretamente aos estudantes e varia entre R$ 1,5 mil e R$ 2,2 mil, dependendo se for curso de mestrado ou de doutorado. 

Há ainda benefícios para doutorados-sanduíche, desenvolvidos em parceria com instituições no exterior, além de opções para quem quer desenvolver pesquisa juntamente com empresas. No caso do programa empresarial, o CNPq paga bolsas mensais e passagens, dependendo da distância a ser percorrida para o desenvolvimento da pesquisa. 

Para os que sonham com um curso fora do país e com bolsas de estudo, o Ministério das Relações Exteriores (MRE) divulga cursos de especialização, além de mestrado e doutorado, oferecidos por organismos internacionais e governos estrangeiros. A disponibilidade de bolsas varia bastante conforme a proposta de cada nação. Os editais abertos podem ser acessados no site do MRE. 

 

2. Bolsas oferecidas pelos Estados

Alguns estados têm programas próprios para conceder bolsas de pós-graduação. É o caso de Santa Catarina, com o Programa de Bolsas Universitárias de SC (Uniedu). Através da iniciativa, o Estado disponibiliza bolsas de estudo, de pesquisa e de extensão, integrais e parciais, para estudantes nas instituições de ensino superior habilitadas pelo MEC ou pelo Conselho Estadual de Educação. No caso das bolsas de pós-graduação, há opções para especialização, mestrado e doutorado, mas apenas para cursos presenciais. 

Os alunos que desejam acessar uma das bolsas do governo catarinense passam por um processo seletivo e não podem acumular o benefício com nenhum outro proveniente de recursos públicos. Desde 2009 até 2018, 6,6 mil alunos foram contemplados com as bolsas oferecidas pelo Estado. A exemplo de Santa Catarina, cada estado tem as suas próprias regras para disponibilizar bolsas de pós-graduação. 

 

3. Bolsas oferecidas pelas instituições de ensino

É comum que as próprias instituições de ensino ofereçam possibilidades de bolsas de pós-graduação. A Estácio, por exemplo, oferece diferentes tipos de bolsas conforme o perfil do estudante. 

Ex-alunos da Estácio, por exemplo, podem fazer um curso de especialização usufruindo de bolsas de pós-graduação de 45% para todo o curso. Funcionários ou dependentes diretos de funcionários de empresas conveniadas com a Estácio podem conseguir até 50% de desconto para todo o curso de pós. 

Outras bolsas de pós-graduação são oferecidas pela Estácio para quem deseja se especializar durante o ano. Dependendo da campanha, o estudante pode conseguir até 70% de desconto nas três primeiras parcelas do curso de pós-graduação e mais 30% de bolsa até o final do curso nas modalidades presencial e EaD

Cada instituição de ensino tem as suas próprias regras para a concessão de bolsas de pós-graduação. Vale consultar aquela na qual você deseja fazer a sua especialização para saber os detalhes sobre as ofertas disponíveis.

Gostou deste conteúdo? Então compartilhe-o com os seus amigos. Se você está procurando qualificação profissional e se interessa por assuntos relacionados com cursos técnicos, de graduação e de pós-graduação, confira outros conteúdos do nosso blog. Até a próxima leitura!