Como seguir uma carreira universitária

0
3

A carreira universitária pode ser um desdobramento interessante na profissão de educador. Se você entrou na faculdade e percebeu que estudar se tornou uma paixão, a carreira acadêmica pode ser um bom caminho para seguir.

Ela é de fato muito sedutora, pois envolve duas questões muito nobres: aprender e ensinar. Por outro lado, a carreira universitária pode trazer alguns dilemas. Eles são fruto da crise que a educação vem enfrentando nos últimos anos por falta de investimento em algumas áreas, principalmente a das humanas.

Se você está pensando em ser professor universitário e quer seguir para a área da educação, esse texto é para você. A seguir confira os passos importantes para progredir nesta jornada.

Como ser um professor universitário

Primeiramente, você deve entender que uma carreira universitária não difere muito das outras no sentido de que para evoluir é preciso estudar muito. Dar aula para o ensino superior envolve anos de dedicação aos livros e muita paciência. Afinal de contas, ser professor universitário é capacitar alguém para exercer uma profissão. Por isso, a responsabilidade é grande.

Para se tornar professor do nível superior e seguir na carreira universitária, é preciso ter ingressado em uma graduação que seja reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). Você pode pesquisar quais são elas neste link.

Ao longo da graduação, é importante que você tenha se envolvido em projetos de pesquisa. Isso facilita muito para enriquecer o seu currículo acadêmico e criar um vínculo com a instituição de ensino. Desse modo, permite também que você conheça um professor que poderá ser seu orientador no futuro.

Comece a elaborar o seu currículo Lattes

Criar um currículo na plataforma Lattes também é fundamental. É ali que você colocará suas informações e a sua trajetória acadêmica, afinal, seu percurso acadêmico precisa estar registrado de alguma forma.

Se a sua atual graduação tem dupla habilitação, licenciatura e bacharelado, é interessante que você opte pela dupla formação se você quer seguir uma carreira acadêmica. Isso porque a licenciatura prepara você para atuar na educação, já a formação em bacharelado tem disciplinas voltadas para pesquisas. Esse conhecimento vai enriquecer a sua formação.

Tenha em mente que para seguir na carreira universitária, é preciso dedicar vários anos de estudos para conseguir alçar o nível de professor universitário. Para isso, é fundamental fazer pós-graduação, o que envolve mestrado e doutorado. Esses títulos podem ser diferenciais determinantes, principalmente, em processos seletivos para as instituições públicas.

Como começar a carreira universitária na graduação

A carreira universitária é um processo que precisa ser construído aos poucos. Para conseguir avançar nos estudos acadêmicos é interessante que você pesquise sobre as bolsas que as universidades oferecem. Alguns cursos, por exemplo, oferecem monitorias. Elas são uma forma do aluno começar a transmitir o conhecimento para colegas do mesmo nível de formação.

A monitoria nada mais é do que uma assessoria que um aluno de graduação presta ao ser selecionado por um processo seletivo. Ela consiste em orientar os alunos que têm duvidas em relação ao conteúdo trabalhado em aula.

Os cursos de licenciatura oferecem uma modalidade de bolsa chamada Pibid (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência). Portanto, esse pode ser um caminho que um graduando pode encontrar para bancar os estudos e se familiarizar com a educação. No entanto, vale lembrar que as bolsas de graduação têm valores baixos, servem apenas como uma ajuda de custo.

O programa institucional de bolsas de iniciação científica (Pibic) pode ser outra opção para você progredir na carreira acadêmica. O projeto de iniciação científica incentiva os alunos a se tornarem pesquisadores. Dessa forma, você pode ir se acostumando aos poucos com as exigências da academia e ir articulando a graduação com a pós-graduação. Fique atento ao edital do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Próximo passo: pós-graduação

A graduação é só a etapa inicial da carreira acadêmica. Após a formação, o aluno precisa decidir qual modalidade de pós-graduação deve fazer: lato-sensu ou strictu-sensu.

É importante falar sobre essas duas modalidades porque elas podem gerar dúvidas na hora de avançar na carreira acadêmica. Elas são exclusivas dos cursos de pós-graduação.

Lato-sensu significa um tipo de especialização de amplo sentido. Dessa forma, sem maior aprofundamento na área de pesquisa. Ao concluir essa modalidade, o aluno ganha um certificado de especialização.

Strictu-sensu é um grau de maior aprofundamento nos estudos, portanto, corresponde ao mestrado e ao doutorado. Ao concluir esse tipo de pós, o pós-graduando ganha o título de mestre ou doutor.

Quanto tempo dura o mestrado

Mestrado é uma pós-graduação strictu-sensu, que corresponde ao título de mestre após a conclusão. O tempo de estudo dura em média 24 meses. Nessa etapa de especialização, o pós-graduando deve escrever uma dissertação que é avaliada por uma banca examinadora.

Para fazer esse nível de pós-graduação, é necessário que você tenha um projeto, essa é a questão principal. Por isso é importante que você tenha participado dos projetos de iniciação científica desde a graduação. Esse modo pode ser uma maneira de se familiarizar com o meio da carreira acadêmica.

Também é necessário que você tenha proficiência em pelo menos uma língua estrangeira. Após isso, você deve acompanhar os editais das instituições. Afinal, ali contém as informações da linha de pesquisa e do corpo docente.

Quanto tempo dura o doutorado

O doutorado é também strictu-sensu, que corresponde ao título de doutor após sua conclusão. Tem o mínimo de duração de 48 meses. Nessa etapa da especialização, o pós-graduando deve defender uma tese que envolve todo o trabalho da pesquisa, desde o início do doutorado. A tese é avaliada por uma banca examinadora, que valida ou não o título de doutor.

Como fazer o doutorado

Após concluir o mestrado, o aluno pode ingressar no doutorado. Agora é a hora de redigir uma pesquisa que seja inédita no meio acadêmico. Para isso, é preciso passar no processo de seleção que varia em cada instituição. Geralmente a seleção consiste na aceitação da tese e entrevista. O candidato deve ter fluência em pelo menos dois idiomas.

Para chegar no doutorado, é provável que o candidato tenha construído um caminho sólido de conhecimento. É um processo que foi desenvolvido ao longo de alguns anos de estudo. Portanto, fique tranquilo, não é algo tão assustador, provavelmente esse título foi escolhido porque o candidato tem afinidade com a tese.

Bolsas para mestrado e doutorado

É importante que você saiba que a dedicação para esse tipo de pós-graduação é exclusiva se você pretende angariar alguma bolsa. Isso que dizer que você não pode exercer atividade remunerada. As bolsas oferecidas são regulamentadas através do CNPq.

O valor para o mestrado é de R$ 1.500,00 e para doutorado é de R$ 2.200,00. Você pode conferir os valores nesse link. Conseguir uma bolsa para esses títulos de pós-graduação, pode trazer mais tranquilidade a você para avançar na carreira universitária.

Será que ainda vale a pena ser professor universitário?

Embora a educação não seja muito valorizada no nosso país, professores do nível superior são profissionais com uma remuneração um pouco melhor.

Para dar aula em uma universidade federal, é preciso que o professor tenha se titulado pelo menos como doutor.

Um professor universitário pode ministrar aulas tanto em universidades federais como em universidades privadas.

Para dar aula na universidade federal é preciso ter doutorado, ser aprovado no concurso. Dessa forma, o candidato será sabatinado por uma banca e apresentará a prova de títulos para a cátedra.

Uma vantagem que o professor de uma instituição federal tem é a estabilidade e um plano de carreira interessante. Se o professor quiser continuar se especializando na carreira acadêmica, terá licença para estudar. Desse modo, quanto mais alta a titulação, melhor será a remuneração que esse professor irá receber.

Já universidades privadas podem exigir menos títulos e a contratação de professores pode ser por entrevista ou concurso. O salário oferecido pode variar. Essas instituições também oferecem plano de carreira, mas o professor não tem estabilidade.

 A importância do professor

É importante que você contabilize os anos que a carreira universitária exigirá de você. Assim  conseguirá mensurar se está disposto a mergulhar nos livros e descobrir um mundo de possibilidades e a capacidade de transformar a vida das pessoas.

Também é de suma importância lembrar o quão fundamental é a influência de um professor na vida das pessoas. Provavelmente quem tem afinidade com a educação é porque teve boas referências de educadores.

Quanto tempo é necessário para ter o título de doutor

A carreira universitária exige, geralmente, alguns anos de dedicação. São quatro anos da graduação em média, dois de mestrado e mais quatro de doutorado. Portanto, são dez anos em média para conseguir o título de doutor. Desse modo, se você não tiver empatia pela arte da docência ou afinidade com as áreas da educação, seguir adiante será uma tarefa muito árdua.

Agora que ficou mais claro o caminho que um professor deve percorrer para avançar na carreira universitária, quem sabe este seja o seu caminho também. Se você gostou de ler sobre esse assunto e procura outros assuntos relacionados à educação, não deixe de visitar o blog Vai de Bolsa.