Você parou para pensar como as transformações na nossa maneira de consumir estão afetando a sociedade? A evolução da internet e a popularização das redes sociais são apenas alguns dos elementos que estão transformando a nossa economia e impactando o dia a dia de muita gente. E quem se interessa por esses temas agora tem um curso de graduação para se aprofundar nos estudos. É a faculdade de Ciências do Consumo!

O curso oferecido por duas instituições de ensino do país surgiu inicialmente na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), em 2015. No ano seguinte, foi a vez da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) criar esse bacharelado

Mas o que se estuda no curso de Ciências do Consumo? Existem mercado no Brasil para essa ocupação? Nesse post vamos responder a essas e outras perguntas. Então continue lendo e veja por que essa graduação pode ser uma ótima opção para você ou alguém que conhece! 

Leia também: Baixe grátis o nosso e-book Guia para conquistar o primeiro emprego

O que são as Ciências do Consumo?

Em primeiro lugar, é importante conceituar do que se trata essa área do conhecimento. As ciências do consumo compreendem os hábitos e tendências de compra da população, analisando as relações de consumo no país e no mundo.

Para isso, os pesquisadores da área utilizam conceitos da sociologia, economia e antropologia. Além de estudos nos segmentos específicos nos quais vão atuar.

O que se estuda no curso de Ciências do Consumo?

Como você viu, as disciplinas básicas do curso são voltadas para as ciências humanas, mas também é preciso ter uma boa base de estatística e alguns conhecimentos sobre tecnologia. Isso porque a grade curricular é bastante diversificada e o próprio estudante pode optar por seguir diferentes caminhos. 

Além disso, os dois cursos da área disponíveis têm focos diferentes. Enquanto a graduação da ESPM é focado no marketing e na publicidade, a faculdade da UFRPE aborda mais as questões relacionadas ao desenvolvimento social.

Saiba mais sobre a grade de cada um a seguir!

Ciências Sociais e do Consumo – ESPM

O curso da ESPM na verdade se chama “Ciências Sociais e do Consumo” e foca bastante no comportamento do consumidor e nas análise de tendências, para auxiliar empresas a prever ações de marketing e desenvolver produtos inovadores.

Entre as disciplinas desse bacharelado estão:

  • Fundamentos de Raciocínio Lógico e Analítico;
  • Filosofia Contemporânea;
  • Psicologia: Motivação e Emoção;
  • História Contemporânea;
  • Identidade e Diversidade;
  • Fundamentos em Marketing;
  • Análise e Visualização de Dados;
  • Comportamento do Consumidor;
  • Psicologia da Personalidade;
  • Sociologia Contemporânea;
  • Teorias Antropológicas;
  • Marketing Estratégico;
  • Fundamentos da Economia;
  • Pesquisa de Mercado: Método Qualitativo;
  • Psicologia Social;
  • Neurociências Aplicada ao Consumo;
  • Teorias das Organizações e Gestão;
  • Bioética;
  • Etnografia e Tendências do Consumo;
  • Economia Comportamental;
  • Inteligência Artificial e a Sociedade;
  • Cultura, Religião e Consumo;
  • Construção de Cenários;
  • Geopolítica;
  • Sociologia Urbana;
  • Sociologia do Futuro.

Ciências do Consumo – UFRPE

Já o curso da UFRPE tem um foco mais social e focado na educação financeira e para o consumo. Além disso, possui uma estrutura um pouco diferente, na qual os alunos têm uma base com disciplinas das ciências humanas, mas depois do quarto período, podem escolher focar em um dos três eixos disponíveis (desenvolvimento humano; alimentos, nutrição e saúde; e arte, habitação e vestuário) ou ter uma formação mais generalista, com disciplinas das três ênfases.

Entre as disciplinas do núcleo básico estão:

  • Introdução às Ciências do Consumo;
  • Teorias da Sociologia;
  • Princípios da Economia;
  • Antropologia do Consumo;
  • Ética, Mercado e Relações de Consumo;
  • Metodologia do Estudo e da Pesquisa em Consumo;
  • Tecnologias e Consumo;
  • Estatística Básica e Experimental;
  • Família e Relações de Consumo;
  • Planejamento e Gestão da Qualidade;
  • Sistema Nacional de Defesa do Consumidor;
  • Finanças Pessoais e das Famílias;
  • Educação do Consumidor.

Já nos núcleos específicos, há matérias como:

  • Gestão das Organizações de Consumo Coletivo Públicas e Privadas;
  • Gênero, Consumo e Desenvolvimento;
  • Patrimônio Cultural e Consumo;
  • Consumo de Moda e Vestuário;
  • Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável;
  • Ergonomia e Inclusividade;
  • Tecnologia na Cadeia Têxtil;
  • Desenvolvimento e Consumo na Infância e Adolescência;
  • Preparo e Consumo dos Alimentos;
  • Comunicação e Sistemas Simbólicos;
  • A Cidade e o Habitar.

Onde estudar Ciências do Consumo?

Como você viu, a graduação em Ciências do Consumo ainda é oferecida em poucas universidades pelo país. Atualmente, ela está disponível apenas nas duas instituições que citamos acima, a ESPM e a UFRPE. 

Ambos os cursos têm duração de 4 anos e exigem Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e Estágio Obrigatório como requisitos para a obtenção do diploma. Quanto ao ingresso, ele acontece pelo Sisu no caso da UFRPE e com vestibular na ESPM.

Então na hora de escolher onde estudar Ciências do Consumo você precisa levar esses fatores em consideração.

Leia mais: Como escolher uma faculdade? Dicas que vão ajudar você

Pós-graduação em Ciências do Consumo

Mas como essas duas faculdades podem ser pouco acessíveis para você, vale mencionar ainda o MBA em Estratégias e Ciências do Consumo, também oferecido pela ESPM no Rio de Janeiro. Essa é uma boa opção para quem quer atuar no segmento no futuro, mas não deseja (ou não pode) fazer essa faculdade agora. 

O MBA tem duração de dois anos e um foco parecido com a graduação. Nele, os alunos aprendem sobre marketing, pesquisa de tendências, direito do consumidor, entre outras disciplinas. No fim, precisam fazer um projeto prático, voltado para a área.

Leia mais: MBA: o que é e em quais áreas esse curso é oferecido?

Mercado de trabalho

O mercado de trabalho para o profissional de Ciências do Consumo ainda está se consolidando. Mas a tendência é que essa área ganhe cada vez mais expressividade.

Afinal, analisar tendências, comportamentos e consumo é uma prática bastante comum em empresas de médio e grande porte. Da mesma forma que muitos órgãos públicos e organizações não-governamentais têm atuado para oferecer mais inclusão e informação sobre direitos do consumidor. 

Por isso, todos esses espaços são possíveis locais de trabalho para o profissional da área. Assim como institutos de pesquisa e consultorias. 

Perfil do profissional de Ciências do Consumo

O profissional que decide atuar na área de Ciências do Consumo deve ser curioso, interessado em psicologia, sociologia e outras disciplinas das humanas, mas com abertura para utilizar diversos dados no dia a dia. 

Afinal, com cada vez mais informação disponível por aí, quem atua nesse segmento precisa se dar bem com estatísticas e observar padrões. Por isso, deve ser alguém bastante analítico.

Além disso, as profissões de análise de dados, tendências e comportamento estão entre as principais apostas para carreiras que vão garantir seu emprego no futuro. Se você quiser ler mais sobre isso, acesse nosso eBook e veja outras ideias de profissão que vão bombar nos próximos anos: “Profissões do futuro: conheça carreiras na área de tecnologia e inovação”.

Acompanhe mais informações sobre cursos, capacitações, bolsas, mercado de trabalho e dicas no blog Vai de Bolsa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui