Você já se perguntou como os computadores funcionam? Todas aquelas peças e programas? Se a resposta for sim, talvez esse seja o seu curso. Com esse texto, você vai ficar por dentro de como é o curso de Engenharia da Computação.  

O engenheiro da computação é o responsável por projetar e construir computadores. Ele se preocupa com os hardwares e softwares, ou seja, as peças físicas e os programas que compõem essas máquinas, respectivamente. Em outras palavras, ele cuida da elaboração da placa mãe ao bloco de notas do seu computador.

Vale explicar que computador não é somente aquele que você talvez esteja usando para ler esse texto. Ele é uma máquina que processa dados para chegar a um objetivo determinado por você. Entram aqui os servidores, máquinas industriais e outros.  

Entenda muito mais sobre como é o curso de Engenharia da Computação nos próximos parágrafos. Você vai ver quais são as áreas de atuação desse engenheiro, mercado de trabalho, média salarial e dicas de especialização.

Como é o curso de Engenharia da Computação?

É interessante que você saiba que essa formação está intimamente ligada a outros cursos, como Ciência da Computação e Engenharia Elétrica, por exemplo. Isso porque para construir um computador, você vai precisar entender fundamentos de eletricidade, da mesma forma que de programação de sistemas computacionais.

Talvez por essa razão muitas pessoas fiquem na dúvida na hora de escolher um curso nessa área. Até o final desse texto, eu vou explicar a diferença entre alguns.

Voltando ao curso de engenharia da computação, o aluno dessa graduação deve gostar de ficar antenado com as novidades na área da tecnologia. O conhecimento de uma língua estrangeira, em especial, o inglês, também faz toda a diferença. Visto que além dos jargões da área, existem muitos manuais e apostilas que vão pedir por essa competência.

De acordo com dados de 2017 do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), há 269 cursos de Engenharia da Computação no país.

Grade curricular

Provavelmente você já deu uma olhada aqui no blog ou simplesmente ouviu falar que as engenharias pedem por muito conhecimento na área de exatas. Se você tem medo justamente dessas matérias, pode ficar mais tranquilo porque se comparada às outras, a Engenharia da Computação não exige que o aluno seja uma “calculadora ambulante”. Mas fique atento, você vai precisar desenvolver seu raciocínio lógico

A grade curricular, disciplinas estudadas, ou seja, como é o curso de Engenharia da Computação em cada faculdade ou universidade deve seguir as diretrizes curriculares dos cursos de computação. O bacharelado possui duração de 5 anos.

Durante a graduação, além de matemática, você vai ter disciplinas como: circuitos elétricos, engenharia de software, processamento digital de sinais, linguagem de programação e redes de computadores. Há muito mais, essas são apenas algumas para você ficar por dentro.  

Sem estágio obrigatório

No curso de Engenharia da Computação, o estágio não é obrigatório. Embora ele, assim como o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), seja fortemente indicado pelo Ministério da Educação, cabe às instituições de educação superior determinar se eles serão exigidos ou não no curso.

Por esse motivo, vale a pena conferir como é o curso de Engenharia da Computação, a grade curricular e outros aspectos antes de escolher definitivamente a faculdade ou universidade que você quer estudar.

Posso fazer curso de engenharia da computação a distância?

Sim. Existem faculdades que oferecem o curso na modalidade Ead (a distância). Alguns dos cursos são semipresenciais, o que significa que o aluno assistirá aulas online (em casa), mas em alguns terá que comparecer na sede da faculdade escolhida.

Aqui no nosso blog, você também encontra dicas e informações para que você decida se quer fazer uma faculdade ead ou presencial.

Mercado de Trabalho

O engenheiro da computação pode atuar em empresas de ramos bem diferentes. Afinal, é praticamente impossível imaginar a rotina de alguns empreendimentos sem a necessidade de um computador ou de uma máquina industrial.

Sendo assim, eles podem atuar em indústrias dos mais variados ramos, empresas de softwares, banco de dados, de jogos digitais, criação de aplicativos entre outras. Além disso, esse curso está ligado à chamada “computação para vestir”.

Sabe o relógio que é um minicomputador com vários recursos de comunicação e que, eventualmente, também é usado para mostrar as horas? Esse é um exemplo clássico desse tipo de computação que ressignifica o uso de objetos e aproxima cada vez mais a tecnologia do corpo das pessoas e de seus hábitos do cotidiano.

Rotina do engenheiro da computação

O dia a dia do engenheiro da computação vai depender da empresa em que ele estará trabalhando. De um modo geral, esse profissional precisará cultivar alguns hábitos para ter sucesso no mercado.

O primeiro deles é ter raciocínio lógico. Afinal, o engenheiro não apenas executa tarefas, ele precisa pensar sobre elas. Em outros termos, ele deve buscar soluções para problemas encontrados e desenvolver a melhor resposta.

Ele também deverá buscar atualização contínua de conhecimentos. A tecnologia está em evolução, muita coisa está mudando e ele não pode ficar para trás. Gostar de ler e ser criativo são hábitos que devem ser cultivados.  

Além disso, ter espírito de equipe é essencial. Isso porque o engenheiro da computação poderá trabalhar em conjunto com outros profissionais, inclusive do ramo da engenharia. Funções ligadas a suporte técnico também não estão descartadas. 

Média salarial

Um engenheiro da computação ganha, em média, de R$ 4 a R$ 8 mil. O vencimento varia bastante de acordo com experiência, tipo e localização da empresa.

Vale lembrar que, por lei, há um salário-base definido para os engenheiros e arquitetos. O valor é 6 vezes o salário mínimo vigente por 6 horas trabalhadas diariamente. Um adicional de 25% deve ser pago a cada hora excedida.

Engenharia da Computação, Sistemas de informação ou Ciência da Computação?

A grade curricular dos cursos é bem parecida, pois todos lidam com computadores. No entanto, existem diferenças entre eles que é bom conhecer antes de decidir. 

Você já sabe mais sobre como é o curso de Engenharia da Computação e entendeu que o profissional desse ramo une conhecimentos de software e hardware. Sendo assim, tenha em mente que nessa formação há sempre essa conexão. Afinal, não dá para chamar de computador um amontoado de peças ordenadas, mas sem sistema operacional.

Tanto Sistemas de Informação quanto Ciência da Computação vão lidar com criação de softwares. Em outras palavras, o aluno volta seu olhar ao programa e não ao material físico que comporta esse programa. A diferença principal entre esses dois é que o profissional de Sistemas de Informação também recebe noções de administração, e pode estar focado no desenvolvimento de uma ferramenta ou trabalhando na área de suporte.  

Já no curso de Ciência da Computação, o estudante terá acesso a um conhecimento muito mais aprofundado na parte técnica. Em outras palavras, mais cálculos do que gestão. Lembrando que assim como computador não é só aquele notebook que você pode ter em casa, softwares vão muito além do bloco de notas.

Os profissionais das três áreas competem por vagas no mercado de trabalho. A parte boa é que todas elas são bastante valorizadas e a carreira é promissora. Quanto mais antenado às novidades o engenheiro da computação for, mais fácil será a evolução da carreira.

Especializações

Apesar do engenheiro da computação ser um profissional disputado no mercado de trabalho, as especializações após a graduação são bastante importantes.

Há carência no mercado de profissionais de qualidade real e que atendam às necessidades dos empreendimentos. Por essa razão, quando mais conhecimento você puder agregar a sua formação, mais fácil será garantir sucesso profissional.

Abaixo, veja algumas sugestões de especializações.

  • Automação industrial e robótica – Aqui o engenheiro da computação vai se especializar na área que trata da automatização de processos industriais por meio da concepção de máquinas automáticas. Para saber mais sobre automação, confira este artigo, ele que explica como é o curso dessa engenharia.
  • Desenvolvimento de softwares e aplicativos Como o próprio nome já sugere, com essa especialidade o profissional aprofundará seus estudos na criação de softwares e apps.
  • Fabricação de hardwares Se há uma especialidade para os softwares, há um para os hardwares, ou seja, as partes físicas da máquina.
  • Internet das coisas (IoT) Conexão de objetos do cotidiano à internet. Nessa especialização o engenheiro de computação vai estudar essa área que, assim, como a “computação para vestir”, está latente no mercado profissional.  

Agora que você já sabe como é o curso de Engenharia da Computação, qual vai ser sua escolha? Escreva nos comentários. Não esqueça de continuar conferindo os textos aqui do blog Vai de Bolsa. Até a próxima!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui