como é o curso de engenharia elétrica

Entenda como é o curso de Engenharia Elétrica

Você já pensou que a nossa eletricidade vem dos profissionais do curso de Engenharia Elétrica? Eles são os responsáveis por elaborar os sistemas que geram, distribuem e transmitem eletricidade.

É fundamental que o estudante desse curso tenha uma bagagem sólida de conceitos da matemática e da física. Assim, ele conseguirá compreender toda a teoria que envolve a matéria prima do seu ofício. 

A pessoa formada nesse curso de engenharia pode atuar em várias áreas. Ser responsável pelas instalações elétricas de uma residência, atuar na concepção e manutenção de sistemas eletrônicos ou trabalhar na geração e distribuição de energia em usinas. Mas calma aí, isso não é tudo.

Nos próximos parágrafos você vai ter mais detalhes sobre como é o curso de Engenharia Elétrica. Além das áreas de atuação no mercado de trabalho, média salarial e outras informações.

Como é o curso de Engenharia Elétrica?

De acordo com dados de 2017 do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), existem 545 cursos de Engenharia Elétrica no Brasil. O curso tem duração de 5 anos, mas só depois do segundo ano que verá matérias específicas da área.

Ao começar essa graduação, o aluno vai encontrar o que veria em qualquer outra engenharia. Isso porque independente da especialidade, os cursos de engenharia possuem as mesmas diretrizes curriculares

Lembre-se que mesmo sabendo como é o curso de Engenharia Elétrica e sua grade curricular, faz parte das funções do aluno construir a própria graduação. Dessa forma, ele pode dar direcionamento à sua formação com matérias de sua preferência.

Isso significa que deve aproveitar ao máximo as atividades e projetos dentro da universidade de Engenharia Elétrica. Tudo que você fizer durante o curso é um aprendizado adquirido que pode abrir portas para especializações e oportunidades de crescimento na carreira.

Após os cinco anos, o aluno receberá o diploma de bacharelado. Ele também pode escolher fazer o curso de Engenharia Elétrica EAD. 

No currículo, o aluno encontrará disciplinas de matemática, física, química e computação. Ele também aborda matérias mais específicas da profissão nas áreas de:

  • Eletrônica;
  • Eletrônica de Potência;
  • Processamento de Sinais;
  • Sistemas de Controle;
  • Sistemas de Energia Elétrica;
  • Telecomunicações.

Após os primeiros anos de matérias introdutórias e comuns a todas as engenharias, haverá muitas atividades práticas em laboratório. No final do curso, além do TCC, o estudante deve realizar estágio supervisionado na área. Sendo que a carga horária deverá ser de no mínimo 160 horas.

Grade curricular

O curso de Engenharia Elétrica tem muitas disciplinas que envolvem cálculo, física, geometria e álgebra estarão presentes. Depois disso, prepare-se para começar a estudar matérias que envolvam circuitos elétricos, instalações elétricas e eletrônica básica. 

Além de outras como:

  • Acionamento, Comando e Proteção de Máquinas e Circuitos Elétricos;
  • Análise, Modelagem e Simulação de Sistemas Elétricos;
  • Circuitos Elétricos;
  • Computadores e Programação Aplicada;
  • Comunicação de Dados;
  • Controladores Lógicos Programáveis;
  • Controle e Automação de Processos;
  • Conversão de Energia;
  • Eletricidade;
  • Eletromagnetismo;
  • Eletrônica Analógica e Digital;
  • Eletrônica de Potência;
  • Física;
  • Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica;
  • Instalações Elétricas;
  • Instrumentação Eletroeletrônica;
  • Máquinas Elétricas;
  • Matemática;
  • Materiais Elétricos;
  • Matriz e Eficiência Energética;
  • Medidas Elétricas;
  • Qualidade de Energia;
  • Química;
  • Sensores e Atuadores Industriais;
  • Sistemas de Aquisição de Dados;
  • Sistemas e Redes de Telecomunicações.

Embora todas as instituições de ensino devam seguir as diretrizes determinadas pelo Ministério de Educação, vale a pena conferir como é o curso de Engenharia Elétrica na universidade que você escolher. Dê uma olhada nas matérias que irá estudar e não tenha medo de se aventurar nessa área.

Outro ponto que pode ajudar muito com a evolução profissional desde a graduação são as atividades complementares

Mercado de Trabalho

O estudante formado num curso de Engenharia Elétrica pode executar serviços elétricos, eletrônicos e de telecomunicações. Também está apto a estudar, projetar, planejar e especificar sistemas e equipamentos elétricos, eletrônicos e de telecomunicações. Além de elaborar sua documentação técnica.

Para entrar no mercado de trabalho dessa profissão, é fundamental gostar de matemática e ter interesse em descobrir novas soluções. Uma vez que essa área está sempre em busca de eficiência para atender o crescente consumo de energia.

Além disso, é importante saber inglês. Já que seu trabalho poderá ter relação com novas pesquisas e tecnologias. E, claro, muitas empresas desse segmento são multinacionais.

Esse é um mercado muito aquecido e que está sempre em busca de novos engenheiros. Isso porque há uma grande infraestrutura de obras, expansão das telecomunicações e investimentos em energias renováveis. 

O Ministério de Minas e Energia elaborou um plano para investir R$1,4 trilhões em energias renováveis até 2024. E o maior número de oportunidades fica nas regiões sul e sudeste.

Algumas empresas que contratam são:

  • Construtoras;
  • Empresas de Telecomunicações;
  • Indústrias que fabricam sistemas elétricos e de automação;
  • Linhas de Transmissão;
  • Subestações;
  • Usinas.

Além de poder fazer parte de órgãos públicos ou privados. Sendo o trabalho em equipe, como empregado ou prestador de serviços, em empresas grandes ou pequenas.

Os formados no curso de Engenharia Elétrica podem atuar no setor industrial, presente na fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos e eletrônicos e de equipamentos de telecomunicação. Também atua na atividade de serviços de apoio à indústria, como manutenção, geração, distribuição e transmissão de energia elétrica, água e gás, e na construção civil.

Rotina do engenheiro eletricista

O profissional formado em um curso de Engenharia Elétrica raramente trabalhará sozinho. Ao atuar em uma usina hidrelétrica ou até na obra de construção de um condomínio, suas atividades com certeza estarão conectadas a de outros profissionais. Como engenheiros civis, por exemplo.   

Além disso, entre suas funções diárias pode estar a coordenação e supervisão de grupos de trabalho e a fiscalização de obras e serviços técnicos. Por essa razão, ter um forte espírito de equipe e saber desenvolver soluções em conjunto é essencial.

Também deve-se tomar bastante cuidado ao lidar com sistemas que usam energia. Um erro ou descuido, a depender do local e tipo de trabalho, pode ser fatal. Além de estar sujeito a riscos, como trabalhar em grandes alturas, com altas temperaturas e ficar exposto a ruído intenso, material tóxico, alta tensão e radiação.

Média salarial

Por lei, o salário-base de todos os profissionais da engenharia é o mesmo. Ao trabalhar 6 horas por dia, o engenheiro deverá ganhar 6 vezes o salário mínimo vigente. Sendo que a cada hora a mais, será acrescido 25%.

A média salarial é de 5.800 a 10.800 reais. Os estados onde o profissional formado em um curso de Engenharia Elétrica têm os melhores salários são Rio de Janeiro, Distrito Federal e Bahia.

No entanto, esse valor pode ser bem diverso de acordo com o tipo, porte e região de localização da empresa. Por exemplo, um Engenheiro de Telecomunicações ganha em média, R$9.110,09, o Engenheiro de Redes de Comunicação ganha R$8.737,84. Já o Engenheiro Eletrônico R$7.941,01. 

Engenharia Elétrica ou Eletrônica?

Existem cursos de graduação nas duas modalidades. Porém, apesar de estarem conectadas, elétrica e eletrônica não tratam da mesma coisa.

Enquanto o engenheiro eletricista vai se dedicar a projetos de grande amplitude, como atuação em usinas de energia ou instalação de redes elétricas, o engenheiro eletrônico vai se preocupar com trabalhos de menor amplitude, alta frequência e baixa tensão. A projeção e manutenção de aparelhos eletrônicos, como um smartphone, pode ser um exemplo de trabalho do engenheiro eletrônico.

Especializações

O profissional formado no curso de Engenharia Elétrica que se destaca por seu trabalho e pelo seu conhecimento, possui mais chances de sucesso. É aí que entra a contribuição das especializações. 

Antes de se formar, você pode pesquisar e fazer planos para focar seus esforços em uma área que tenha gostado ou mesmo aquela que você identifique mais oportunidades de emprego.

E também, procurar universidades que ofereçam matérias próximas do que você quer trabalhar, com laboratório para isso. Confira algumas:

Engenharia biomédica

Já pensou em se dedicar à construção e manutenção de máquinas usadas em hospitais, clínicas e laboratórios? Com essa especialização, o engenheiro eletricista volta seu foco à necessidade de equipamentos assistenciais. 

Sistemas de potência

Aqui você vai se concentrar em todas as possibilidades e formas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica até os consumidores.

Telecomunicações

Trabalhar para que a transmissão de dados por som e imagem seja cada vez melhor. Nessa especialização, você precisará pensar em desenvolver serviços de expansão de telefonia e da comunicação em geral.

Microeletrônica

Sabe o chip do celular? Já pensou em projetar e criar esse objeto cada vez menor e tão utilizado hoje em dia? Ao fazer uma especialização em microeletrônica, você vai se dedicar ao estudo dos circuitos integrados (chips) e sua aplicação que não se restringe aos aparelhos de celular.

Gostou deste conteúdo? Então, continue lendo nossos conteúdos no blog Vai de Bolsa. 

  • Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *