Como é o curso de sistemas para a internet

Trabalhar com internet é sinônimo de sucesso. Tudo bem que ser bem-sucedido depende de muitos detalhes, mas é inegável a importância da web. Assim, se já pensou em trabalhar com a ferramenta, o curso de Sistemas para Internet é uma excelente opção.

Quem se forma nessa graduação trabalha no desenvolvimento e implementação de sistemas para aplicativos e sites. Mas essa definição é só a ponta do iceberg. O profissional da área é essencial no marketing e em instituições com sistemas internos.

A gente sabe que escolher um curso é muito delicado, mas se você se interessa por tudo relacionado à web, que tal saber mais sobre Sistemas para Internet? Pensando em te ajudar, fizemos um guia com tudo sobre o curso.

Continue com a gente!

Bolsa ENEM
👉 Estão abertas as inscrições para o MEGAVESTIBULAR Estácioque está chegando com 70%* de desconto em todo curso. Provas nos dias 17 e 18 de setembro!

Leia mais: Ciências exatas: 6 cursos além da Engenharia

O que são Sistemas para Internet

O profissional de sistemas para internet é aquele que projeta, desenvolve e implanta sites de internet. Pode atuar nas redes internas das empresas (intranet), trabalhar no desenvolvimento de banco de dados, ou trabalhar na implantação de sistemas de comércio eletrônico.

Além de sites, outra função desse profissional é o desenvolvimento de aplicativos para smartphones e tablets. E esse é um mercado que cresce exponencialmente e já estamos em segundo lugar no mundo. Segundo levantamento do Adjust, empresa de análise e prevenção de fraudes do setor, nosso país está atrás apenas da Indonésia e a frente da Coreia do Sul nesse ramo.

Para escolher essa profissão também são necessários alguns requisitos: gostar de matemática (ou pelo menos, ter facilidade), gostar (claro) de tecnologia e saber trabalhar sob pressão e prazos curtos. E como a grande maioria das profissões atuais, principalmente as voltadas para área de tecnologia, o conhecimento de inglês é fundamental.

Bolsa ENEM

Você sabia que pode conseguir uma bolsa de até 60% no curso todo na Estácio com a sua nota do ENEM dos últimos 5 anos? Confira aqui o valor da sua bolsa e economize na graduação! 🎓

Segundo um relatório de janeiro de 2021 da We Are Social, em parceria com a Hootsuite, existem 4,66 bilhões de usuários na rede. Isso representa metade da população mundial conectada à internet. Por isso, escolher trabalhar com a web é fazer parte de um cenário em crescimento.

Dessa forma, o profissional de Sistemas para Internet atua projetando e desenvolvendo sites, programas de computador e bancos de dados. O tecnólogo pode configurar e instalar redes da web, além de projetar e gerenciar páginas de comércio eletrônico.

Como é o curso de Sistemas para Internet? 

O curso de Sistemas para Internet está disponível como tecnólogo, com média de dois anos de duração. Esse tipo de graduação forma profissionais capazes de ingressar rapidamente no mercado de trabalho. Ou seja, você faz o curso e logo estará pronto para atuar em alto nível em diversas empresas.

Durante a formação do curso, o estudante aprende a trabalhar com programação em HTML 5, posicionamento de hiperlinks, entre outros recursos relacionados à programação e desenvolvimento de sites.

Além disso, por ser mais curto, o tecnólogo possui várias disciplinas práticas. Com isso, muitas opções de emprego aparecem após o término da graduação.

Durante a faculdade, o aluno tem contato com áreas de estudo como comunicação, tecnologia e programação. O marketing e gerenciamento de marcas também estão presentes. Assim, você aprende desde a parte tecnológica, até como seu trabalho afeta a performance das vendas.

Grade Curricular do curso de sistemas para internet

Como exemplo de grade curricular, utilizamos o curso da Faculdade Estácio:

  • Aplic. de Cloud, IOT e Indústria 4.0 em Python;
  • Arquitetura de Computadores;
  • Banco de Dados;
  • Computação em Nuvem e Web Services em Linux;
  • Desenv. Web em HTML5, CSS, Javascript E PHP;
  • Desenvolvimento rápido de aplicações em Python;
  • Direito Cibernético;
  • Engenharia de Usabilidade;
  • Fundamentos de Redes de Computadores;
  • Gerenciamento de Projetos;
  • Gestão e Configuração de Serviços de Redes Lin;
  • Gestão e Configuração de Serviços de Redes Win;
  • Introdução à Programação Estruturada em C;
  • Introdução à Segurança da Informação;
  • Língua Portuguesa;
  • Manipulação de Imagens Digitais;
  • Matemática e Lógica;
  • Modelagem de Sistemas em UML;
  • Padrões de Projetos de Software com Java;
  • Programação e Animação;
  • Paradigmas de Linguagens de Programação em Python;
  • Pensamento Computacional;
  • Programação Orientada a Objetos em Java;
  • Programação para Dispositivos Móveis em Android;
  • Segurança Cibernética;
  • Tópicos em Libras: Surdez e Inclusão.

Deu pra perceber como a graduação é diversa, não é? A ideia é realmente moldar profissionais dinâmicos, capacitados para gerenciar qualquer programa da internet. Lidar com esse nível de complexidade exige muita concentração e, claro, um curso de qualidade.

Por isso, escolha uma universidade com recursos para potencializar seus talentos. Definir uma boa faculdade vai afetar seu futuro profissional, além da sua formação.

Áreas de atuação do profissional de sistemas da internet

São muitas as áreas de atuação para o profissional de sistemas para internet. Suas habilidades para planejar, implantar e desenvolver programas abrem um leque muito grande dentro do mercado de trabalho. Além de empresas privadas, é possível também atuar no serviço público, através da realização de concursos.

Seguem algumas áreas que o profissional pode atuar:

Web Design

O profissional que trabalha com web design é aquele que monta a parte gráfica do site. Seja ele um blog, um site para comércio ou para uma empresa. Quanto mais “navegável”, melhor é o site.

Esse tipo de acessibilidade é muito importante quando se trata de comércio eletrônico, por exemplo. Quanto mais intuitivo for o acesso, mais chances tem de o cliente continuar nele e, o principal: comprar.

O profissional que trabalha como web designer decide tudo o que vai no site: o layout, cores, interfaces, fontes, banners e tudo aquilo que vemos quando estamos navegando nele. Isso tudo faz parte da interface gráfica.

Desenvolvimento e manutenção de sites

Agora já não se trata somente da parte gráfica. Quem trabalha no desenvolvimento de sites, lida diretamente com a “montagem” deles, por assim dizer.

É necessário conhecer diversas linguagens de programação, como já citamos anteriormente e, com elas, criar não apenas sites como lojas virtuais e aplicativos.

Além da criação, também faz a manutenção, criar ferramentas e atualizar informações.

Administração de Websites

Os profissionais que fazem a administração de websites são chamados webmasters. Estes fazem a administração das informações geradas pelos sites depois que eles já estão funcionando. Eles avaliam o fluxo de acessos, perfil dos usuários e venda de anúncios, por exemplo.

Ele também analisa o perfil dos usuários que estiveram na página. Assim, ele compara quem entra no site com o público-alvo da empresa.

Segurança da informação na Web

O profissional que trabalha com a segurança da web desenvolve maneiras de proteger os banco de dados e conteúdos sigilosos. Esta atitude é extremamente necessária nos dias atuais com a quantidade de invasões e com isso, algumas das empresas que mais utilizam esse serviço são lojas virtuais ou sites de bancos.

Jogos online

Quem estuda sistemas para internet também pode entrar no mercado de games. Pode trabalhar com equipes de desenvolvimentos de jogos online ou empreender, fabricando seus próprios jogos.

Sistemas ERP

A sigla ERP que significa Enterprise Resource Planning, está relacionada com uma ferramenta de planejamento de recursos de empresas. O profissional de sistemas para internet tem a capacidade de montar esse tipo de software que serve para acompanhamento diário de todo o funcionamento de uma empresa. O software serve para monitorar as atividades administrativas, financeiras, banco de horas de funcionários da empresa, dentre outras.

Laudos e perícias

O profissional da área, por ter todo o conhecimento relacionado com a programação de sites, aplicativos e seus sistemas de segurança, pode também vistoriar, realizar perícia, avaliar, emitir laudo e parecer técnico de qualquer problema encontrado.

Mercado de trabalho para quem atuam com sistemas para internet

O cargo de tecnólogo em sistemas para internet atualmente está com uma grande demanda no mercado brasileiro. Somente no ano de 2019 houve um crescimento de 24,19% nas contratações com carteira assinada, segundo o site salario.com.br.

De acordo com pesquisa TIC Domicílios de agosto de 2019, 70% da população brasileira tem hoje acesso à internet. E a perspectiva é de que esses números aumentem a cada dia. Essa informação é crucial para entender o crescimento do acesso à rede e, consequentemente, de profissões relacionadas com este mercado.

Mesmo em momentos de crise econômica, sempre haverá oportunidades de mercado na área de tecnologia. Muitas vezes, a implantação de uma solução tecnológica pode até proporcionar redução de custos e melhorias para uma organização.

Se o foco é trabalhar em grandes empresas, são inúmeros os setores que contratam esse tipo de profissional. Em números de contratação, em primeiro lugar está o desenvolvimento de programas de computador e software em geral. Em segundo lugar estão as consultorias em tecnologia da informação e em terceiro, suporte técnico, manutenção e outros serviços em tecnologia da informação. Somente nestes três setores, são mais de 30.000 profissionais contratados no Brasil.

A cidade com mais vagas de emprego para o tecnólogo em sistemas para internet é São Paulo.

Média salarial

O salário sempre determina o nosso interesse por uma área de atuação. No caso do tecnólogo em Sistemas para Internet, o pagamento é um dos maiores diferenciais.

De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), a média salarial do tecnólogo no Brasil ultrapassa os R$ 5 mil, em uma jornada de 41 horas semanais.

Porém, a média pode variar, dependendo da função exercida. Um recém-formado, por exemplo, costuma atingir mais de R$ 3 mil de pagamento. Já no setor público, o profissional recebe mais de R$ 6 mil mensais.

Saiba mais: Curso de Defesa Cibernética: guia completo sobre a graduação

E você? Se identificou com o curso? Conta pra gente e, se quiser saber mais sobre esse e outros assuntos, continue acompanhando o nosso blog.

Tags:
  • Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *