Chegou o fim do ano e agora parece que tudo acontece ao mesmo tempo. São as provas finais, o vestibular, o Enem. Como você faz para dar conta de tudo? Hoje vamos falar sobre como estudar melhor. Esse é um caminho que, sem dúvida, vai ajudar você a melhorar o desempenho na hora que mais precisa.

Há quem tenha muita facilidade e até sinta prazer em estudar. Porém, a grande maioria, não consegue se organizar e acaba deixando tudo para a última hora. Isso faz com que muitas vezes não consiga estudar todo o material proposto. De fato, saber como estudar melhor pode fazer a diferença nas suas notas.

No Blog Vai de Bolsa, já abordamos como montar um bom plano de estudos, o que também vai ajudar você a estudar melhor.

Mas, se você está na categoria “não consigo me organizar”, esse artigo é para você. Boa leitura.

Como estudar melhor?

Confira abaixo as 10 dicas preciosas para você começar a estudar melhor e avançar no seu rendimento nas provas mais importantes da sua vida.

1. Durma bem

Parece óbvio, mas nem todo mundo consegue aproveitar bem suas horas de sono. Ficar no celular ou no computador até tarde é algo que toma um tempo muito grande. Quando nos damos conta, estamos há mais de uma hora olhando as redes sociais e perdemos preciosas horas de descanso.

Segundo o Dr. Victor Sorrentino, autor de Segredos para uma Vida longa, a falta de sono pode trazer: falta de atenção; menos concentração, memória e capacidade de aprendizagem; cansaço; falta de disposição; transtornos físicos e comportamentais; depressão e ansiedade. É muita coisa! Uma boa noite de sono pode fazer com que nosso estudo renda muito mais.

Mas para ter um bom rendimento, o ideal é dormir de 7 a 9 horas e o sono deve ser contínuo, sem interrupções. E o que fazer para sentir sono? Você pode praticar exercícios, ler um livro, ouvir meditações ou músicas relaxantes.

2. Determine suas prioridades de estudo

A dica é definir o estudo por nível de dificuldade. Você deve dedicar mais tempo para as matérias que tem mais problemas. Normalmente priorizamos matérias que gostamos mais, o que torna essa dedicação um pouco mais difícil.

Regra SWOT

Uma dica legal da Carol Avarenga, do site Esquemaria, é utilizar a regra SWOT. SWOT que em inglês significa “strenghts, weakness, opportunities and threats”, é uma ferramenta identifica forças, fraquezas, oportunidades e ameaças. Normalmente usada em empresas, pode ser adaptada aos estudos.

Nos pontos fortes você coloca tudo que você tem de disponível (recursos para os estudos) e todas as suas forças (facilidades, o que você gosta de estudar). Nas fraquezas, o que deve ser melhorado, suas dificuldades, o que você tem menos recursos. Nas oportunidades você pode colocar o conteúdo gratuito disponível na internet ou outros aspectos externos positivos. Por último, nas ameaças, você pode colocar o que está prejudicando, quem ou o que não está te ajudando ou a concorrência, por exemplo.

Assim que você finalizar essa tabela, você pode determinar suas prioridades. Mas de que maneira? Você pode potencializar os pontos fortes que precisam ser mantidos. Você pode conhecer as fraquezas que precisam ser sanadas, alteradas ou interrompidas. Após isso, pode priorizar as oportunidades e combater as ameaças ou pelo menos, minimiza-las.

3. Monte um cronograma de estudo

Também é outra dica de como estudar melhor que já falamos aqui no blog!

O ideal é separar seu cronograma por matérias a serem estudadas. Junto de cada matéria, os tópicos que você deve dedicar seu tempo e quantas horas vai precisar para cada um deles. Cada tópico não deve ultrapassar mais de duas horas para ser estudado. Depois disso você muda de tópico para não ficar tão cansativo.

Depois disso, você divide essas horas na sua agenda. Sem deixar de observar nossa dica anterior sobre a priorização dos conteúdos.

Varie o conteúdo

Quando você separa as matérias em tópicos, você varia o tipo de informação que entra no seu cérebro. Não adianta esgotar o conteúdo de uma matéria só. Se você faz isso, seu cérebro cansa e perde a eficiência em armazenar informações. Isso faz com que você tenha mais chances de esquecer o que estudou. Por isso a importância do revezamento de conteúdos.

4. Faça anotações e mapas mentais

Mapa mental, ou “mapa da mente”, é o nome dado para um tipo de diagrama, sistematizado pelo inglês Tony Buzan. Esse diagrama serve para gestão de conhecimento, compreensão e solução de problemas, memorização e aprendizado.

Para construir o mapa, você pode utilizar uma folha de papel ou pode também usar ferramentas da internet. Através de um elemento visual, que pode ser um balão ou outro desenho, coloque no centro do papel o tema a ser estudado. Conecte palavras-chave curtas, ligadas ao tema central e também subtópicos ligados à essas palavras.

É legal usar canetas coloridas para ajudar na dinâmica do mapa. Procure informações sobre o tema e leia bastante sobre eles. Utilize cores, setas, desenhos ou qualquer outro elemento que facilite sua memorização. Se ficou difícil de entender, segue um exemplo de mapa mental:

5. Cuidado com as distrações

Você está estudando tranquilamente, mantendo seu cronograma, quando de repente o Whatsapp apita. Lá se foi sua concentração! Deixe seu celular no silencioso e desative as notificações das redes sociais. Só assim para você conseguir manter sua mente nos estudos.

A internet tem um leque muito grande de distrações e não precisa de muito para que você seja atraído para uma delas.

6. Pratique atividades físicas

As atividades físicas, como já mencionamos anteriormente, pode ajudar você a dormir melhor. Além da manutenção da saúde, os exercícios físicos aumentam a capacidade de memória, melhoram a concentração e preparam o corpo para longos períodos de estudo. Também melhoram o bem estar de quem pratica.

É fundamental para embarcar em uma rotina pesada de estudos estar se sentindo bem, você não acha?

7. Use o sistema Leitner

O sistema Leitner foi inventado por um alemão chamado Sebastian Leitner. Ele criou um sistema onde a utilização de flashcards, ou cartões de memorização, é bem mais efetiva e aproveitada. Isso porque ele separou os flashcards em cinco caixas. Sua ideia é que o estudante estude por repetição.

Como funciona? Você deve colocar todos os cartões na primeira caixa. Assim que as perguntas forem respondidas corretamente, o cartão deve ser passado para a caixa seguinte. As perguntas que forem respondidas erradas, ficam na primeira caixa.

A partir da segunda caixa, as certas seguem e as erradas voltam uma caixa. Desta maneira, os cartões da primeira caixa, ou seja, os que foram respondidos errado, são estudados com mais frequência e o conteúdo é melhor fixado.

8. Assuma o papel de “professor”

Sempre que tiver uma oportunidade, passe seu conhecimento adiante. Segundo a teoria da Pirâmide do Aprendizado, do psiquiatra norte americano William Glasser, 95% do conhecimento é aprendido quando temos que ensinar alguém, explicando, resumindo, definindo e estruturando o conhecimento. Então pratique esse hábito de ensinar e colha todos os seus benefícios.

9. Dedique tempo ao lazer

Não é só porque você está super atarefado que não deve dedicar um tempo para fazer o que gosta. Equilibrar os estudos com atividade que relaxem e que tirem um pouco a pressão é muito importante. Assim como os exercícios físicos, o lazer é fundamental para recarregar as baterias dos estudos.

Separe algumas horas, principalmente nos finais de semana para fazer algo leve e divertido. Você vai ver como vai voltar muito mais animado para os livros.

10. Faça revisões

Você sabia que tudo que estudamos tende a se perder com o tempo? Quem disse isso foi Herman Ebbinghaus, um psicólogo alemão e o pioneiro no estudo científico da memória. Ele descreveu a chamada Curva de Esquecimento. Segundo a curva, no momento em que estamos aprendendo, resgatamos tudo o que queremos. Após 20 minutos, retemos somente 58%. Após 1 hora esse número cai para 44% e após 9 horas, conseguiremos resgatar apenas 36% da informação.

O que isso quer dizer? Que depois de dois dias, de tudo o que estudamos, só lembraremos de 28%. Ou seja, já esqueceremos mais de 70% do aprendizado. Uma maneira de impedir que isso aconteça é revisar periodicamente. Utilizando os métodos que falamos anteriormente, como os cartões de memória ou os mapas mentais, evitamos do conteúdo se perder.

Outras dicas valiosas

No Blog Vai de Bolsa, também ensinamos como fazer um bom resumo para estudar. Vale a pena conferir. É possível também utilizar a música para aumentar a concentração nos estudos.

E você gostou das dicas? Sabia que temos muito mais no nosso blog! Continue acompanhando e aprenda como estudar melhor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui