como fazer uma resenha

Como fazer uma resenha? 7 dicas para escrever!

A escrita está intimamente relacionada à educação de nível superior. Mas será que os estudantes conhecem os gêneros de textos acadêmicos? Enquanto a maioria, por causa do vestibular, sabe estruturar uma redação, poucos sabem como fazer uma resenha.

Depois que terminam o ensino médio, milhares de alunos se preparam para suas jornadas universitárias. A produção de textos acadêmicos é uma das mudanças mais notáveis. Assim, fica evidente a necessidade de saber, por exemplo, como fazer uma resenha.

Se você tem interesse por esse tipo de gênero textual, continue lendo este artigo. Além de explicarmos como fazer uma resenha, explicaremos o que ela é e quais os seus tipos.

Leia também: Saiba quais são os gêneros textuais acadêmicos.

Fazer uma resenha é difícil?

A dificuldade na produção de textos acadêmicos não é motivo de vergonha. Afinal, as dúvidas estão presentes na grande maioria dos alunos, especialmente os que acabaram de ingressar no ensino superior.

Trabalhos acadêmicos

A vida universitária pode apresentar uma série de diferenças em relação ao que se experienciava antes dela. Afinal, o ensino médio acabou e, com ele, a necessidade de se estudar toda a variedade de matérias. Mas além de focar o estudo em disciplinas de uma determinada área, o ensino superior tem outros diferenciais.

Um desses diferenciais é a produção de textos acadêmicos, que surpreende uma boa parcela dos alunos. Além dos diferentes modelos estruturais, também é relevante mencionar os diferentes propósitos de cada texto.

Orientações

Primeiramente, é importante mencionar que a maioria dos professores orienta seus alunos a respeito da produção desses textos. Ou seja, você não é obrigado a chegar na universidade sabendo o que é ou como realizar cada um deles.

Mesmo porque cada professor pode ter suas próprias metodologias e, consequentemente, diferentes necessidades textuais. Por outro lado, alguns professores passam anos na universidade sem exigir nenhum tipo de produção desse tipo.

De qualquer maneira, se algum professor solicitar a produção de uma resenha, você pode precisar de algumas dicas.

Leia também: Melhorar a escrita: veja 11 exercícios e dicas infalíveis para escrever bem

Como fazer uma resenha

Para facilitar o processo de escrita de uma resenha, organizamos algumas dicas.

O que é resenha?

Normalmente resenhas são relacionadas a resumos. Mas a necessidade de síntese não é a única característica desse documento.

A resenha deve conter os principais conteúdos sobre o seu assunto. Além disso, ela costuma ter um aspecto científico e objetivo.

Ao contrário de outros tipos de texto, ela deve seguir uma determinada estrutura. Dessa forma, é importante seguir a ABNT. Essa estrutura é uma das coisas que ajuda a diferenciar uma resenha de, por exemplo, um resumo crítico.

Tipos de resenha

Existem dois tipos básicos de resenha, a descritiva e a crítica.

Resenha descritiva

Conforme o nome sugere, esse tipo de resenha serve para descrever. Dessa forma, o leigo pode entender melhor a obra abordada pelo texto.

Não é necessário que a resenha descritiva tenha muitos detalhes. Por exemplo: ao resenhar um livro, é normal omitir detalhes sobre personagens ou ambientes. Contudo, a ideia central da história precisa ser comunicada.

Outra característica do tipo descritivo é não fazer julgamentos ou emitir opiniões. Assim, a resenha descritiva consegue, de forma imparcial, transmitir a informação adequada.

Resenha crítica

Ao contrário da descritiva, a resenha crítica deve trazer a opinião do autor de forma clara. Ou seja, ela vai além da exposição do conteúdo, contendo uma análise do que é apresentado.

Essa análise pode ser com diversos parâmetros, dependendo do tema e da necessidade do trabalho. Seja como for, a ideia é demonstrar a capacidade de examinar criticamente o conteúdo, mesmo sem detalhar.

Ou seja, no caso fazer a resenha crítica de um livro, os detalhes da história não precisam ser abordados. Mas os pensamentos do autor a respeito da narrativa não podem ficar de fora.

Sobre o que ela pode ser?

De maneira geral, resenhas podem ser feitas a respeito de praticamente qualquer coisa, incluindo outros textos acadêmicos. Ou seja, é possível fazer uma resenha a respeito de um artigo científico, por exemplo.

Na vida acadêmica, normalmente o objeto de estudo será informado pelo professor. Apesar do foco principal ser livros, outros tipos de obras podem ser resenhadas academicamente. Por exemplo: filmes, revistas, músicas e até mesmo jogos digitais.

Entenda a estrutura

Como falamos, resenhas precisam respeitar uma determinada estrutura. Normalmente elas têm de 6 a 10 parágrafos e contam com as seguintes etapas:

  • Identificação – é onde o autor da resenha se identifica. Além do nome completo, o título, a profissão, o nome do curso e a disciplina podem aparecer;
  • Obra – aqui você indica qual é a obra que será alvo da resenha. Frequentemente inclui o título, o nome do autor e a data em que a obra foi feita;
  • Descrição – de forma bem objetiva, apresenta um resumo de toda a obra que será analisada. Normalmente tem apenas um parágrafo. Às vezes pode ser relevante contextualizar a época, o local ou outras circunstâncias sobre a obra ou o autor;
  • Análise crítica – a etapa mais importante da sua resenha. Aqui você explica os principais pontos e argumenta a respeito dos aspectos relevantes da obra. Ou seja, inclua pontos positivos, negativos, críticas, comparações e o que mais for necessário para avaliar a obra;
  • Conclusão – de maneira racional, finalize o texto expondo o que se pode concluir. O posicionamento final deve estar de acordo com as ideias construídas ao longo da análise crítica.

Características de uma resenha

Conheça algumas das características que ajudam a definir uma resenha.

Estrutura

Como acabamos de informar, resenhas precisam de uma estrutura definida. Então não esqueça das nossas dicas do bloco anterior.

Objetividade

Mantenha o foco no conteúdo principal da resenha. Boas resenhas são objetivas e sucintas. Dessa forma, conseguem transmitir mais informações em menos texto.

Em outras palavras, objetividade ajuda a aumentar o potencial informativo e de convencimento, melhorando a qualidade do texto. Um bom resenhista consegue demonstrar seu poder de influência justamente com pensamentos concisos e críticos.

Argumentação

Tanto quanto a objetividade, o potencial argumentativo de um resenhista também é extremamente relevante.

Por isso, boas resenhas não são apenas concisas, mas também persuasivas. Sagacidade, análise crítica e coerência são elementos fundamentais para uma resenha eficiente e bem sucedida.

Imparcialidade

A imparcialidade ajuda, inclusive, na argumentação. Afinal, pontuar os aspectos positivos e negativos de maneira crítica e coerente é uma forma de demonstrar credibilidade.

Muitas vezes isso significa criticar um autor ou professor renomado da sua área. Mas se a obra é merecedora de tal crítica, que assim seja.

Recomendação

Além de informar, resenhas também servem como guia para tomada de decisões. Assim, muita gente procura resenhas para confirmar se deve ou não dedicar recursos para consumir uma obra.

Ou seja, se a sua resenha for boa, pode mudar o comportamento de um leitor, seja incentivando ou inibindo a obra resenhada.

Dicas para fazer uma resenha

Finalmente, vamos as dicas para a realização de uma boa resenha.

1. Descubra o tipo de resenha

Antes de mais nada, descubra se você vai fazer uma resenha descritiva ou crítica. Afinal, elas são consideravelmente diferentes.

2. Consuma a obra

Independente de qual for a obra sobre a qual a resenha trata, ela precisa ser consumida.

O ideal é fazer isso o quanto antes. Dessa forma, a obra tem tempo para se estabelecer na sua cabeça. Além disso, assim você evita possíveis dúvidas ou surpresas.

3. Pontue o principal

As primeiras anotações a respeito de uma obra podem ser básicas. Apenas alguns tópicos com ideias centrais podem ser o suficiente para começar a organizar as informações e as ideias.

4. Consuma a obra novamente

Depois de consumir o conteúdo e fazer anotações, é extremamente útil acessar tudo novamente. Mas na segunda vez a ideia é ir construindo a resenha em pensamento enquanto o conteúdo é absorvido.

5. Escreva

Com anotações prévias e o conteúdo acessado duas vezes, escrever a resenha será tarefa fácil.

Lembre-se das características das resenhas: objetividade e clareza são fundamentais.

6. Reflita

Tente organizar seu cronograma para que, depois que escrever, você consiga ficar um tempo pensando a respeito da resenha. Às vezes um dia é o suficiente para uma ideia se consolidar ou, dependendo do caso, se modificar.

7. Releia e revise

Depois de refletir, é hora de reencontrar o seu texto. Além da revisão básica para corrigir possíveis erros, a releitura também tem o seu valor na construção de uma boa resenha.

Assim, é possível que você confirme se a construção das ideias e dos argumentos está de acordo com suas novas reflexões. Embora dê mais trabalho, essa etapa ajuda a garantir a coerência da resenha e solidificar a construção textual.

Leia também: Como elaborar um fichamento na faculdade.

Esperamos que você tenha entendido como fazer uma boa resenha. Se você conhece alguém que esteja começando a vida universitária, compartilhe este artigo!

E para mais informações sobre a vida acadêmica, cursos e profissões, continue acompanhando o blog Vai de Bolsa!

Tags:
  • Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *