A pós-graduação pode parecer um sonho distante para profissionais que buscam validar e renovar seus conhecimentos, gerar inovação para o mercado ou seguir uma carreira em pesquisa e docência a partir do meio acadêmico. Isso porque cursar um mestrado, doutorado ou pós-doutorado consiste em um esforço pessoal e exige planejamento. Porém, os planos podem incluir o suporte no custeio deste período de estudos e, nesse sentido, as bolsas da Capes surgem como um importante apoio para o estudante que quer se aperfeiçoar.

Em instituições públicas ou privadas é possível contar com as bolsas da Capes para a pós-graduação. Essas bolsas são um incentivo para a dedicação de bolsistas a projetos de pesquisa dentro e fora do Brasil. Ou seja, elas visam a qualificação dos pesquisadores no meio acadêmico e o intercâmbio com instituições de ensino de fora do Brasil.

O orçamento das bolsas da Capes para a pós-graduação

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) é uma fundação do Ministério da Educação (MEC) que atua para viabilizar a expansão e a consolidação da pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) no Brasil. Entre as atividades principais da Capes estão linhas de ação para investimentos na formação de recursos de alto nível no país e no exterior e para a promoção da cooperação científica internacional.

A Capes concede bolsas de estudos de pós-graduação para alunos em programas de mestrado, doutorado e pós-doutorado de universidades públicas e particulares. Em 2017, a fundação concedeu bolsas a 31,9 mil alunos do mestrado e a 24,8 mil estudantes do doutorado em universidades públicas, com recurso da ordem de R$ 1,16 bilhão.

Para as universidades privadas, foram R$ 58,5 milhões em bolsas destinadas a 1,7 mil alunos de mestrado e a 1,9 mil estudantes de doutorado. Em 2018, as bolsas da Capes contemplaram 93 mil alunos que fazem pós-graduação no País.

Por onde começar a sua procura por uma das bolsas da Capes

De um modo geral, as bolsas da Capes para a pós-graduação são distribuídas em instituições de ensino credenciadas, através de um processo estruturado e divulgado em que é informada a abertura de vagas. Para serem credenciadas pela Capes, as Instituições de Ensino Superior precisam ter seus cursos de pós-graduação stricto sensu avaliados pela agência com nota igual ou superior a 3.

Sendo assim, as bolsas da Capes não são individuais, mas institucionais. Por isso, são repassadas aos alunos pelas instituições de ensino através da realização de processos seletivos de cada universidade ou faculdade. A Capes paga o benefício depositando-o diretamente na conta de cada estudante.

Por funcionar dessa forma, o primeiro passo para se candidatar a uma das bolsas da Capes é procurar a coordenação de seu curso de pós-graduação e buscar os requisitos necessários para ser um bolsista. Cada curso monta seu próprio processo de seleção para buscar os candidatos que atendem às expectativas da coordenação para que eles se tornem pesquisadores.

Uma vez que a proatividade é sempre um diferencial nesses processos seletivos, você pode começar se aprofundando sobre os programas e iniciativas no site da Capes. Após fazer essa imersão, verifique qual dos programas/iniciativas se aplicariam à sua realidade de estudos e às suas expectativas como pesquisador. É preciso tirar um tempinho para explorar as possibilidades e para avaliar bem as suas possibilidades.

Quanto vale cada uma das bolsas da Capes e qual será a sua dedicação necessária?

Vamos começar pelo que todo mundo quer saber: o valor das bolsas de estudos. A Capes estabelece três faixas de remuneração para os estudantes que forem cursar pós-graduação dentro do País. Confira:

– Mestrado: R$ 1.500,00

– Doutorado: R$ 2.200,00

– Pós-doutorado: R$ 4.100,00

Fora do Brasil, a forma de remuneração é diferente, variando conforme cada programa e caso. Essa variação é explicada pelo fato de que a Capes pode prover passagens e outras despesas do estudante, como deslocamento, instalação no outro país e seguro de saúde.

Outra pergunta comum feita por alunos em programas de pós-graduação é sobre a necessidade de dedicação exclusiva à Instituição de Ensino Superior, laboratório ou grupo de pesquisa.

Essa dedicação exclusiva é valorizada e até mesmo requerida por alguns cursos, mas a orientação geral da Capes é que, para acumular bolsa com atividade remunerada, o estudante já bolsista consiga um emprego em sua área de estudo. Ainda assim, isso precisa ser permitido pela IES e a decisão cabe também ao professor orientador do estudante, que é quem acompanha oficialmente as rotinas do bolsista.

Saiba mais sobre as modalidades de bolsas da Capes para a pós-graduação

Concentramos aqui algumas modalidades ativas de bolsas da Capes para a pós-graduação ao final de 2018 para que você possa se familiarizar com o contexto e com alguns requisitos básicos dos programas que são contemplados com os recursos da fundação governamental.

Em primeiro lugar, a Capes subdivide as bolsas que concede nas categorias Programa de Demanda Social (DS), voltado para instituições públicas estaduais e federais; e Programa de Suporte à Pós-Graduação de Instituições Privadas de Ensino Superior (Prosup), para instituições privadas. Os programas anuais se aplicam a mestrado, doutorado e pós-doutorado e consistem no pagamento do benefício diretamente na conta bancária do bolsista. No caso do Prosup, o aluno assume o compromisso de realizar o repasse à IES.

No nível de pós-doutorado no Brasil, o programa vigente é o programa PNPD Institucional. Essa modalidade prevê, além da bolsa da Capes, financiamentos de custeio de R$ 12.000,00 anuais por bolsista.

Estabelecidas essas primeiras distinções, a realização de pesquisas por meio de bolsas da Capes pode ser feita dentro ou fora do Brasil. No exterior, as possibilidades de bolsa para pós-graduação são direcionadas para:

Doutorado sanduíche

Feito através do programa PSDE, é voltado para alunos matriculados em programas brasileiros e que queiram vivenciar a experiência de fazer parte do curso em uma IES fora do País.

– Esse programa aceita inscrições em fluxo contínuo, sem prazos. As inscrições podem ser realizadas junto à coordenação do programa de pós-graduação e também no site da Capes.

– A inscrição para essa modalidade de bolsa deve ser efetuada com antecedência, de três a quatro meses antes do início do estágio de doutorado no exterior.

– Duração mínima da bolsa de três meses e máxima de 12 meses.

– Auxílios referentes à ajuda de custo ao bolsista por despesas de deslocamento, instalação no outro país e seguro

saúde.

Doutorado pleno

Através do programa Doutorado Pleno no Exterior, que deve ser integralmente realizado em uma Instituição de Ensino Superior no exterior.

– Bolsa destinada a candidatos com elevado desempenho acadêmico.

– Custeio de mensalidade, auxílio-instalação, adicional-dependente, seguro saúde e auxílio deslocamento.

– Duração da bolsa de 12 meses, podendo ser renovada desde que o bolsista tenha desempenho acadêmico satisfatório.

– A demanda do estudante deve passar pela aprovação da universidade selecionada, ser comprovada por uma carta e aprovada no processo da Capes, o que envolve projeto de pesquisa, avaliação de currículo e de mérito da proposta.

Pesquisa Pós-doutoral e Estágio Sênior

Integralmente realizados em Instituição de Ensino Superior no exterior.

– As inscrições para essas modalidades são feitas através de duas chamadas públicas anuais.

– A duração dessas bolsas da Capes pode ser de 6 a 18 meses.

Conhecendo um pouco mais sobre as oportunidades de bolsas da Capes para pós-graduação, você pode se aprofundar e avaliar as oportunidades oferecidas e, quem sabe, expandir seus horizontes para aliar boa qualificação e um ótimo desempenho no meio acadêmico. Boa sorte e bons estudos/pesquisas!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui