A carreira da magistratura pode ser atrativa para quem é da área jurídica por dois motivos: um ótimo salário e estabilidade. Afinal de contas, qual profissional não almeja isso para a sua carreira? Mas, para isso, é importante saber como ser juiz e se tornar um dos profissionais mais respeitados da área jurídica. Saiba que muita leitura e uma pós-graduação podem ajudar. Veja a seguir como ser juiz e o que é necessário para exercer essa importante profissão na sociedade e também de muita responsabilidade. Afinal, o juiz tem o poder de decidir sobre vários aspectos da vida das pessoas.

Como ser juiz

Sem dúvidas, essa é uma profissão muito almejada pela maioria dos estudantes de direito ou por quem tem interesse pelas áreas jurídicas. Pois essa é uma das profissões mais valorizadas dessa área e é um grande desafio a ser alcançado por aquele que deseja ir além em uma carreira da área do judiciário. No entanto, é importante saber que para conseguir a aprovação, é preciso também vencer uma batalha muito difícil, que envolve muita dedicação aos estudos, disciplina e vencer milhares de candidatos. Pois a prova para esse concurso é bastante concorrida. Portanto, não desanime, que para ter sucesso é preciso vencer enormes batalhas e lidar com a frustração na maioria das vezes. Vale lembrar também que a maioria dos candidatos aprovados em um concurso de magistratura realizaram a prova por diversas vezes. Desse modo, para ter sucesso nesse concurso, é preciso também ser persistente e se por acaso não for aprovado, não desanimar, isso faz parte do processo seletivo. Além dessas questões que foram expostas, o aluno ou candidato precisa saber que são necessários pelo menos 3 passos iniciais.

Os passos iniciais para ser juiz

O primeiro passo para ser juiz futuramente é ingressar em um curso de Direito. Para isso, é necessário prestar vestibular ou Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) para uma universidade pública ou privada. Desse modo, o ponto de partida para a profissão de magistratura começa com o ingresso em um curso de graduação em Direito, que tem um tempo médio de duração de 5 anos. Vale lembrar também que essa graduação oferece a titulação de bacharelado ao fim do curso. Portanto, é uma formação generalista que prepara o aluno para o mercado de trabalho. O segundo passo consiste em acumular 3 anos de atividades jurídicas até a data de inscrição para o concurso. Desse modo, você ganhará experiência na montagem e elaboração das peças processuais e assim conhecerá mais sobre as minúcias do exercício da profissão de uma carreira jurídica.

É fundamental ter experiência para ser juiz

A experiência é um requisito fundamental para quem deseja ser juiz. Além disso, essas atividades jurídicas serão responsáveis para que você conheça de maneira prática os conteúdos da prova. O terceiro passo consiste na aprovação de um concurso para esse cargo, que é o concurso de magistratura. Sendo assim, você pode prestar esse concurso para juiz federal, estadual ou para áreas jurídicas diferentes, como juiz do trabalho, eleitoral, entre outros. Portanto, essa carreira jurídica permite que um juiz atue em diferentes esferas e áreas no Brasil. Para isso, basta prestar o concurso específico para cada uma dessas áreas.

Carreiras possíveis no ramo da magistratura

A área jurídica é uma das mais diversificadas quando se fala em possibilidades de atuação. Obviamente para quem deseja ser juiz, isso não é diferente, pois existem diversas carreiras em potencial para quem quiser exercer esse cargo. Um juiz pode ser um funcionário público estadual ou federal, isso vai depender muito do cargo que o candidato deseja ocupar. Além das possíveis esferas de atuação, o juiz pode trabalhar em áreas específicas da justiça, que variam de acordo com o caso a ser julgado e executado. Veja a seguir algumas das áreas em potencial da magistratura:
  • Trabalhista;
  • Criminal;
  • Eleitoral;
  • Militar;
  • Justiça;
  • Infância e Juventude.

O que faz um juiz federal

Além dos variados campos da atuação jurídica, existem também esferas distintas de atuação de um magistrado. Portanto, o juiz federal é aquele que processa e julga os feitos que transitam na esfera da justiça federal. Desse modo, tem competência para julgar as causas que são de interesse da União. Portanto, é 1º grau da Justiça Federal, que é composta por Varas Cíveis, Execução Fiscais, Criminais, entre outras. No início de carreira, ele é chamado de juiz federal substituto e a promoção seguinte é atribuído a ele o cargo de juiz do Tribunal Regional Federal, exercendo a prática de desembargador federal ou outros cargos paralelos da justiça federal.

O que faz um juiz estadual

O juiz estadual julga processos que não são de interesse ou de competência dos seguintes segmentos da justiça: Federal, Eleitoral, Trabalho ou Militar. Desse modo, sua atuação é mais restrita e residual. O juiz estadual atua na Justiça comum dos Estados e é responsável por julgar os processos que envolvem conflitos entre pessoas físicas, empresas ou do poder público. Portanto, ele tem como objetivo buscar uma solução pacífica para esses problemas, de forma imparcial e justa, sem que nenhuma das partes sejam prejudicadas. Além disso, ele realiza audiências de conciliação e emite despachos e sentenças.

Como funciona o concurso

Após tanta explicação sobre as responsabilidades de um juiz, agora chegou a hora de falar como funciona mais ou menos o concurso para magistratura. A estrutura dos concursos para magistratura consiste em três provas:
  • Objetiva: Ela é composta basicamente por questões objetivas, que podem ser de múltipla escolha, verdadeiras ou falsas.
  • Discursiva: Nessa etapa, será exigido que o candidato escreva de forma discursiva questões de determinados assunto e provas para a elaboração de sentenças.
  • Oral: Nessa etapa, o candidato deverá responder a uma banca ou comitê realizado pelo concurso de modo oral. Desse modo, será avaliado todo o conhecimento técnico acerca dos conteúdos cobrados. Portanto, são avaliados os conhecimentos técnicos, jurídicos, adequação da linguagem, raciocínio articulado e capacidade de argumentação.
Além disso, há outra etapa:
  • Avaliação de títulos: Nessa etapa, o candidato deverá apresentar sua participação na área jurídica, que consiste em títulos e certificados.
É importante lembrar que o candidato deverá comprovar a sua atuação na área jurídica. Essa exigência acontece entre a prova discursiva e oral. Portanto, é importante já estar com tudo em mãos para não perder a oportunidade.

O que acontece depois da aprovação no concurso de magistratura

Após ser aprovado nesse concurso, começa o curso preparatório, que torna de fato um candidato juiz. Será preciso frequentar a escola de magistratura para aprender os aspectos técnicos da profissão e desenvolver aquilo que é necessário para exercer a profissão com excelência. Existem diversas escolas que prestam esse ensino no Brasil, para isso, basta pesquisar sobre escolas de magistratura. Feito isso, o primeiro cargo designado a um juiz é o de juiz substituto. Geralmente são destinadas cidades menores para que o magistrado aprenda aos poucos as minúcias da profissão e do cargo. Sendo assim, ele atua ao lado de um juiz titular até a sua promoção, que é a de juiz de direito, podendo ir trabalhar em uma cidade maior ou onde houver uma vaga disponível.

Quais os benefícios de ser um juiz

Não pense que todo esse trabalho para ingressar na carreira de juiz não será recompensado. Além de um ótimo salário inicial, na faixa de R$ 26.125,17, mais a estabilidade, um juiz ganha diversos benefícios que ajudam a incrementar a renda. Veja a seguir os auxílios recebidos pelo juiz:
  • Moradia: Esse valor pode chegar a R$ 4.377.
  • Saúde: Esse é um valor de caráter indenizatório, que corresponde a 10% do subsídio, na faixa de R$ 2.612,51 a R$ 3.047,11.
  • Livro: um juiz pode ganhar ao equivalente a R$ 13.000 por ano, que servem de subsídio para a compra de livros jurídicos.
  • Alimentação: O valor pago a esse auxílio é de R$ 944
Além desses benefícios descritos, um juiz pode usufruir também de um carro oficial e estudos remunerados. Portanto, todo o desafio e esforço valem a pena se o interesse é investir em uma carreira bem remunerada.

Conclusão

Para se chegar a um cargo de juiz, além de ser uma jornada muito longa, que envolve no mínimo 5 anos de graduação, mais 3 de envolvimento com atividades jurídicas, essa é uma profissão fundamental para a garantia da Justiça no país. Portanto, é uma bela carreira a ser seguida, que é muito valorizada no meio jurídico. Agora que você sabe mais como ser juiz, quem sabe não vale a pena investir na carreira para atingir esse objetivo? Se você gostou desse assunto e deseja saber mais sobre educação, mercado de trabalho ou curiosidades, não deixe de acessar o blog Vai de Bolsa.