Correntes filosóficas: conheça as linhas de pensamento

0
62

Filosofia é algo que precisa ser compreendido, pensado e reestruturado levando em consideração cada contexto. No entanto, as correntes filosóficas podem ajudar você nessa imersão de pensamentos. Ela é o estudo de questões relacionadas ao homem e aquilo que o cerca, como ética, moral, linguagem, existência, verdade e conhecimento. ´

Para tanto, é importante saber que a filosofia, termo derivado do grego que em uma tradução livre pode ser considerado como “amigo da filosofia”. Logo, é o estudo de tudo o que envolve a nossa humanidade. Então, fazer um resumo de correntes filosóficas, incluindo o modo de olhar para as coisas que tais correntes tinham/têm e os seus principais pensadores, pode ser uma tarefa de extrema utilidade. Veja então um pouco mais sobre esse tema e saiba as principais correntes filosóficas.

Idealismo

O Idealismo, de uma fora generalista, acredita que as ações humanas são guiadas pelas ideias. A posição do Idealismo pode parecer absurda à primeira vista, mas se a analisamos com cuidado percebemos que ela começa a fazer sentido. Pense no gosto, no cheiro, no tato e na visão. São estas sensações que nos fazem perceber as coisas, e todas as coisas estão dentro do mundo.

Este termo, das correntes filosóficas, foi utilizado pela primeira vez por Leibniz referente à filosofia idealista de Platão. Porém, essa doutrina é associada também a Santo Agostinho, relacionado à teoria da subjetividade; a Descartes na evidência do cogito; e a Husserl com a corrente fenomenológica.

Para os filósofos idealistas, tudo o que existia no mundo exterior ao eu, isto é, no mundo material, era resultado do trabalho da mente e das ideias. Assim, a realidade era considerada como uma criação da mente, e não algo dado pelo mundo.

Materialismo

É outra das correntes filosóficas que considera como a própria designação indica, o contrário do idealismo. Para eles, o mundo e todas as suas coisas existem fora de nós, já que são matérias, e não resultados. Aristóteles e Karl Marx são os grandes expoentes desta teoria.

Essa doutrina que identifica, na matéria e em seu movimento, a realidade fundamental do universo. Além disso, tem a a capacidade de explicação para todos os fenômenos naturais, sociais e mentais. Em filosofia, materialismo é o tipo de fisicalismo que sustenta que a única coisa da qual se pode afirmar a existência é a matéria; que, fundamentalmente, todas as coisas são compostas de matéria e todos os fenômenos são o resultado de interações materiais; que a matéria é a única substância

Escolástica

Basicamente, os pensadores desta corrente tinham a missão de analisar os ensinamentos cristãos a partir da filosofia da Grécia antiga. Santo Agostinho e Tomás de Aquino são os maiores pensadores.

Entre as correntes filosoficas, essa define que antes dos gregos antigos, Cristo ainda não havia surgido na cultura ocidental. Mas assim que nasceu, o cristianismo, religião que o têm como líder, dominou os mais diversos aspectos da sociedade: ética, moral, ensino, o mercado. Isso tudo durante a Idade Média. Assim, o conhecimento deveria ser analisado à luz dos ensinamentos cristãos, e foi isso que os escolásticos fizeram.

Racionalismo

Razão é a palavra-chave aqui, pois o que os pensadores desta corrente faz é analisar tudo através da razão, ou seja, as verdades sobre a realidade só podem ser analisadas por este prisma, rejeitando as sensações e sentimentos.

Racionalismo é um termo geralmente empregado ao uso da razão para validar um determinado conhecimento. Ele foi utilizado pela primeira vez por Kant para denominar sua filosofia transcendental. Essa escola filosófica é muito associada ao filósofo e matemático René Descartes (1596 – 1650) por este defender que a razão humana. Sendo como forma de conhecimento é natural ao homem. Porém, foi Hegel quem caracterizou o Racionalismo como corrente filosófica que vai de Descartes a Leibniz e Spinoza.

Empirismo

É um método de análise bastante utilizado na ciência moderna, especialmente nas disciplinas exatas. Na filosofia, entre as correntes filosoficas, significa que os sentidos são os verdadeiros responsáveis por revelar a verdade, e não a razão.

Essa corrente filosófica acredita que o conhecimento advém das impressões dos sentidos, ou seja, nada é anterior à experiência (não existem ideias inatas).  Abbagnano (2007, p. 377- 378) afirma que geralmente essa escola nega o caráter absoluto de verdade e defende que esta deve ser colocada à prova para ser corrigida ou abandonada. Constitui-se juntamente com o racionalismo, a partir do século XVII, seus principais representantes são os ingleses Francis Bacon, John Locke e David Hume.

Uma proposição bastante interessante desta corrente, e amplamente utilizada na educação, é a de que o conhecimento só é construído porque é baseado na experiência. Popper, Lock, Hume e Kant são os maiores expoentes.

Pragmatismo

Segundo essa doutrina metafísica, o sentido de uma ideia corresponde ao conjunto dos seus desdobramentos práticos. Primeira corrente filosófica originada nos Estados Unidos  etodas as outras até aqui são de origem europeia. Inclusive muito coerentes com o pensado dos norte-americanos. O pragmatismo prega que a verdade de uma ideia deve ser analisada levando em conta sua utilidade, ou seja, parte de uma visão bastante prática. Pierce, John Dewey e Willian James forma sua tríade de pensadores mais famosa.

É a corrente de ideias que prega que a validade de uma doutrina é determinada pelo seu bom êxito prático. Esse conceito das correntes filosoficas é especialmente aplicado ao movimento filosófico norte-americano. Ele está baseado em ideias de Charles Sanders Peirce 1839-1914e William James 1842-1910.

Existencialismo

Prega que não há origem, que todas as pessoas são livres para fazer suas próprias escolhas e lidar com as consequências, positivas ou negativas, das mesmas. Sartre e Kierkegaard são os maiores pensadores.

O conjunto de teorias formuladas no século XX, com forte influência do pensamento de Kierkegaard 1813-1855. Ele se caracterizam pela inclusão da realidade concreta do indivíduo (sua mundanidade, angústia, morte etc.). No centro da especulação filosófica, em polêmica com doutrinas racionalistas que dissolvem a subjetividade individual em sistemas conceituais abstratos e universalistas.

Pós-modernismo

Pode ser considerada como a mais recente e aberta corrente filosófica existente. Surgiu para quebrar o paradigma da filosofia “moderna” e é considerada por muitos, como uma filosofia que zomba de si mesma.

Nesse conceito das correntes filosoficas, temos Heráclito, Nietzsche, Wittgeinstein, Thomas Kuhn, Michel Foucault e Jacques Derrida. Estes são os grandes (e talvez mais estudados) filósofos desta corrente.

A denominação genérica dos movimentos artísticos surgidos no último quartel do século XX, caracterizados pela ruptura com o rigor da filosofia e das práticas do Modernismo. Tudo isso, sem abandonar totalmente seus princípios. Além de fazer referências a elementos e técnicas de estilos do passado, tomados com liberdade formal, ecletismo e imaginação; pós-moderno.

Psicologismo

O psicologismo é um movimento filosófico que surgiu na Alemanha, no século XIX, em reação ao antigo idealismo. Nesse período a filosofia seguiu trajetórias opostas ao caráter sistêmico e abstrato do pensamento de Hegel, instituindo uma busca pelo que era concreto e real. O termo pode ser também utilizado para designar a confusão entre a gênese psicológica do conhecimento e sua validade.

Neocriticismo

O neocriticismo é uma doutrina das correntes filosóficas que se caracteriza em retornar a filosofia crítica kantiana para fundamentar seus conceitos. Iniciado na Alemanha em meados do século XIX , deu origem a algumas das mais importantes manifestações da filosofia contemporânea. A partir do neocriticismo a filosofia passou a dedicar-se à reflexão crítica sobre ciência para, então, poder encontrar condições que a tornem válidas. O neocriticismo deixa a metafísica da matéria e a do espírito, opondo-se aos positivistas. É contrário a metafísica idealista e a ciência empírica. As principais escolas foram a Escola de Baden – que tendia a ressaltar a lógica e a ciência. Além da Escola de Marburgo – que influenciaram boa parte da filosofia alemã posterior como Historicismo e a Fenomenologia.

Tem muitas outras informações sobre o mundo acadêmico no blog Vai de Bolsa. Além de informações sobre filosofia, você pode saber tudo do mercado de trabalho e outras dicas para melhorar os estudos. Confira todo o conteúdo gratuito