Muitos jovens quando pensam no primeiro emprego ficam desanimados. Afinal, como montar um currículo sem experiência, não é? Mas fique tranquilo. É bem provável que você tenha experiência e muitas habilidades para adicionar no seu currículo de jovem aprendiz.

Você já deve ter feito algum trabalho interessante ou tem alguma habilidade que se encaixe com a vaga que você procura ou até mesmo uma experiência para enriquecer o seu currículo. Lembre-se que para ser um jovem aprendiz é preciso estar estudando. Claro que a carga horária do emprego não pode atrapalhar a aula! 

Dito isso, bora aprender como montar um currículo de jovem aprendiz? Veja como iniciar sua carreira e aumentar suas chances no mercado de trabalho com as nossas dicas.

Leia também: Como fazer um currículo perfeito para o primeiro emprego?

O que é jovem aprendiz?

Para você que está a procura do primeiro emprego, mas não sabe por onde começar, saiba que existe um programa do governo para os jovens que estão em busca de se colocarem no mercado de trabalho. 

O jovem aprendiz é um projeto do Governo Federal criado a partir da Lei da Aprendizagem (Lei 10.097/2000), que determina que empresas de médio e grande porte contratem jovens como aprendizes.

No entanto, o aprendiz pode exercer várias funções dentro de uma empresa. Esse profissional, na maioria das vezes, trabalha com a área administrativa. Como auxiliar administrativo, office boy entre setores, auxiliar de escritório. Enfim, muito provavelmente se você se tornar um aprendiz irá precisar lidar com papéis e pessoas. 

A função das empresas com esse profissional é desenvolvê-lo para o mercado de trabalho. Por isso, existem supervisores e RH envolvidos na trajetória do aprendiz dentro da empresa. Ou seja, o aprendiz tem com quem contar caso aconteça alguma situação incômoda. Além disso, esse profissional está protegido por lei federal. 

O contrato de trabalho pode durar até dois anos e, durante esse período, o jovem recebe aprendizado teórico (em sala de aula) e prático (dentro da empresa contratante).

A ideia principal é que o jovem receba capacitação para melhorar habilidades na área que atua na empresa. Para participar do programa é preciso ter entre 14 e 24 anos, estar matriculado na escola ou universidade.

Estudantes de escolas públicas podem ter preferência na seleção. A frequência e o desempenho escolar também podem ser diferenciais no processo de recrutamento.

Leis para o jovem aprendiz

No Brasil, o aprendiz é amparado pela lei do Aprendiz, aprovada no ano 2000 e regulamentada em 2005. É perante ela que regem os limites de funções, a proteção e tudo que se trata sobre os trabalhadores dessa classe.  

A lei descreve que a contratação deste profissional é obrigatória para empresas de médio e grande porte, que devem ter um em seu quadro de funcionários de 5% a 15% dos cargos ocupados por eles.   

Já a jornada de trabalho para os aprendizes também deve ser menor do que a prevista pela CLT. As normas legais declaram que esses profissionais não podem ultrapassar seis horas de carga horária, exceto aqueles que tenham completado o ensino fundamental e se no tempo de trabalho estiverem incluídas as aulas teóricas.

O contrato de trabalho não pode ser maior do que dois anos e não pode ser prorrogado em hipótese alguma. O profissional pode atuar como aprendiz em empresas privadas ou públicas, de médio e grande porte e de todos os segmentos de mercado. 

O recomendado para os aprendizes é a participação em funções de assistência administrativa, secretariado e de escritório, adquirindo vivência e experiências corporativas.

Leia também: Oportunidade de trabalho: 5 dicas para diferenciar seu currículo

Dicas para criar um currículo de jovem aprendiz

Assim como qualquer outro currículo, o currículo de jovem aprendiz deve ser elaborado com todas as informações possíveis positivas da sua trajetória, além de ter objetivo, anseios para a empresa entender se o seu perfil bate com a vaga.

Pode não parecer, mas é importante se identificar com a empresa, afinal, você pode passar dois anos em um ambiente, é necessário que faça sentido para você, certo?

Você pode colocar informações, como:

  • Suas habilidades, anseios e características pertinentes ao perfil do setor que deseja atuar;
  • Informática;
  • Aptidões, como boa comunicação verbal e escrita, atendimento ao público, etc;
  • Certificações de cursos livres;
  • Atividades voluntária e extracurriculares;
  • Idioma e seu nível.

É fundamental que no currículo tenha a sua formação acadêmica, além da escola como cursos, intercâmbios, programas, entre outros. Isso trará mais segurança, para o jovem que não tenha experiência profissional.

Importante lembrar de sempre atualizar o documento. Se você é chamado para uma entrevista, por exemplo, e está com os dados desatualizados ou errados já pode comprometer seu desempenho no processo seletivo. Além disso, é fundamental que esteja dentro das regras gramaticais e tenha uma diagramação. Hoje em dia é muito comum enviar o currículo pela internet, por isso, se atente a detalhes como formatação, etc. 

Como fazer currículo de jovem aprendiz

Para fazer um bom currículo de jovem aprendiz você deve primeiramente colocar onde estuda ou onde estudou, e quando iniciou e terminou cada curso.

Depois, vale a pena inserir outros cursos que você tenha feito, inclusive cursos online. Veja a seguir como fazer o melhor currículo de jovem aprendiz possível: 

1. Escolaridade

Primeira informação é a sua escolaridade, para isso, ela precisa estar atualizada e correta. Não esqueça de colocar o nome da instituição de ensino, o curso que você faz, ano que está no ensino médio ou semestre que está cursando. Além disso, caso você tenha se formado no ensino médio ou outros cursos de menos duração, como ensino técnico, por exemplo,  não esqueça de colocar o ano de formação. 

2. Objetivo

Essa questão ainda deixa muitos jovens com dúvidas. O que colocar no objetivo se o meu objetivo é o primeiro emprego? Bom, você deve colocar “jovem aprendiz” como objetivo, para que seu currículo seja encontrado facilmente para aqueles que estejam procurando jovens para serem aprendizes. 

4. Cursos complementares

Caso você tenha feito algum curso complementar, não hesite em colocar no seu currículo de jovem aprendiz. Coloque o nome, data e, claro, um resumo do que se trata esse curso. Pode colocar todos os cursos, até aquele que você julga menos interessante. Fez curso de idioma? Adicione no seu documento. Cursos de informática, Excel, algum curso que a sua escola oferece, sempre é bom destacar seu conhecimento. 

5. Participação em palestras

As palestras que você assistiu também são importantes. Descreva quais foram elas, quando ocorreram e, se for o caso, que tipo de conhecimento elas trouxeram para sua vida. Destaque também participação em eventos, por exemplo.

Depois é só revisar e enviar seu currículo para os recrutadores! Essas iniciativas demonstram que você está empenhado em encontrar um emprego e que leva a sério essa ideia. 

Você só precisa analisar quais são suas habilidades, o que você já fez que pode enriquecer seu currículo de jovem aprendiz. Colocando todas as informações de maneira clara e objetiva. Para você que tentou elaborar seu currículo mas não tinha muitas informações para colocar, não fique desanimado.

Você pode fazer cursos online gratuitos, procurar trabalhos voluntários, participar de palestras e de atividades extra curriculares. Se engaja nos ambientes em que você frequenta, muito provavelmente você vai ganhar mais experiência para colocar no currículo. 

Se você gostou desse assunto e deseja saber mais sobre educação, mercado de trabalho ou curiosidades, não deixe de acessar o blog Vai de Bolsa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui