Um oceano de possibilidades. É por causa disso que o curso de Biologia Marinha conquista cada vez mais alunos. Afinal, vale saber que os oceanos cobrem mais de 70% da superfície da Terra. Assim, existem infinitas possibilidades de estudo e muitos seres vivos para serem cuidados e descobertos. Então, se você gosta de desafios, pode se preparar. Você terá a biodiversidade do planeta inteiro à disposição.

É importante saber que o biólogo marinho é o profissional que estuda os seres vivos e os ecossistemas marinhos. Não estamos falando apenas dos oceanos. Também existem estudos em zonas de mangue, praias, costões, recifes, estuários, atóis e todos os lugares em que pode florescer a vida marítima. Então, a atuação é bem ampla e as possibilidades maiores ainda. Aqui, vamos dar um panorama geral do que você encontrará no curso de Biologia Marinha e também no mercado de trabalho.

Leia também: Como é o curso de oceanografia

A realidade do curso de Biologia Marinha

São pelo menos quatro anos de especialização. Tempo necessário para entender as realidades e as várias possibilidades desse universo. Nesse período, você aprenderá sobre os animais e plantas que vivem no mar. Além disso, terá aulas sobre variáveis ambientais como salinidade, níveis de acidez do meio aquático (pH), profundidade, pressão, iluminação, movimento de ondas e marés. Tudo o que impacta na vida marinha estará relacionado no curso de Biologia Marinha. A ideia é formar especialistas, por isso a grade curricular é tão abrangente.

Para dar conta desses desafios, você precisa ter algumas capacidades desenvolvidas. É preciso saber formular, elaborar, fiscalizar e dirigir estudos, planejamentos, projetos e pesquisas científicas básicas e aplicadas. É claro que para isso você também passará por algumas capacitações. No entanto é importante destacar que essas atividades farão parte do seu dia a dia. Então, você precisa estar preparados para elas.

A proposta será sempre produzir material que vise ao conhecimento e à utilização racional dos ambientes. Sua missão será aplicar métodos de exploração e beneficiamento dos recursos do mar e da terra. Sempre para buscar a sustentabilidade dos ambientes marinhos e terrestre.

Possibilidades de formação

Para conseguir ter acesso a todo esse conteúdo e iniciar no mundo profissional, existem algumas possibilidades. Primeiro, vale destacar que ao buscar informação sobre o curso de Biologia Marinha você encontrará muita relação com o curso de Oceanografia. No entanto, eles são diferentes. O primeiro vai preparar você para estudar os organismos marinhos. Já a oceanografia tem como missão avaliar o ambiente marinho de forma geral.

No seu caso, do curso de Biologia Marinha serão pelo menos quatro anos de estudos. Para essa especialização, você tem dois caminhos: buscar uma graduação em Ciências Biológicas com mais uma especialização em Biologia Marinha ou então encontrar uma das poucas faculdades do Brasil que oferecem a graduação direta em Biologia Marinha.

A Universidade do Estado de Santa Catarina tem o curso de Biologia Marinha. Conheça a grade curricular:

  • Botânica
  • Zoologia de Invertebrados
  • Biofísica
  • Biologia Celular
  • Química Geral
  • Introdução à Ecologia
  • Introdução à Geologia
  • Cálculo
  • Histologia Animal
  • Biologia Molecular
  • Imunologia
  • Ambiente e Sociedade
  • Química Orgânica
  • Zoologia de Vertebrados
  • Ecologia de Populações e Comunidades
  • Genética Geral
  • Biologia Parasitária
  • Bioquímica
  • Anatomia e Embriologia Animal
  • Microbiologia Geral
  • Ecologia de Ecossistemas e Paisagens
  • Genética Molecular
  • Metodologia Cientifica
  • Física Aplicada
  • Legislação e Licenciamento Ambiental
  • Anatomia, Morfologia e Fisiologia Vegetal
  • Fisiologia Animal
  • Bioinformática
  • Limnologia
  • Geologia Costeira e Marinha
  • Meteorologia Marinha
  • Geoprocessamento e Cartografia
  • Sistemática e Biologia de Algas
  • Oceanografia
  • Poluidores Ambientais
  • Mamíferos Marinhos
  • Biologia Pesqueira
  • Estratégias Alimentares para Fauna Silvestre e em Reabilitação
Ciências Biológicas

Como falamos, você também tem a possibilidade de fazer uma graduação em Ciências Biológicas e depois uma especialização. Algumas dessas áreas incluem estudo da biodiversidade e sua conservação, zoologia, botânica, genética, toxicologia animal e ambiental, ação biológica de plantas medicinais/produtos naturais, virologia, parasitologia, genética do comportamento, mecanismos neurobiológicos do estresse, ansiedade, depressão, abuso de drogas, comportamento alimentar, dor, inflamação e envelhecimento. A opção está, por exemplo, na Universidade Federal de Santa Catarina.

Leia também: Conheça cursos ligados ao meio ambiente

Cursos livres

Além dessa possibilidade de graduação, você pode encontrar pela internet alguns cursos livres. Eles têm uma carga horária inferior, mas também oferecerão conteúdos sobre a vida marinha. Na Faculdade Estácio, por exemplo, o curso livre tem duração de quarenta horas. Ele vai preparar você para entender os aspectos relacionados a fatores físicos, químicos e geológicos das águas marinhas até os aspectos de poluição e conservação dos oceanos. Veja um pouco da grade curricular:

  • Ambiente marinho;
  • Geografia e geomorfologia dos oceanos;
  • Processos biológicos;
  • Fatores químicos, físicos e geológicos das águas oceânicas;
  • Temperatura;
  • Radiação solar;
  • Pressão;
  • Densidade;
  • Salinidade;
  • Oxigênio dissolvido;
  • Movimento das massas de água;
  • Principais correntes marinhas;
  • Ciclos de vida de invertebrados marinhos;
  • Reprodução;
  • Distribuição;
  • Algas marinhas;
  • Ciclo de vida de algas marinhas;
  • Reprodução vegetativa;
  • Reprodução assexuada;
  • Reprodução sexuada;
  • Plâncton marinho;
  • Bacterioplâncton;
  • Fitoplâncton;
  • Classe bacillariophyceae;
  • Classe dinophyceae;
  • Outros organismos do fitoplâncton;
  • Zooplâncton;
  • Protistas;
  • Cnidaria;
  • Ctenophora;
  • Mollusca;
  • Polychaeta;
  • Crustacea;
  • Chaetognatha;
  • Chordata;
  • Ictioplâncton;
  • O domínio bentônico;
  • Organismos bentônicos;
  • Distribuição;
  • Zona nerítica;
  • Zona entremarés;
  • Zona oceânica;
  • O nécton marinho;
  • Crustáceos;
  • Cefalópodes;
  • Répteis;
  • Mamíferos;
  • Aves;
  • Peixes;
  • Zona costeira e plataforma continental do Brasil;
  • Produção primária marinha;
  • Os produtores primários;
  • Fitoplâncton;
  • Macroalgas;
  • Produtos naturais marinhos;
  • Produtos naturais de algas marinhas;
  • Produtos naturais marinhos de esponjas;
  • Produtos naturais marinhos de cnidários;
  • Produtos naturais marinhos de outros organismos;
  • Poluição dos oceanos;
  • Eutrofização;
  • Eutrofização natural;
  • Eutrofização artificial;
  • Efluentes domésticos e industriais;
  • Efluentes agropastoris;
  • Drenagem pluvial;
  • Definição, causas e efeitos;
  • Controle da eutrofização;
  • Medidas preventivas;
  • Medidas corretivas;
  • Métodos mecânicos;
  • Métodos químicos;
  • Métodos biológicos;
  • Poluições por metais pesados;
  • Conservação dos oceanos;
  • O interesse pelo mar.

O mercado de trabalho depois do curso de Biologia Marinha

Saiba que o Brasil possui mais de 20 unidades de conservação marinhas e costeiras federais e estaduais, além de vários projetos de preservação. Então, suas possibilidades de empregabilidade aumentam.

Depois do curso de Biologia Marinha você pode encontrar vagas em empresas e governos. Será possível atuar para assessorar empresários e orientar a elaboração de normas legislativas. Afinal, nesses casos a função de um especialista no assunto é fundamental.

Além disso, você poderá atuar na coordenação de planos, programas, projetos e trabalhos multidisciplinares no campo das Ciências Biológicas. Suas possibilidades aumentam ainda mais quando você considera que pode orientar, dirigir, assessorar e prestar consultoria a empresas, fundações, sociedades e associações de classe, entidades autárquicas, privadas ou do poder público.

Também existe uma área de atuação no magistério. É possível encontrar oportunidades em capitais do interior do país. Sempre para trabalhar com pesquisa em laboratório, em faculdades e institutos de ensino. A área acadêmica também oferece mais oportunidades nessas regiões.

Estágio

Antes de conseguir um emprego, vale procurar um estágio. Separamos alguns sites para você encontrar essas possibilidades. Veja:

CIEE

Todos os serviços o CIEE são gratuitos. Eles são direcionados para os jovens a partir dos 14 anos (para quem procura por programas de aprendizagem) ou 16 (para futuros estagiários). O CIEE tem parceria com empresas em todo o Brasil e conecta estagiários e empregadores.

Nube

É uma das plataformas mais usadas no Brasil. O Nube é mantido pelo governo. Assim, costuma ser referência.

Estagiários.com

Dá para cadastrar o seu currículo e deixar o perfil à disposição de possíveis vagas de estágio. O Estagiários.com em todo o território nacional e com empresas de vários portes e segmentos.

Cia de Estágios

Possui um cadastro de todos os segmentos de atuação. Oferece vagas de estágio para o nível superior e também técnico.

Salário

A remuneração muda bastante. Afinal, como você viu até agora, é possível atuar em empresas privadas e públicas. Assim, se você optar por um concurso, poderá ganhar mais. No entanto, se depois de alguns anos de experiência assumir a chefia de um projeto no mundo corporativo, poderá ser ainda melhor remunerado.

Vale saber que um biólogo ganha em média R$ 3.326,81 no mercado de trabalho brasileiro para uma jornada de trabalho de 40 horas semanais de acordo com o CAGED do Ministério do Trabalho.

A faixa salarial do biólogo fica entre R$ 2.357,10 (média do piso salarial 2019 de acordos, convenções e dissídios) e o teto salarial de R$ 5.027,57, levando em conta profissionais com carteira assinada em regime CLT.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui