Curso EaD: confira algumas das opções em alta no mercado

Curso EaD: confira algumas das opções em alta no mercado

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua divulgada pelo IBGE em fevereiro de 2018, 64% dos brasileiros possuíam acesso à internet em 2016. Estar conectado e online facilita a realização de diversas atividades, inclusive a de estudar. Não por acaso, a modalidade de curso EaD (Ensino a Distância) está entre as que mais crescem no País.

O Ensino a Distância é um segmento que está ganhando cada vez mais espaço no Brasil. Esse crescimento é impulsionado pela facilidade que um curso EaD propicia para o acesso às aulas, que pode ser feito remotamente através de um computador ou smartphone de qualquer lugar do País. Mas a facilidade de assistir às aulas não é o único fator que chama a atenção na educação a distância – de acordo com a Associação Brasileira de Educação a Distância, nessa modalidade as matrículas são 65% mais baratas em comparação aos cursos presenciais.

 

Como a modalidade de curso EaD vem crescendo no Brasil

 

Para autores como Felipe Augusto Fernandes Borges, do artigo “A EaD no Brasil e o Processo de Democratização do Acesso ao Ensino Superior: Diálogos Possíveis”, a modalidade de curso EaD está ajudando a levar a educação superior a mais pessoas do País.

A democratização do ensino pode ser comprovada pelos números. De acordo com o Mapa do Ensino Superior no Brasil 2016 do Semesp, em 2014 o Brasil tinha 7,8 milhões de alunos matriculados no ensino superior, dos quais 17% estavam fazendo um curso EaD. Ainda conforme o mesmo documento, entre 2009 e 2014 as matrículas dos cursos a distância cresceram 60% – sendo um aumento de 80% na rede privada e uma queda de 19% na pública.

Entre as vantagens de um curso EaD para os estudantes estão a forma mais econômica de acesso ao ensino superior e a flexibilidade de horários para estudar e assistir às aulas. Com isso, mais pessoas – especialmente as que já estão no mercado de trabalho – conseguem acessar o ensino superior sem abandonar as suas carreiras ou outros compromissos profissionais.

A publicação do Decreto n.º 9.057, em maio de 2017, que atualizou a legislação sobre a regulamentação do ensino EaD no País, estimulou ainda mais o surgimento dessa modalidade de ensino. Segundo esta reportagem do site do jornal Estado de Minas, após um ano da publicação do decreto o número de cursos EaD no Brasil cresceu 133%.

De acordo com a notícia, o Censo de Educação Superior com dados de 2016 mostrou o avanço da modalidade de curso EaD: 18% das matrículas no ensino superior no País já correspondiam a esse tipo de formação. Caso se mantenha esse crescimento do ensino a distância, algumas projeções apontam que a expectativa é que em 2023 existam mais alunos matriculados em cursos a distância do que no ensino tradicional no País.

Segundo uma reportagem do portal G1, de setembro de 2018, entre 2016 e 2017 o número de estudantes matriculados em uma graduação a distância no Brasil aumentou 17,6%. Ainda de acordo com a reportagem, esse foi o maior avanço em um ano desde 2008. Assim, em 2017, o País tinha 1,8 milhão de alunos fazendo um curso EaD, o que representa pouco mais de 20% do total de universitários do País.

Com tanta procura, cada vez mais instituições estão investindo nessa modalidade. Atualmente, são inúmeras as opções entre cursos de graduação, especialização, capacitação, pós-graduação e até mesmo cursos livres.

O ensino superior, os cursos profissionalizantes e as especializações na modalidade de curso EaD possuem diploma com a mesma validade de um curso presencial reconhecido pelo MEC. Entre os cursos a distância mais procurados do País estão o de Pedagogia, o de Administração e o de Serviço Social.

 

Cursos livres são uma aposta das universidades

 

Os cursos livres fazem parte da educação informal e não são reconhecidos pelo MEC, mas isso não retira a sua importância. Esse segmento possui base legal no Decreto n.º 5.154/04 e, segundo este, são cursos de duração variável e que não exigem nenhum tipo de comprovação de escolaridade.

São muito populares pois possuem caráter de qualificação e, em geral, são baratos e têm curta duração. Os mais buscados, entre os disponíveis na modalidade de curso EaD, são os de Confeitaria, Culinária, Mecânica, Beleza, Teologia, Idiomas e Artesanato. Todavia, essa modalidade de formação oferece inúmeras opções em diferentes áreas.

Todos esses fatores já apontam que o ensino EaD no Brasil, hoje, representa uma área em expansão e que facilita a vida de milhares de brasileiros todos os dias. É certo que dar o passo em direção a um curso EaD é mais fácil do que o ensino tradicional, mas para que você tenha um bom desempenho e realmente aprenda em um curso EaD é necessário colocar os seus estudos na sua rotina diária, dedicando uma ou mais horas do seu dia para estudar e fazer as atividades previstas no seu curso.

Não é porque você não estará “cara a cara” com os seus professores na maior parte do tempo que você pode “relaxar”. Um curso EaD exige dedicação dos alunos e cobra conteúdos e aprendizados da mesma maneira que um curso presencial. Sabendo dessa lógica por trás do ensino a distância, prepare-se e busque a sua qualificação sem sair de casa!