Na sua vida acadêmica, não tem sensação pior do que perceber que escolheu o curso errado. Em outras palavras, pense naquela situação em que você estudou muito para ser aprovado no vestibular, iniciou o curso na faculdade e por alguma razão não se adaptou. É uma mistura de frustração com desânimo, pois além de ter escolhido o curso errado, você precisa decidir o que fazer daqui pra frente. Não se desespere, pois esse problema é mais comum do que parece e estamos aqui para ajudar a decidir o que fazer.

Há vários sinais que indicam a escolha do curso errado. Um deles ocorreu antes mesmo de iniciar o curso. Ou seja, essa situação é comum com aquelas pessoas que já iniciaram o curso com alguma incerteza sobre a área em questão. Ou com dúvidas sobre o mercado de trabalho. Ou ainda se o curso escolhido seria uma espécie de profissão do futuro. Afinal, tudo está mudando muito rápido.

Se você se encontra nessa situação, saiba que pode transformar o que aparentemente é um drama em uma oportunidade. Como assim? Há vários caminhos interessantes a serem tomados se você escolheu o curso errado. Portanto, não desanime e acompanhe as dicas do post até o final.

Leia também: E-book grátis ensina como fazer uma transição de carreira. Baixe agora!

Reconheça que você escolheu o curso errado

Em primeiro lugar, você precisa encarar a situação e reconhecer que escolheu o curso errado. Em muitas situações, o estudante acaba arrastando o curso até o limite do insustentável. Desse modo, aumenta a desmotivação e também o tempo de resposta para resolver o problema. Em segundo lugar, não há nada de errado em fazer uma mudança de rumo. Afinal, não adianta ter um diploma na mão e não sentir-se realizado profissionalmente.

Como falamos na abertura desse post, há muitas razões para alguém perceber que escolheu o curso errado. Uma delas é não sentir-se atraído pela profissão e, consequentemente, pelas disciplinas do curso escolhido. É bastante comum de acontecer também a falta de informações sobre aquele curso antes de ter realizado a matrícula. Em outras palavras, você pensava que o curso era de um jeito, e é de outro.

Outra situação encontrada frequentemente é a influência de pessoas próximas, principalmente, familiares, na hora de escolher o curso. Nesse momento, você deve tentar focar nas suas necessidades, e não na expectativa de outras pessoas.

Em resumo, se você pensa que abandonar o curso e iniciar outro é sinal de fracasso, está enganado. Essa visão está mudando e as empresas estão vendo de forma mais positiva essa atitude. Tanto é verdade que apesar de você ter abandonado um curso, acabou estudando cadeiras daquele curso e abriu o horizonte para novos conhecimentos. Ou seja, partindo para outro curso, com mais bagagem, pode se tornar um profissional mais completo.

Leia mais: Como escolher uma faculdade: dicas que vão ajudar você

Não há tempo ou data certa para mudar de curso

É bem comum pensar em declinar da mudança de curso quando já foram estudados dois ou três anos naquela faculdade. Será que ainda vale a pena desistir? Nesse caso, você deverá fazer uma análise profunda da situação, principalmente, levando em conta seus objetivos e a intensidade da insatisfação. Nesse caso, é preciso parar para reavaliar.

Portanto, o primeiro passo é reconhecer que não está satisfeito com o curso. Mas, se você gosta da área, porém não do curso, tem a opção de se manter nesse campo e mudar apenas de curso. Um exemplo prático é um estudante que faz faculdade de Jornalismo, no campo da comunicação, ficou insatisfeito, e decidiu mudar para a Publicidade e Propaganda, na mesma área.

Ou ainda pode acontecer de você estar cursando Engenharia Civil, ficar descontente, e descobrir que a engenharia pode ir muito além dessa área. Nesses dois casos, você ainda pode aproveitar para validar disciplinas semelhantes dos cursos. Desse modo, é possível abreviar o tempo de conclusão da nova faculdade.

Leia mais: Tendências do futuro das engenharias: fique por dentro

Nesse sentido, não se preocupe com fatores como idade ou o quão longe você está no curso atual. Se você está descontente com o seu curso, é preciso mudar. Afinal, você deve trabalhar nessa área grande parte da sua vida profissional.

Faça uma leitura correta dos cursos

Antes de aceitar que escolheu o curso errado, busque informações aprofundadas sobre o seu curso e também sobre a área que está pensando em seguir. Isso porque grande parte dos cursos inicia com disciplinas de base, ou seja, comuns em outras faculdades. É bastante comum, por exemplo, você encontrar disciplinas como língua portuguesa, sociologia, filosofia, cálculo, metodologia de pesquisa, em muitos cursos.

O que isso significa? Quer dizer que a essência do seu curso, normalmente, vai iniciar com as aulas práticas, da metade para frente do curso. Nesse período você terá acesso à vivência do campo profissional e terá melhores condições para decidir se seguirá nessa área ou não. Segundo alguns psicólogos, por volta de 70% dos estudantes que fazem essa análise aprofundada optam por continuar no curso atual.

Nesse sentido, é interessante buscar participar de atividades do seu curso que extrapolam a sala de aula. Entre elas, grupos de pesquisa ou extensão, além de estágios não-obrigatórios. Assim, você observará a profissão de forma mais nítida e ampliada. Outro caminho interessante é conversar com profissionais que já atuam nessa área. Em outras palavras, escutar o testemunho deles sobre a profissão e o mercado de trabalho.

Exatas ou humanas: eis a questão

Os cursos de graduação normalmente estão divididos em duas grandes áreas: as ciências exatas e as ciências humanas. Por que levantar essa questão agora? Pois uma decisão que ajuda na escolha do curso ou até em mudar de curso é o grau de afinidade com exatas ou humanas. Pense a respeito.

Leia mais: Curso superior em exatas: conheça as opções

Reflexão é o melhor caminho

  • Separamos algumas recomendações práticas para você que está nessa situação. Portanto, antes de trancar seu curso atual, é importante seguir esses passos.
  • Elabore uma tabela com pontos positivos e negativos do seu curso atual. Pontue cada percepção. Se você achar mais pontos negativos, é um forte indicativo para mudança de curso.
  • Identifique os motivos pelos quais você está fazendo esse curso. O que fez você se matricular na faculdade atual. Foi por pressão da família, uma oportunidade, ou era mesmo o seu desejo. Se a resposta contrariar seus objetivos, é outro sinal para mudança de curso.
  • Não critique apenas os professores e suas metodologias de aulas. Em outras palavras, o fato de você não estar gostando do curso não é culpa dos professores. Por outro lado, avalie o conteúdo das aulas e das disciplinas.
  • Evite tomar decisões precipitadas em meio a períodos de fortes emoções. Se você passar por isso, tente se acalmar e voltar a analisar a situação em outro momento.

Escolheu o curso errado? Analise com cuidado a situação!

Como você pode acompanhar nesse post, é muito comum escolher o curso errado e ficar em dúvida sobre qual caminho seguir. Em resumo, não tome decisões precipitadas, ao mesmo tempo que não tenha medo de partir para outra área após uma análise profunda da situação. Dessa importante decisão depende o seu futuro profissional. Portanto, pense muito a respeito e busque apoio de pessoas de confiança.

Acompanhe mais informações sobre cursos, capacitações, mercado de trabalho e dicas no blog Vai de Bolsa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui