O novo sistema de avaliação dos cursos de pós-graduação no Brasil irá ampliar a análise de indicadores, passando a considerar também o impacto social e a interação com o setor produtivo regional, bem como a vocação de cada programa.

A avaliação dos Programas de Pós-Graduação (PPGs) de todo o Brasil é uma das principais tarefas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), autarquia ligada ao Ministério da Educação (MEC).

Considerando a tendência da educação a distância nos cursos de especialização, bem como a incorporação de, cada vez mais, novas tecnologias na educação, os cursos de pós-graduação carecem de uma nova avaliação, mais moderna e flexível.

Para melhorar o atual sistema de avaliação dos cursos de pós-graduação brasileiros, um novo modelo deverá entrar em vigor até o fim de 2020, para que a implementação ocorra no próximo ciclo de avaliação, que começa em 2021.

Você pode acompanhar as últimas notícias sobre o novo modelo de avaliação através do Portal da Capes.

Avaliação Multidimensional

Segundo a Capes, o plano é implementar um modelo de avaliação multidimensional, inspirado no sistema europeu de avaliação das instituições, o U-Multirank.

Os integrantes da comissão de avaliação acreditam que através da metodologia, será possível mensurar outros importantes indicadores de avaliação, como, por exemplo, o impacto e a relevância para sociedade, além da inovação produzida, internacionalização e inserção regional.

Ao total, para avaliar os cursos de pós-graduação são considerados cinco indicadores:

  • Ensino e aprendizagem
  • Internacionalização / Inserção
  • Produção de conhecimento
  • Inovação e transferência de conhecimento
  • Impacto e relevância para a sociedade

No canal oficial da Capes no YouTbe, está disponível um vídeo da apresentação do Modelo de Avaliação Multidimensional apresentado durante o Seminário de Meio Termo pela diretora de avaliação da Capes, Sônia Báo. Confira a seguir:

As melhores instituições de cursos de pós-graduação

Para divulgar o ranking das melhores instituições de pós-graduação, a Capes promove uma avaliação quadrienal dos Programas de Pós-Graduação (PPG), baseado no reconhecimento do MEC.

Sobre as notas

Os cursos são avaliados com notas de um a cinco, conforme os significados listados abaixo:

  • Notas 1 e 2: as notas um e dois são consideradas baixas e, por esse motivo, as instituições com essa pontuação têm o reconhecimento e autorização para oferecer os cursos canceladas;
  • Nota 3: indica um desempenho regular;
  • Nota 4: é considerado um bom desempenho;
  • Nota 5: é a nota máxima para os programas que ofertam apenas o mestrado;
  • Nota 6 e 7: indicam um desempenho ao nível internacional.

Para classificar as instituições que promovem os melhores cursos de mestrado e doutorado, a CAPES considera os programas de pós-graduação da modalidade stricto sensu, que inclui os cursos de mestrado e doutorado, com notas acima de 5.

Ranking das melhores instituições de pós-graduação, segundo a Capes

A Capes determina a nota da instituição de ensino a partir das médias ponderadas, que são feitas através do número de PPGs – a partir de 50; entre 20 e 49; e menos de 10 – e das notas dos cursos oferecidos pela instituição.

Confira a lista dos melhores cursos de pós-graduação do Brasil, conforme a última avaliação divulgada pela Capes, em 2017.

PPGs: Menos de 10

  • Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC) – Nota 6,00
  • Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) – Nota 5,50
  • Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa) – Nota 5,50
  • Observatório Nacional (ON) – Nota 5,50
  • Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) – Nota 5,43
  • Senai CIMATEC – Nota 5,00
  • Escola de Guerra Naval (EGN) – Nota 5,00
  • Faculdade de Direito de Vitória (FDV) – Nota 5,00
  • Fundação Getúlio Vargas (FGV/RJ) – Nota 5,00
  • Hospital de Câncer de Barretos (HCB) – Nota 5,00
  • Instituto de Botânica (IBT) – Nota 5,00
  • Instituto Butantan (IB) – Nota 5,00
  • Instituto Nacional do Câncer (Inca) – Nota 5,00
  • Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) – Nota 5,00
  • Universidade São Francisco (USF) – Nota 5,00

PPGs: de 20 a 49

  • Pontífica Universidade Católica (PUC/RS) – Nota 5,36
  • Pontifícia Universidade Católica (PUC/RJ) – Nota 5,00

PPGs: de 50 ou mais

  • Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) – Nota 5,31
  • Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)  – Nota 5,21
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – Nota 5,14
  • Universidade de São Paulo (USP) – Nota 5,07

Sobre a avaliação do MEC

Para saber a nota MEC das instituições de ensino de educação superior, tanto as particulares quanto as públicas, basta acessar o site do Inep.

Na página, é possível conferir as informações sobre os indicadores de qualidade: Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC) e do Conceito Preliminar de Curso (CPC).

Indicador CPC

O CPC é um indicador de qualidade que avalia os cursos de graduação das instituições de ensino.

A nota de CPC é calculada através dos resultados do Enade, com base na avaliação de desempenho de estudantes, no valor agregado pelo processo formativo e em insumos referentes às condições de oferta – corpo docente, infraestrutura e recursos didático-pedagógicos. O resultado é divulgado um ano após a realização do Enade.

A escala de notas do CPC varia de 1 a 5, com médias abaixo de 3 consideradas insatisfatórias. Já os cursos que não tiveram pelo menos dois estudantes concluintes participantes não têm seu CPC calculado, ficando Sem Conceito (SC).

Indicador IGC

O IGC, realizado anualmente, representa a nota da instituição de ensino como um todo. O cálculo desconsidera os seguintes aspectos:

  • Média dos CPCs do último triênio, relativos aos cursos avaliados da instituição, ponderada pelo número de matrículas em cada um dos cursos computados;
  • Média dos conceitos de avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu atribuídos pela Capes na última avaliação trienal disponível, convertida para escala compatível e ponderada pelo número de matrículas em cada um dos programas de pós-graduação correspondentes;
  • Distribuição dos estudantes entre os diferentes níveis de ensino, graduação ou pós-graduação stricto sensu, excluindo as informações do item II para as instituições que não oferecerem pós-graduação stricto sensu.
Para realizar a avaliação, o Inep visita as instituições de ensino avaliando o seu funcionamento. A escala de notas também varia de 1 a 5 e a média inferior a 3 é considerada insatisfatória e, nesses casos, a instituição possui um prazo para recorrer a média obtida. Logo, caso a decisão final mantenha a média insatisfatória, a instituição fica impedida de abrir novos cursos e ampliar a oferta de vagas para os cursos já existentes.

Sobre a Capes

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), fundação do Ministério da Educação (MEC), desempenha um papel fundamental na expansão e na consolidação da pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) em todos os estados da Federação.

A CAapes também atua na formação de professores da educação básica, ampliando o alcance de suas ações na formação de pessoal qualificado, no Brasil e no exterior.

As atividades da Capes são agrupadas em cinco linhas de ação, cada qual desenvolvida por um conjunto estruturado de programas:

  1. Avaliação da pós-graduação stricto sensu;
  2. Acesso e divulgação da produção científica;
  3. Investimentos na formação de recursos humanos de alto nível, no país e exterior;
  4. Promoção da cooperação científica internacional;
  5. Indução e fomento da formação inicial e continuada de professores para a educação básica nos formatos presencial e a distância.

Leia mais sobre como funciona o critério de avaliação do MEC. Acompanhe o Vai de Bolsa e fique por dentro de todas as novidades sobre educação, carreira e mercado de trabalho.