Preciso validar meu diploma brasileiro no exterior?

0
4

A maioria dos estudantes e profissionais sonham com uma carreira no exterior. Mas, para que seu diploma de graduação brasileiro seja aceito em outros países, é necessário que seja feita uma validação. Então, se você está pensando em mudar de país e trilhar uma carreira lá fora, mas ainda não sabe se o seu diploma será aceito, você está no lugar certo.

Entenda mais a fundo quais países precisam da validação do diploma brasileiro no exterior, antes de buscar uma carreira fora do país.

Diploma brasileiro no Mercosul

O processo para validação de diploma brasileiro no exterior é mais simples para os países do Mercosul. Isso porque foi assinado um acordo que simplifica a validação do documento em países do bloco. Sendo assim, o processo não precisa mais de uma avaliação acadêmica e de análises específicas. É necessário apenas uma verificação documental.

A aplicação do acordo foi feita de forma gradual nos países do Mercosul. Sendo assim, verifique se o país para o qual você gostaria de realizar a validação já está utilizando a validação simplificada. 

Condições para validação no Mercosul

Para que seu diploma brasileiro seja válido em países do Mercosul, como Uruguai, Chile, Argentina e Paraguai, é necessário que o curso realizado seja reconhecido pelo Sistema de Credenciamento Regional de Cursos de Graduação e Estados Partes do Mercosul e Estados Associados (ARCU-SUR). Este sistema é um acordo firmado entre os Ministérios da Educação dos países do Mercosul. Tem como objetivo avaliar e credenciar as graduações, seguindo as legislações de cada país.

Um curso de graduação que não possui o reconhecimento oficial do país também não poderá ser reconhecido pelo ARCU-SUR. Se houver dúvidas, verifique se a sua instituição de ensino participa do ARCU-SUR. Acesse aqui e busque os cursos que são credenciados ao ARCU-SUR. Para realizar a busca é necessário selecionar o país, a área de formação, o nome da instituição de ensino superior e o nome do curso.

Os países que são credenciados ao ARCU-SUR são: Brasil, Paraguai, Argentina, Uruguai, Bolívia, Chile, Colômbia e Venezuela. Os países do Mercosul que ainda não são associados ao ARCU-SUR também podem realizar a revalidação simplificada de diplomas. Para isso, basta que os chefes de estados assinem o acordo que resultou no nascimento do sistema.

Como validar o seu diploma brasileiro no exterior

O diploma do ensino superior tem validade em território nacional. Sendo assim, se você deseja que seu diploma seja aceito em países do exterior, você deve realizar a validação do mesmo em conjunto ao governo brasileiro e do local do destino que você deseja.

Para realizar o processo de validação do seu diploma, você terá que realizar uma tradução juramentada e depois fazer o apostilamento de Haia. Alguns países também exigem o teste de proficiência da língua. Entenda abaixo como funciona cada etapa do processo de validação do diploma brasileiro no exterior:

Tradução juramentada

Este tipo de tradução costuma ser necessário para países que não falam a língua portuguesa. É uma tradução que não pode ser realizada por qualquer tradutor. A tradução juramentada é um processo legal que deve ser realizada por profissionais que estão vinculados à junta comercial de cada Estado. Para encontrar os tradutores disponíveis no seu estado, você deve acessar o site do governo estadual para encontrar a lista.

Normalmente é necessário realizar a tradução apenas de dois documentos, o diploma e o histórico acadêmico. Depois de realizada a tradução juramentada, você deve seguir para o próximo passo.

Apostila de Haia

A Apostila de Haia começou a vigorar no Brasil no ano de 2016. Seu objetivo é facilitar a tramitação para a validação do diploma brasileiro para países do exterior. O certificado se originou na Convenção de Haia sobre a legalização de documentos estrangeiros, que aconteceu em 1961. Foram mais de 110 países que fizeram parte dessa convenção. Se desejar, você pode encontrar a lista completa dos países aqui.

A Apostila de Haia é um certificado de autenticidade emitido pelo governo brasileiro para os documentos apresentados no processo. Esta autenticação só pode ser realizada em cartórios específicos, que normalmente ficam nas capitais de cada estado. Este processo é muito parecido com o reconhecimento de firma, e é realizado na hora.

Um fato importante é que o carimbo do cartório não tem validade. Dessa forma, você pode utilizar o documento sempre que precisar, sem se preocupar com seu “vencimento”.

Validando o diploma brasileiro no exterior

Depois que as etapas da tradução juramentada e do apostilamento estiverem concluídas, o próximo passo é realizar o envio dos documentos para o país de destino. Está etapa pode ser realizada pelo próprio cartório brasileiro, mas pode levar até seis meses para ser finalizada.

Se o país para o qual você está buscando a validação não faz parte da Convenção de Haia, você precisará seguir mais etapas do processo de validação de diploma. Os passos podem ser diferentes em cada país, sendo assim, você deve buscar mais informações junto ao consulado ou embaixada do país de destino.

Prova de Proficiência

A maioria dos países exige que seja enviado junto com os demais documentos uma prova de proficiência da língua local. Isso acontece pois a premissa é que se deve ter conhecimento da língua nativa para então acessar o mercado de trabalho local.

Entenda quais são as provas de proficiências aceitas pelo país de destino e coloque a realização da prova no seu planejamento, como uma etapa da validação.

Conheça os países que fazem parte da Convenção de Haia:

  • Africa do Sul;
  • Albânia;
  • Alemanha;
  • Andorra;
  • Antiga República Jugoslava da Macedónia;
  • Antígua e Barbuda;
  • Argentina;
  • Arménia;
  • Austrália;
  • Áustria;
  • Azerbaijão;
  • Bahamas;
  • Bahrain;
  • Barbados;
  • Bélgica;
  • Belize;
  • Bielorrússia;
  • Bolívia;
  • Bósnia e Herzegovina;
  • Botswana;
  • Brasil;
  • Brunei Darussalam;
  • Bulgária;
  • Burundi;
  • Cabo Verde;
  • Cazaquistão;
  • Chile;
  • China (Hong Kong);
  • China (Macau);
  • Chipre;
  • Colômbia;
  • Cook, Ilhas;
  • Coreia;
  • Costa Rica;
  • Croácia;
  • Dinamarca;
  • Dominica;
  • El Salvador;
  • Equador;
  • Eslováquia;
  • Eslovénia;
  • Espanha;
  • Estados Unidos da América;
  • Estónia;
  • Federação Russa;
  • Fiji;
  • Finlândia;
  • França;
  • Geórgia;
  • Granada;
  • Grécia;
  • Guatemala;
  • Honduras;
  • Hungria;
  • India;
  • Irlanda;
  • Islândia;
  • Israel;
  • Itália;
  • Japão;
  • Kosovo;
  • Lesoto;
  • Letónia;
  • Libéria;
  • Liechtenstein;
  • Lituânia;
  • Luxemburgo;
  • Malawi;
  • Malta;
  • Marrocos;
  • Marshall, Ilhas;
  • Maurícias;
  • México;
  • Mônaco;
  • Mongólia;
  • Montenegro;
  • Namíbia;
  • Nicarágua;
  • Niue;
  • Noruega;
  • Nova Zelândia;
  • Omã;
  • Países Baixos;
  • Panamá;
  • Paraguai;
  • Peru;
  • Polônia;
  • Portugal;
  • Quirguistão;
  • Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte;
  • República Checa;
  • República da Moldávia;
  • República Dominicana;
  • Roménia;
  • Samoa;
  • San Marino;
  • Santa Lúcia;
  • São Cristóvão e Nevis;
  • São Tomé e Príncipe;
  • São Vicente e Granadinas;
  • Sérvia;
  • Seychelles;
  • Suazilândia;
  • Suécia;
  • Suíça;
  • Suriname;
  • Tajiquistão;
  • Tonga;
  • Trinidad e Tobago;
  • Turquia;
  • Ucrânia;
  • Uruguai;
  • Uzbequistão;
  • Vanuatu;
  • Venezuela.

Converse com a sua instituição de ensino

Outra dica para validar seu diploma no exterior é procurar o setor responsável por intercâmbios na sua faculdade de origem. Lá, os responsáveis podem mostrar quais as melhores opções para validar seu diploma. De repente, a sua universidade tem parcerias com instituições estrangeiras que facilitem esse processo.

Veja também o nosso artigo com 5 opções de bolsas de estudo fora do país. Encontre mais dicas e informações como essas no blog Vai de Bolsa.