Um técnico em enfermagem é considerado um enfermeiro?

0
3

O enfermeiro é um dos profissionais da área da saúde muito requisitados dentro de um hospital. Assim como em clínicas e outras unidades de saúde. Na verdade, eles são um dos pilares fundamentais no atendimento aos pacientes nesses locais. O que a maioria das pessoas não sabe é que existem diferenças entre as formações possíveis para se tornar esse profissional. Ou seja, um técnico em enfermagem tem uma bagagem acadêmica diferente de um enfermeiro.

Em outras palavras, por incrível que pareça, cada formação dentro dessa profissão significa tomar caminhos diferentes na carreira. Nessa área da saúde, existe o enfermeiro, o técnico e o auxiliar de enfermagem.

Para entender melhor como funciona cada uma dessas possíveis atuações no campo da enfermagem, leia o texto a seguir. Embora a profissão de enfermeiro seja apenas uma, as possíveis atividades que esse profissional pode exercer são muitas.

Leia também: Baixe grátis o nosso e-book Guia para conquistar o primeiro emprego

O que faz um profissional de enfermagem

O enfermeiro é o profissional que exerce inúmeras atividades dentro de um hospital. Mas não pense que esse é o único local que ele pode trabalhar. O enfermeiro é o profissional que trabalha também em centros de saúde, clínicas, ambulatórios, centros cirúrgicos, entre outros.

Sem a atuação desse profissional, um médico não conseguiria realizar muitos dos procedimentos complexos. Além disso, os pacientes não seriam medicados, nem mesmo teriam uma recuperação mais rápida sem o auxílio de um profissional da enfermagem.

Portanto, o trabalho de um enfermeiro é vital para a área da saúde, o que faz o dia-a-dia dele ser muito corrido e importante. Pois uma coisa é fato dentro da área da saúde: não existe sossego nem tempo ocioso. Mesmo diante de uma rotina tão movimentada, o campo de ação dentro da enfermagem acaba sendo de grande abrangência. Ou seja, existe o enfermeiro, o técnico e o auxiliar de enfermagem.

Desse modo, cada um realiza uma tarefa específica dentro da profissão, o que acarreta em limitações nas atividades que podem exercer. Veja a seguir o que faz com mais detalhes cada um desses profissionais.

Enfermeiro

Dentro da área, essa é a categoria com mais responsabilidade. Para se tornar um, é preciso obter um diploma de ensino superior. A graduação em enfermagem tem uma duração média de 4 anos e é oferecida na modalidade de bacharelado. Portanto, é uma formação generalista e focada no mercado de trabalho.

Além disso, o enfermeiro é o responsável por grande parte da gestão dentro da área que trabalha. No entanto, ele deve cuidar do planejamento, consultoria e auditoria. Esse é único profissional dentro da enfermagem que está apto a coordenar uma equipe. Mas não pense que ele faz só isso, ele também cuida dos pacientes e auxilia os médico em situações que exigem tratamento de alta complexidade.

Portanto, coordenar e supervisionar as funções e as atividades dos técnicos e auxiliares é sua principal função. Nesse sentido, a vantagem de fazer uma graduação em enfermagem é de poder ter mais abrangência na profissão, podendo exercer cargos administrativos ou prestar assistência e cuidados aos pacientes.

Se você deseja ter um campo de atuação mais completo, é necessário ter um diploma de ensino superior. Ao se graduar, você terá mais qualificação e também poderá investir em uma pós-graduação futuramente, tornando-se um profissional diferenciado.

Resumidamente, essa é a profissão mais completa dentro da área da enfermagem e que garante também uma melhor remuneração em relação as outras.

Técnico em enfermagem

Para se formar nessa área, basta ter o ensino médio completo e ingressar em um curso técnico em enfermagem. A o tempo para se formar é de 2 anos em média. Portanto, uma carga horária mais reduzida, que faz com que esse profissional tenha um campo de atuação mais limitado.

Suas atividades consistem em auxiliar os enfermeiros e executar as ações que são planejadas por eles e pelos médicos. Mesmo assim, o técnico em enfermagem é um profissional apto para atuar na assistência de pacientes com médio e alto grau de tratamento médico, em pós-operatório, centros de terapia intensiva, entre outros.

Auxiliar de enfermagem

Para se formar nessa área, basta fazer o curso de mesmo nome. Essa formação tem uma carga horária ainda mais enxuta, que dura cerca de 15 meses. Portanto, esse profissional tem um campo de ação mais reduzido, podendo atuar somente com pacientes de baixo grau de complexidade e realizar procedimentos mais simples. Geralmente, é esse profissional que aplica vacinas e injeções nos centros de saúde e ambulatórios.

Além disso, ele pode fazer curativos, esterilizar materiais e cuidar da higienização dos pacientes. Esse profissional é também responsável pelo apoio aos técnicos e enfermeiros. Essa formação é a mais adequada se você tem pressa para ingressar no mercado de trabalho ou também descobrir se a enfermagem é uma área interessante para você seguir em uma carreira profissional.

A média salarial de cada categoria

Não pense que somente as atividades de cada categoria varia, o salário também pode ser bastante diferenciado de acordo com a função que se exerce. De acordo com o site da Catho, um portal confiável que informa sobre a média salarial que é paga a cada profissão, a média de valores pagos a cada uma das funções são:

  • Enfermeiro R$ 3.092,89;
  • Enfermeiro chefe R$ 3.140,00;
  • Enfermeiro do trabalho R$ 3.207,00;
  • Enfermeiro obstetra R$ 3.718,80;
  • Enfermeiro auditor R$ 3.917,68;
  • Enfermeiro intensivista R$ 3.381,34;
  • Enfermeiro visitador R$ 2.573,73;
  • Coordenador de enfermagem R$ 4.028,73;
  • Enfermeiro de centro cirúrgico R$ 3.259,16;
  • Enfermeiro de formação continuada R$ 3.434,68;
  • Enfermeiro CCIH R$ 2.593,75;
  • Enfermeiro SCIH R$ 3.896,15;
  • Enfermeiro responsável técnico R$ 2.738,57;
  • Enfermeiro nefrologista R$ 4.144,54;
  • Enfermeiro CME R$ 3.720,41;
  • Enfermeiro Estomaterapeuta R$ 2396, 82;
  • Auxiliar de enfermagem R$ 1.841,18;
  • Estágio em enfermagem R$ 858,91;
  • Técnico em enfermagem R$ 1.782,87;
  • Estágio técnico em enfermagem R$ 777,27;
  • Gerente de enfermagem R$ 7.662,41;
  • Auxiliar de enfermagem do trabalho R$ 1.814, 91;
  • Estágio técnico em enfermagem do trabalho R$ 717,03.

Obviamente existem mais possibilidades de carreira para quem é da enfermagem. Como pode ser observado, os melhores salários são pagos para as funções que exigem curso superior. Além de permitir um horizonte maio de trabalho, também é possível se especializar em uma determinada área e realizar procedimentos mais complexos e que exigem mais responsabilidade.

Vale lembrar também que o salário para aquele que é graduado no ensino superior está acima da média de outros profissionais, com o mesmo grau de formação. Portanto, a área da saúde ainda pode ser uma área com uma remuneração diferenciada e também com uma boa taxa de ocupação.

E como qualquer outra profissão, é importante ressaltar, que para obter um bom salário na carreira, é fundamental ser um profissional diferenciado.

Conclusão

Agora que você sabe melhor sobre a abrangência profissional para quem é da área da enfermagem. É preciso descobrir qual é a formação mais adequada. Para isso, você deve ficar de olho quais instituições tem vagas de matrícula em aberto para enfermagem e saber como garantir uma bolsa de estudo. A Estácio e a FMU, por exemplo, oferecem excelentes cursos de enfermagem.

Ter um subsídio par estudar pode fazer toda diferença para se destacar na graduação. Pois você terá foco total nos estudos e isso fará com que você seja um profissional com uma formação mais sólida para o mercado de trabalho.

Se você gostou desse assunto e deseja saber mais sobre educação, mercado de trabalho ou curiosidades, não deixe de acessar o blog Vai de Bolsa. Lá, você encontrará diversas informações úteis para a sua vida profissional e pessoal. Aproveite!