Engenharia Agrícola: confira como é o curso e a profissão

0
2
Engenharia Agrícola

Você sabia que o setor agrícola é muito importante para a economia de nosso país? Tão importante que chega a movimentar cerca de 20% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. É muita coisa! Com uma vasta extensão territorial e um clima super apropriado para muitos tipos de plantação, a agricultura se tornou há tempos uma das bases da economia brasileira. Com isso, tem a ganhar quem aposta nessa área profissionalmente, como a área da Engenharia Agrícola. Vamos falar mais sobre o curso e a profissão.

De fato, o engenheiro agrícola se tornou indispensável para o desenvolvimento desse setor. Esse profissional trabalha em parceria com quem é da área de agronomia e agroecologia, por exemplo, no desenvolvimento de processos de geração de alimentos.

Confira neste post mais detalhes sobre essa carreira na engenharia agrícola.

A Engenharia Agrícola

O Engenheiro Agrícola é quem cuida dos processos de geração de alimentos, tanto para humanos – que podem ser vegetais ou animais – quanto para os animais que são usados para alimentar humanos – como bois, galinhas etc. Além disso, o Engenheiro Agrícola também cuida da geração de fibras – como o algodão – e de biomassa vegetal – como a cana-de-açúcar, que é uma fonte de energia renovável.

Dentro do processos de geração dos itens acima, o Engenheiro Agrônomo deve levar em consideração três grandes fatores:

  1. Fatores Ambientais;
  2. Fatores Econômicos;
  3. Fatores Sociais.

Também é papel do profissional estudar e incluir tecnologias que auxiliem na produção, identificar como e onde construir estruturas de armazenamento, como proteger o solo de práticas prejudiciais, entre várias outras atividades.

É importante ressaltar, que com a era digital e todo o avanço tecnológico, o setor da agricultura não ficou para trás. A tecnologia se tornou uma grande aliada, modernizando atividades que eram repetitivas, manuais e que, por isso, se tornavam pouco eficientes no campo.

A modernização e o espaço que foi aberto para a inovação nesta área, é um dos fatores para a carreira de Engenharia Agrícola ter se tornado atualmente um destaque no mercado de trabalho.

Leia também: Qual Engenharia fazer?

O curso de Engenharia Agrícola

O curso de Engenharia agrícola tem em média 5 anos, assim como qualquer outro curso da área de engenharia. Nos 2 primeiros anos, a grade curricular completa matérias mais básicas, e apenas a partir do terceiro ano que matérias mais específicas começam a entrar na grade. Estão presentes também, com força, disciplinas da área de exatas.

Confira abaixo algumas matérias que costumam ter durante o curso de Engenharia Agrícola, segundo o Ministério da Educação (MEC):

  • Termodinâmica;
  • Mecânica de Fluidos e Hidráulica;
  • Projeto de Sistemas e Processos de Pós-colheita;
  • Recursos Hídricos e Hidrologia;
  • Solos;
  • Irrigação e Drenagem;
  • Saneamento Rural;
  • Resistência de Materiais;
  • Elementos de Máquinas;
  • Comportamento Físico-Mecânico de Produtos Agrícolas;
  • Projetos de Máquinas Agrícolas;
  • Automação e Controle;
  • Planejamento da Produção Agrícola;
  • Sistemas de Suporte à Tomada de Decisão;
  • Geoprocessamento;
  • Modelagem Estrutural;
  • Projeto de Construções Rurais;
  • Ambiência Animal e Vegetal;
  • Estruturas de Concreto e de Madeira;
  • Estradas e Barragens Rurais;
  • Energização Rural;
  • Matemática;
  • Física;
  • Química;
  • Ética e Meio Ambiente;
  • Ergonomia e Segurança do Trabalho;
  • Relações Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS).

Como qualquer curso de Engenharia, o estudante encontrará muitas matérias de exatas, e precisará fazer muitos cálculos durante o curso e na vida profissional.

Para concluir o curso, é necessário a realização de um estágio obrigatório, e a entrega do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Áreas de Atuação do Engenheiro Agrícola

Águas e Solo

O profissional pode trabalhar com a construção de açudes, barragens, sistemas de irrigação e na construção e melhoria de tudo que envolve água e condições de solo, como por exemplo, a erosão.

Construção Rural

O Engenheiro Agrícola também pode projetar e construir os elementos essenciais de uma fazenda, como silos de armazenamentos, estufas e estábulos;

Meteorologia Agrícola

Na área da meteorologia, o profissional trabalhará com foco em elementos meteorológicos e nas atividades agropecuárias. Ele irá quantificar exigências hídricas para dimensionar e manejar sistemas de irrigação.

Além disso, vai trabalhar realizando projetos de otimização de conforto térmico das instalações agrícolas e das condições de umidade do ar para a determinação do tempo de secagem dos grãos.

Leia também: Meteorologia: saiba mais sobre o curso e as oportunidades na profissão

Controle e Automação

Nesta área o profissional vai atuar no monitoramento de equipamentos que automatizam produções agrícolas.

Eletrificação Rural

Já nesta área, o profissional vai analisar propriedades e estudar formas de incluir fontes de energia, que podem ser solar, elétrica ou hidráulica.

Extensão Rural e Difusão de Tecnologia

O Engenheiro pode trabalhar na orientação aos produtores rurais, informando sobre melhores técnicas e novas tecnologias de mercado. Sempre levando em consideração a capacidade de produção e o tamanho da propriedade.

Mecanização Agrícola

Pensando na geração de eficiência, o profissional pode trabalhar no estudo de formas de otimizar todas as etapas de produção da agropecuária, que são ligadas ao uso e maquinário agrícola. Também é possível prestar ajuda em projetos e construção de equipamentos mecânicos.

Planejamento Agropecuário

É o profissional que estará à frente, no comando dos negócios agropecuários. Pode fazer previsões de safra, gestão e supervisão de recursos, trabalhando na administração da produção como um todo.

Qualidade Rural

Além de todas as áreas de atuação acima, o profissional ainda pode trabalhar com o controle de qualidade de propriedades agropecuárias, avaliando resultados para aumentar a qualidade e a produtividade da fazenda.

Saneamento

Também é possível atuar com o lixo das propriedades, no tratamento de esgoto, reutilização de substâncias e transformação de resíduos em energia.

Tecnologia Pós-Colheita

Neste caso, o Engenheiro Agrícola é quem trabalha com a parte final da produção, na pós-colheita. Então, ele vai trabalhar desde o armazenamento até a embalagem dos produtos, além do transporte e de como o produto será vendido.

Mercado de Trabalho

Além de representar mais de 20% do PIB do Brasil, o setor também representa 25% de toda a receita de exportação do país. Sendo assim, o mercado de trabalho do setor Agrícola não sofre muito com as crises, então costuma se manter aquecido, com muitas oportunidades para os Engenheiros Agrícolas.

As maiores oportunidades de emprego se concentram na região Centro-Oeste, pois é onde se encontram as maiores propriedades rurais do país. Mas, fique tranquilo pois é possível encontrar oportunidades em todo o Brasil – e até fora dele. Além disso, oportunidades em áreas relacionadas a energia e saneamento também cresceram.

Salários do campo da engenharia agrícola

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) estabelece um piso mínimo salarial para os Engenheiros do Brasil. Então, quem possui a carga horária de 8 horas por dia, deve receber pelo menos 8,5 salários mínimos, que equivale a mais ou menos R$ 8.000.

Mas, saiba que assim que terminar o curso de Engenharia Agrícola, é provável que você se insira no mercado com um cargo de Analista, para depois trabalhar realmente como Engenheiro Agrícola.

Gosta da área de agronegócio?

Se você quer conhecer mais cursos na área, principalmente, para trabalhar com o agronegócio, você podem conhecer melhor o curso de Agronomia e Agroecologia>

  • Agronomia – Saiba tudo sobre o curso e o mercado de trabalho;
  • Agroecologia – Conheça o curso e o mercado de trabalho;

Continue acompanhando conteúdos como este no Blog Vai de Bolsa!