Entrei numa furada: errei na escolha da pós. O que fazer nessa hora?

0
3

Uma pós-graduação é definitivamente uma das opções mais indicadas para quem procura incrementar o currículo e a carreira acadêmica. Geralmente, também exigem dedicação por parte do aluno, mesmo uma especialização. Por essa razão, a decisão sobre qual pós fazer deve ser certeira. No entanto, nada impede você dizer “entrei em uma furada” após procurar por algum tempo e escolher um curso que não o satisfez. Nessa hora, tenha calma, há atitudes para você transformar o “limão em uma limonada”.

Neste post, nós vamos mostrar o que fazer quando o “entrei em uma furada” foi inevitável. Você precisa verificar por exemplo, como funcionam as opções de cancelamento ou desistência em cada instituição. Ou ainda, analisar se vale a pena fazer uma migração para outro curso semelhante. Antes de tudo isso, vai aprender que pesquisar e pesquisar muito antes de escolher uma pós-graduação é o melhor caminho para evitar arrependimentos.

Fique ligado nas nossas dicas para reverter essa situação e não prejudicar sua carreira profissional e acadêmica por causa de uma pós-graduação mal-escolhida.

Leia também:  E-book grátis ensina como fazer uma transição de carreira. Baixe agora!

Quais os tipos de pós-graduação

Para prevenir qualquer tipo de situação indesejada, em outras palavras, o “entrei em uma furada”, o primeiro passo é conhecer quais as modalidades de pós-graduação. Isso porque isso pode dizer muito sobre se a sua escolha foi acertada ou não.

Em resumo, é sabido que um profissional com título de pós-graduação tem até 50,17% mais de chances de aumento salarial ou promoção de cargo no Brasil. Esse levantamento foi feito pela Catho. Ou seja, mais uma razão para você não errar na escolha do seu curso de pós-graduação. Dessa forma, favorecer o crescimento da sua carreira.

Antes de escolher, confira qual o curso de pós-graduação se encaixa mais no seu perfil.

Pós-graduação Latu Sensu

O Latu Sensu é um programa de pós-graduação mais procurado por conta do número maior de ofertas de cursos. Além disso, também em virtude da duração do curso, um pouco mais curta em relação às demais modalidades, o que facilita a subida na ascensão profissional. Em média, duram de um a dois anos. Outra característica marcante são as disciplinas mais voltadas para a parte prática, com mais identidade ao mercado de trabalho.

Podem ser presencias, a distância ou semipresenciais. Dentro do Latu Sensu, podemos encontrar os seguintes tipos de cursos:

  • Aperfeiçoamento: Voltados à capacitação mais específica de algo demandando pelo mercado de trabalho. São cursos mais rápidos e práticos, para aplicar imediatamente na empresa na qual você trabalha. Ou, ainda, para conseguir uma vaga de emprego específica. Nesse caso, a carga horária mínima é de 180 horas, duração de 6 meses a 1 ano.
  • Especialização: O objetivo aqui é aprofundar os conhecimentos em uma área. Na maioria dos casos, é voltado a profissionais com uma certa bagagem no mercado de trabalho. Mas não há impedimento que seja feito por recém-formados ou para quem procura mudar de carreira. A titulação é de especialista e a carga horária mínima é de 360 horas. Duração de 12 a 18 meses.
  • Master Business Administration (MBA): É indicado para quem procura aprimorar seus conhecimentos em gestão, com foco em negócios e administração. O curso oferece disciplinas que trabalham conteúdos estratégicos para quem quer trabalhar na área de gestão. A carga horária mínima é de 360 horas.

Leia mais: Cursos de Gestão: conheça os cursos na área

Pós-graduação Stricto Sensu

Se você pensou em “entrei em uma furada” ao escolher um curso de pós-graduação, esperamos que não seja um Stricto Sensu. Nessa modalidade estão os programas de mestrado e doutorado. São capacitações com a parte teórica mais densa, com foco na carreira acadêmica. Ou seja, o foco objetivo aqui é para quem quer ministrar aulas ou trabalhar com pesquisa científica.

Porém, temos que citar o mestrado profissional, cujo objetivo é realizar pesquisas voltadas a temáticas e problemas práticos do mercado de trabalho. Para fazer uma pós-graduação stricto sensu, é fundamental o domínio da língua inglesa (muitos livros consultados estão nesse idioma), além de pelo menos meio período do seu dia para se dedicar ao curso.

Um mestrado pode durar até 3 anos e o doutorado até 5 anos.

Leia mais: Você sabia que é possível fazer um mestrado online?

Tipos de mestrado

  • Mestrado acadêmico: Quem opta por essa modalidade precisa elaborar, apresentar e defender uma dissertação. Em outras palavras, é um trabalho dentro de uma linha de pesquisa que reunirá ampla referência bibliográfica. Você poderá contestar ou ampliar pontos de vista.
  • Mestrado profissional: É uma opção para quem se encontra no mercado de trabalho e busca transferir o conhecimento técnico-científico para uma situação prática. Esse programa está mais alinhado às demandas das empresas e corporações. Também é necessário fazer uma dissertação. Desses trabalhos, muitas vezes saem grandes soluções para problemas do universo empresarial.

Tipos de doutorado

  • Doutorado: Pesquisa científica com grau amplo de aprofundamento. É pautado na defesa de uma tese, que pode gerar uma inovação a determinado setor ou campo de estudo. É um dos últimos degraus da carreira acadêmica.
  • Doutorado profissional: Semelhante ao mestrado profissional, tem como foco a formação de pesquisadores para o mercado de trabalho. Desses programas saem teses inovadoras, que melhoram procedimentos, sistemas e resultados em geral das organizações.

Leia mais: Existe doutorado EAD? Leia mais aqui

Como escolher a pós-graduação ideal

Agora que você já conhece a fundo as modalidades de pós-graduação, fica um pouco mais fácil de escolher a que se encaixa melhor no seu perfil. E, assim, evitar ingrato “entrei numa furada”. Para ajudar ainda mais na escolha, é preciso também responder a algumas perguntas:

  • É a hora certa de fazer uma pós? Em alguns casos, uma pós-graduação pode atrapalhar mais do que ajudar, pois exige dedicação. Portanto, avalie bem esse aspecto
  • Você tem tempo disponível? Como pode perceber, uma pós requer pelo menos seis meses, no caso de aperfeiçoamento, para ser concluída. E no caso de dourado, até 5 anos. É preciso verificar se você conseguirá montar uma rotina de estudos que se adapte a sua vida.
  • Qual a sua experiência na área? O ideal é ingressar numa pós-graduação com um certo tempo de bagagem profissional, para ter experimentação prática. E, assim, alcançar melhores resultados. Porém, isso não é regra.
  • Por que você quer fazer uma pós? Se for apenas para incrementar seu currículo, é preciso avaliar bem. Em certas áreas, a experiência estritamente prática, por meio de cursos técnicos, é mais indicada, por exemplo.

Avalie também a instituição

Ao escolher uma pós, é importante também verificar a reputação da instituição de ensino. Cabe no seu bolso? Quais são os horários oferecidos? A instituição é reconhecida pelo MEC? Qual a nota do curso? Há possibilidade de bolsas? Essas são algumas das perguntas que devem ser respondidas ao escolher uma instituição de ensino.

Leia mais: Veja como conseguir bolsa na pós-graduação

Evite o “entrei numa furada”!

Se mesmo cumprindo essas etapas de escolha você não estiver satisfeito com o curso de pós-graduação escolhido, verifique na instituição como funciona o cancelamento e a desistência. É interessante também consultar se há outros cursos com parte da grade curricular similar. Com isso, talvez seja possível validar disciplinas caso você opte por fazer outro curso nessa ou em outra instituição. É uma alternativa.

Boa sorte na sua decisão!

Acompanhe mais informações sobre cursos, capacitações e mercado de trabalho no blog Vai de Bolsa.