Estrutura da redação Enem

Estrutura da redação Enem: entenda como montar um texto nota 1000

  • Enem
  • 25/set/19
  • por Beatriz Bento

Muita gente diz que não sabe escrever bem e boa parte dessas pessoas acredita que a escrita é um dom natural. Quase uma iluminação divina. Mas isso não é totalmente verdade, principalmente quando o assunto são textos dissertativos-argumentativos, como os do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Nesse caso, o maior segredo, na verdade, está em dominar a estrutura da redação do Enem.

Então acompanhe este artigo até o final e veja como funciona o passo a passo de uma dissertação nota 1000!

Leia também: Séries redação Enem 2021: dicas para assistir antes de fazer a prova

Como é a estrutura da redação do Enem nota 1.000

A prova do Enem exige um texto dissertativo, então para tirar uma boa nota você precisa seguir uma estrutura com introdução, desenvolvimento e conclusão. Essas três partes são fundamentais para uma boa dissertação e também ajudam a estruturar suas ideias e argumentos. 

Vamos começar então falando um pouco de cada uma delas? Confira o passo a passo da estrutura da redação do Enem!

Introdução

Na introdução, o autor precisa apresentar o tema da discussão e suas principais ideias sobre o assunto, de forma breve. Aqui, é fundamental prender a atenção do leitor com um toque de criatividade, mas sem deixar de ser objetivo. Afinal, estamos falando da estrutura da redação do Enem, não um romance!

Mas isso não significa que a literatura não seja uma ótima fonte de inspiração para as suas introduções. Ler, sejam livros ou artigos jornalísticos, ajuda bastante a compreender formas de fisgar o leitor e iniciar sua argumentação. 

A seguir, você vai ver um exemplo de introdução retirado de um texto que ganhou nota máxima no Enem. Ela foi retirada do Manual de Redação do Enem 2018, elaborado pelo INEP, e aborda os desafios para a formação educacional de surdos no Brasil.

Exemplo de introdução nota 1000

Na introdução acima, você pode ver que a autora introduziu o tema, articulando seus conhecimentos gerais sobre a Lei da Acessibilidade e colocando já sua tese (de que o direito de pessoas surdas estudarem é desrespeitado).

Mas atenção! A tese não é o mesmo que o tema. Ela representa um posicionamento do autor, que será defendido nos parágrafos seguintes com argumentos claros e objetivos. 

O que evitar na introdução?

Além dos bons exemplos, é importante falar também sobre o que você não deve fazer, certo? Na introdução, não é uma boa ideia misturar assuntos e apresentar questões que não serão abordadas mais para frente. Tente focar na sua tese principal e apresentar um resumo dos seus argumentos mais importantes.

Leia também: Redação do Enem 2021: veja exemplos de nota mil e o passo a passo

Desenvolvimento

Depois de construir uma boa introdução, você precisa se preocupar com os parágrafos de desenvolvimento. Nesta parte do texto, o autor deve apresentar os argumentos para defender a tese trazida no início. 

Para isso, vale escolher dois ou três argumentos fortes e desenvolvê-los de maneira progressiva, aprofundando cada vez mais as questões. 

Uma boa sugestão nessa parte da redação é reservar um parágrafo por ideia. Assim, você evita misturar as informações ou escrever um desenvolvimento confuso. Além disso, tente apresentar também o ponto de vista contrário ao seu e explicar por que, na sua opinião, ele está incorreto. 

Confira o exemplo a seguir e veja como você pode fazer um bom desenvolvimento, seguindo a estrutura da redação do Enem.

Exemplo de desenvolvimento nota 1.000

No exemplo citado acima, a autora trouxe duas ideias principais para defender sua tese (de que a educação é um direito para pessoas surdas que é desrespeitado). Primeiro, ela fala sobre a educação como direito. Depois, explica por que ele não é cumprido no Brasil. Dessa forma, desenvolve seu raciocínio de maneira organizada e sem enrolação. 

Além disso, vale destacar a bagagem teórica da autora. Ao citar pensadores como Hannah Arendt e Pierre Bordie, ela articula conhecimentos de diferentes áreas e reforça a autoridade dos seus argumentos. Esses dois pontos são bastante valorizados na correção do Enem, principalmente porque essa é uma das competências esperadas do participante da prova.

O que evitar no desenvolvimento?

Nos parágrafos de argumentação, evite repetições de ideias e conceitos. Tente escrever de maneira concisa e direta. Se necessário, utilize exemplos, mas lembre-se: eles devem ser representativos. Não adianta narrar eventos pessoais ou situações muito específicas. 

Conclusão

Na parte final do texto, você precisa amarrar os argumentos apresentados e levar uma proposta de solução.

Afinal, a estrutura da redação do Enem exige que o candidato leve sugira uma intervenção na questão tratada. Essa é uma das competências avaliadas e leva em conta a capacidade de articular situações cotidianas e solucionar problemas. 

No exemplo a seguir, você confere como a candidata nota mil conseguiu fazer isso.

Exemplo de conclusão nota 1.000

Na conclusão acima, podemos ver que a autora não repetiu de forma cansativa as ideias já apresentadas. O que ela fez foi retomar os tópicos abordados, relacionando com duas propostas de intervenção. 

O que evitar na conclusão

Na parte final do seu texto, é importante evitar novas ideias ou conceitos. Aborde apenas aquilo que já foi tratado, de forma a fechar a redação. Além disso, evite perguntas que não foram respondidas anteriormente. O que está óbvio na sua cabeça pode não estar tão explícito no texto, deixando a frase sem sentido ou abrindo outros debates que você não vai conseguir explorar. 

Ficou com vontade de exercitar a estrutura da redação do Enem? Então confira nosso artigo sobre os temas da redação do Enem e veja como você pode se preparar melhor para a prova!

Tags:
  • Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *