A evasão escolar acontece quando o estudante deixa de frequentar a escola, ou seja, é um abandono escolar. O senso comum diz que muitos alunos não completam os estudos pois precisam trabalhar. Porém, essa não é a realidade mais comum vista nas escolas do Brasil.

Cenário atual da Evasão Escolar no Brasil

Segundo o levantamento realizado em 2017 pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a maior taxa de evasão escolar se encontra no ensino médio.

A taxa de evasão escolar vai aumentando durante a vida letiva dos alunos. Nos anos iniciais de estudo (1º ao 5º ano), a taxa corresponde a apenas 0,8%, enquanto que nos anos finais (6º ao 9º) a taxa sobe para 2,7% e no ensino médio ela dá um salto para 6%.

Dentro do ensino médio, a maior taxa se concentra no primeiro ano, com cerca de 226.340 abandonos, o que corresponde a 7,8%. Além disso, a taxa de reprovação deste ano também é a maior, com 15,8%, o que representa cerca de 458.483 estudantes.

É importante saber que taxas acima de 5% indicam a necessidade de definir estratégias para conter o avanço da evasão.

Enquanto que taxas acima de 15% representam que é preciso intervir no trabalho pedagógico o mais rápido possível. Isso porque significa que muitos estudantes estarão fora das salas de aula.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Banco Mundial, cerca de 52% dos jovens de 19 a 25 anos deixam as salas de aula devido à falta de interesse.

Normalmente o estudante começa faltando esporadicamente, e depois, acaba abandonado a escola.

Outro dado alarmante apresentado pela pesquisa diz que 43% da população brasileira acima dos 25 anos não completou o ensino médio.

Ao analisar os estudantes de 15 a 17 anos, é possível identificar que 25% dos brasileiros nesta faixa etária abandonam os estudos anualmente.

Analisando os estudantes dentro das salas de aula, é possível saber que cerca de 62% dos estudantes não estão no ano adequado à sua idade.

Conheça as principais causas da evasão escolar

1. Distância

A distância costuma ser um fator decisivo para a evasão escolar. Isso se dá principalmente na educação infantil ou nos primeiros anos do ensino fundamental.

Essa situação se agrava ainda mais na zona rural. Isso porque, a oferta de escolas públicas na zona rural é ainda menor.

Dessa forma, percorrer distâncias longas para chegar à escola, pode ser difícil para famílias na zona rural, ou famílias que não se encontram em uma posição econômica privilegiada.

Muitas vezes os pais precisam ir trabalhar, em vez de acompanhar os filhos no trajeto para a escola.

2. Desinteresse

Esta é uma das principais causas de evasão escolar nos últimos anos do ensino fundamental e no ensino médio.

Segundo a pesquisa do Banco Mundial, a evasão escolar por desinteresse acontece com grande frequência até mesmo em classes sociais onde o estudante não possui a necessidade de trabalhar para auxiliar a família nas despesas.

A causa do desinteresse pode se dar pela falta de modernização do ensino brasileiro. Muitos estudiosos e até mesmo profissionais da área da educação consideram atrasado o modelo onde os alunos sentam enfileirados na sala de aula, enquanto o professor ministra o conteúdo na frente.

Se faz necessário uma mudança nos moldes da educação, para que os alunos fiquem interessados, e então frequentem mais as aulas.

3. Situação econômica

Outra causa muito comum para a evasão escolar é a situação econômica do aluno. Muitas vezes, o estudante opta por trabalhar para conseguir ajudar no sustento da família em vez de continuar frequentando a sala de aula.

A inserção precoce dos jovens no mercado de trabalho faz com que eles não consigam dar conta dos estudos e do trabalho ao mesmo tempo. Ao colocar na balança, o estudante prefere optar pelo trabalho, mesmo que com um salário baixo.

Porém, essa escolha faz com essa situação se agrave cada vez mais. Com a falta do término no ensino médio, o currículo deste profissional tende a ser desvalorizado no mercado de trabalho.

Consequências da evasão escolar

A evasão escolar traz consequências para o aluno, mas também para a sociedade como um todo. Pois, quanto menos estudantes completam os estudos, menos profissionais qualificados vão para o mercado. Isso pode afetar negativamente a economia do país. Além disso, a situação alarmante de evasão escolar, só contribui com o aumento da desigualdade social.

Para o estudante, algumas consequências como a dificuldade de colocação no mercado de trabalho é algo iminente.

Isso se dá pois, sem o certificado de conclusão do ensino médio, o jovem tende a não conseguir vagas de emprego com salários bons.

Sem capacitação, o jovem fica fadado a não conseguir empregos bons, devido a sua falta de formação. Quem precisa de dinheiro para sustentar a família, ou filhos, costuma recorrer para a jornada dupla de trabalho, ficando praticamente sem tempo para uma capacitação, ou até mesmo para voltar a estudar. Dessa forma, os jovens criam uma grande dependência financeira do trabalho.

Porém, alguns jovens, buscando mudar a situação onde se encontram, tendem a voltar tardiamente para as salas de aulas.

Sendo assim, é muito comum encontrar jovens de mais de 20 anos cursando o ensino médio em escolas públicas, com o intuito de mudar essa situação profissional e buscar oportunidades melhores. 

O que fazer para evitar a evasão escolar?

Hoje a escola possui um grande poder e responsabilidade de evitar a evasão escolar.

Escolas com uma gestão eficiente tendem a ter uma taxa de evasão menor. Isso porque, instituições que fazem uma boa gestão dos seus recursos costumam ter estruturas melhores para os professores e alunos.

Além disso, possuem um acompanhamento pedagógico mais próximo, evitando eventuais abandonos por baixo desempenho.

A escola também deve manter uma proximidade com as famílias de seus alunos. Principalmente em casos de alunos com baixa frequência ou desempenho.

Aliar-se à família do estudante, para entender melhor a situação que está ocorrendo e traçar juntamente com seus parentes um plano para trazer o aluno de volta às salas de aula é um bom caminho.

Também é importante orientar a família sobre as possíveis dificuldades que o jovem pode enfrentar por não ter concluído o ensino médio.

Uma solução estrutural para diminuir a evasão escolar, seria a ampliação do ensino integral. Deixando o aluno por mais tempo na escola, com mais atividades além da sala de aula, como cursos profissionalizantes ou atividades esportivas pode ser uma boa saída para diminuir a evasão escolar.

Essa é uma das propostas da Reforma do Ensino Médio, que aos poucos começa a ser implementada na escola. Neste outro artigo explicamos quando e como estas mudanças irão acontecer.

Continue acompanhando notícias sobre o ensino médio no Blog Vai se Bolsa!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui