Cadastre-se
Cadastre-se e receba dicas, descontos, notícias e informações sobre o mundo da educação!
faculdade de terapia ocupacional

Faculdade de Terapia Ocupacional: tudo sobre o curso

Você já ouviu falar na faculdade de Terapia Ocupacional? Esse curso superior é um dos menos lembrados quando falamos sobre a área da saúde. Apesar disso, vem ocupando um papel cada vez mais importante na sociedade, principalmente no que diz respeito a reabilitação.

Quem se forma na faculdade de Terapia Ocupacional transforma-se em um profissional qualificado para lidar com aspectos da saúde. Esses aspectos podem ser das mais diversas áreas, desde a motora até a social. O lado psicológico do paciente também não é deixado de lado, já que é tão importante quanto o aspecto físico.

Para saber um pouco mais sobre o curso, continue acompanhando o artigo. Falaremos, entre outras coisas, sobre as disciplinas da graduação e o mercado de trabalho, confira a seguir!

Leia também: Como construir uma ótima carreira na saúde sem fazer medicina?

Bolsa ENEM
👉 Estão abertas as inscrições para o VESTIBULAR Estácio que está chegando com 70%* de desconto em todo curso.

A faculdade de Terapia Ocupacional

Como já mencionamos, a faculdade de Terapia Ocupacional é da área da saúde. Quer saber mais sobre esse curso que vem ganhando notoriedade em todo o país? Continue lendo.

Diretrizes do MEC sobre o curso de Terapia Ocupacional

Antes de abordar mais detalhes, vamos mostrar quais são as diretrizes do MEC (Ministério da Educação) para esse curso:

  • Conhecer os fatores sociais, econômicos, culturais e políticos da vida do país;
  • Reconhecer a saúde como direito e atuar de forma a garantir a integralidade da assistência;
  • Compreender as relações saúde-sociedade e as relações de exclusão-inclusão social, assim como participar da formulação e implementação das políticas sociais;
  • Utilizar o raciocínio terapêutico ocupacional para analisar a situação na qual se propõe a intervir;
  • Conhecer os fundamentos históricos, filosóficos e metodológicos da Terapia Ocupacional e seus diferentes modelos de intervenção.

Duração do curso de Terapia Ocupacional

A faculdade de Terapia Ocupacional tem sua grade curricular organizada de forma a dividir suas disciplinas em oito blocos. Esses oito semestres, se forem cumpridos da melhor forma possível, determinam a duração mínima do curso: quatro anos.

Quem não conseguir completar o curso nesse tempo, independente do motivo ser falta de tempo, de recursos financeiros, ou por reprovação em alguma disciplina, tem o dobro do tempo para concluir o curso no seu período máximo, que é de oito anos.

Leia também: Curso gestão em saúde: descubra qual o melhor para você

Grade curricular

É impossível falar sobre a duração do curso sem pensar na grade curricular.

Bolsa ENEM

Você sabia que pode conseguir uma bolsa de até 60% no curso todo na Estácio com a sua nota do ENEM dos últimos 5 anos? Confira aqui o valor da sua bolsa e economize na graduação! 🎓

Preparamos uma lista com diversas disciplinas da faculdade de Terapia Ocupacional para você conhecer. Isso não significa que todo curso de Terapia Ocupacional vai contar exatamente com todas essas disciplinas, mas a lista funciona como um parâmetro para quem gostaria de ter uma ideia de algumas das disciplinas com as quais vai se deparar quando começar o curso.

A estrutura da grade curricular pode variar de acordo com a instituição de ensino. Por isso, fizemos a lista em ordem alfabética.

Algumas das disciplinas do curso:

  • Anatomia Humana
  • Atividade e Recursos Terapêuticos: Artes e Artesanato
  • Atividades e Recursos Terapêuticos
  • Bioestatística
  • Bioética
  • Cinesiologia nas Ocupações Humanas
  • Comunicação e Expressão
  • Desenvolvimento Humano: Adulto e Idoso, Infância e Adolescência,
  • Desenvolvimento Pessoal e Trabalhabilidade
  • Empreendedorismo
  • Estágio Supervisionado
  • Ética e Cidadania
  • Fisiologia Humana
  • Fisiopatologia Humana
  • Fundamentos da Terapia Ocupacional
  • Fundamentos Sócio Antropológicos
  • Gestão e Gerenciamento de Serviços
  • Introdução a Prática Profissional
  • Língua Brasileira de Sinais – Libras (disciplina Optativa)
  • Metodologia da Pesquisa
  • Métodos e Técnicas de Avaliação em Terapia Ocupacional
  • Neurofisiologia Humana
  • Políticas Públicas da Assistência Social
  • Políticas Públicas de Saúde
  • Prática Psicomotora em Terapia Ocupacinal
  • Prática Terapêutica Ocupacional em Contextos Hospitalares
  • Psicologia da Saúde
  • Responsabilidade Socioambiental
  • Saúde Coletiva
  • TCC
  • Tecnologia Assistiva em Terapia Ocupacional
  • Tecnologias em Reabilitação: Órteses, Próteses e Adaptações
  • Terapia Ocupacional em Contextos Educacionais, Contextos Sociais, Geriatria e Gerontologia, Saúde do Trabalhador, Saúde funcional, entre outras
  • Trabalho de Conclusão de Curso
  • Tópicos Integradores – (terapia ocupacional)

Mercado de trabalho após a faculdade de Terapia Ocupacional

O mercado de trabalho oferece diversas oportunidades para quem concluir a faculdade de Terapia Ocupacional. Conheça, a seguir, algumas das principais áreas de atuação.

Reabilitação

Muitas vezes o trabalho com reabilitação é o primeiro exemplo que vem à cabeça quando se pensa em terapia ocupacional. Isso se justifica pelo fato desse profissional conseguir aliar a recuperação física com o suporte emocional ao paciente.

Para pacientes que sofreram acidentes graves e têm sequelas, o terapeuta ocupacional é fundamental. Além de atuar na recuperação física, adaptar o ambiente e trabalhar com o trauma sofrido podem mudar a vida dos pacientes. Quanto melhor for o processo de recuperação, maior a chance da pessoa voltar a ter sua vida como era antes.

Os terapeutas ocupacionais também atuam no tratamento de pessoas com deficiência. Quanto mais no começo da vida a terapia começa, maior a chance de atingir resultados significativos. Além de tratar as questões físicas relacionadas à deficiência, os terapeutas também tem papel importante na integração das pessoas aos ambientes.

Preparar essas pessoas para uma vivência saudável em casa, na escola e no trabalho pode ser um fator decisivo na qualidade de vida do paciente e também da sua família.

Leia também: Tecnólogo em sistemas biomédicos: união de áreas em favor da saúde

Neonatal

A atuação neonatal é tão delicada quanto a vida dos bebês que precisam do trabalho do terapeuta. Esse trabalho normalmente acontece em uma UTI neonatal e é de extrema importância para o desenvolvimento sensorial, motor e cognitivo do bebê.

Um dos desafios é lidar com equipamentos médicos como tubos e fios. A ideia é fazer com que esses equipamentos não atrapalhem as primeiras experiências da vida dos pequenos pacientes. Dessa forma o terapeuta melhora não só a saúde do bebê, mas a sensação de toda a família nesse momento difícil dentro de uma UTI neonatal.

Educação

Uma das funções do terapeuta na área da educação diz respeito a integração de pessoas com deficiência, como já mencionamos.

Além disso, os terapeutas podem atuar com estudantes que apresentam problemas psicomotores, ou dificuldades similares. Essa atuação normalmente acontece com uma equipe multidisciplinar, que conta com outros profissionais da área da educação e da saúde.

Gerontologia

Além de ser importante nos primeiros anos, o trabalho do terapeuta ocupacional também merece destaque na reta final da vida dos pacientes.

Com os idosos é preciso ter um cuidado especial, principalmente com aqueles que tiveram uma vida saudável. Pacientes que não estão acostumados a fazer tratamentos ou receber ajuda, seja de profissionais ou de equipamentos, podem criar bloqueios nesse momento de transição.

Ou seja, lado psicológico também merece atenção na adaptação do idoso para as tarefas cotidianas. O sucesso dessa adaptação e da incorporação dos novos hábitos passa pela competência do terapeuta ocupacional.

Leia também: Gerontologia: conheça a profissão do futuro na área da saúde

Reintegração social

Outro importante papel do terapeuta ocupacional é atuar com a reintegração social. Nessa função os pacientes não são categorizados pela idade, mas normalmente pela condição social desfavorável.

Entre os exemplos de pacientes estão ex-presidiários, pessoas em situação de rua, vítimas de algum tipo de condição extrema e usuários de drogas. Mas talvez o mais importante dessa área de atuação seja o trabalho com crianças em situação de pobreza extrema.

Ajudar para que essas pessoas tenham visibilidade e condições de participar da sociedade de maneira convencional é um dos principais trabalho dos terapeutas ocupacionais mais voltados para causas sociais.

Salários para quem trabalha com Terapia Ocupacional

Como em diversas outras áreas do mercado, a remuneração de quem faz faculdade de Terapia Ocupacional pode variar bastante. Além da experiência, outros fatores como tamanho da empresa e região do país podem influenciar essa diferença.

No começo de carreira e atuando em uma empresa pequena, é normal que o terapeuta tenha um salário de aproximadamente R$ 2 mil reais. Mas conforme ganha experiência e desenvolve sua carreira, o profissional aumentar significativamente a sua remuneração.

Com 10 anos de carreira, ainda antes da metade da carreira, é possível ganhar aproximadamente o triplo do valor inicial, chegando perto dos R$ 6 mil.

Concursos públicos

Como é uma área relativamente nova, muitos lugares ainda não abrem vagas em concurso público para terapeuta ocupacional. Mas quando abrem, os salários costumam variar aproximadamente entre R$ 2 e 4 mil.

Empreender

Aproveitando que o mercado ainda é relativamente tímido, muitos profissionais optam pelo caminho do empreendedorismo. Abrir suas próprias clínicas especializadas é uma das alternativas com melhor retorno financeiro.

Normalmente essas clínicas também contam com outros profissionais parceiros como, por exemplo, das áreas da psicopedagogia, fisioterapia e fonoaudiologia.

Gostou das dicas sobre a faculdade de Terapia Ocupacional?

Esperamos que você tenha gostado de conhecer mais detalhes sobre a atuação do profissional que faz faculdade de Terapia Ocupacional. Se você conhece alguém que pode ter interesse nessa profissão, compartilhe esse texto!

Para seguir acessando conteúdo de qualidade sobre mercado de trabalho, bolsas, cursos, ensino e carreira, continue acompanhando o blog Vai de Bolsa.

Tags:
  • Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *