filosofia

5 assuntos de filosofia que você precisa saber para o Enem

  • Enem
  • 20/out/19
  • por Aline Almeida

Você sabia que precisa estudar filosofia para passar no Enem e nos vestibulares? As questões de filosofia aparecem junto à prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias no primeiro dia de provas do Enem.

Para estudar para o exame, é necessário que o candidato tenha bastante habilidade em ler e interpretar textos. E para o estudo da filosofia, esses atributos são fundamentais. Por esse motivo é importante que o estudante leia muito e de forma contínua. Só lê e interpreta bem quem tem o hábito de leitura.

Deve-se saber também que, como as questões do Enem são multidisciplinares, pode ser que seja pedido algo sobre o assunto no meio de outra matéria. Principalmente em se tratando de atualidade. Muitas vezes o assunto abordado é associado com alguma questão filosófica.

E o que estudar sobre filosofia para o Enem? Segundo o site Educa + Brasil, esses são os 5 principais assuntos que caem na prova de filosofia do exame:

Ética e Justiça

Ética é uma área da filosofia voltada para a reflexão sobre os princípios que direcionam as ações, ou seja, uma discussão sobre a moral.

É um assunto que pode cair até na prova de Biologia, como por exemplo, sobre pesquisas genéticas. Ou pode aparecer dentro de alguma questão de história ou geografia, inserida em algum contexto social atual.

Outros temas recorrentes são: senso comum, o conceito de verdade e formação do indivíduo. Ética também pode aparecer como tema de redação.

Natureza do Conhecimento

Teoria do conhecimento (ou epistemologia) é o ramo da filosofia que estuda a capacidade humana de conhecer a realidade.

Os filósofos desta área tentam compreender a origem da natureza e das mudanças. Esses são temas da filosofia antiga. Nesse tema, Platão escreveu em seu livro A República, o Mito ou Alegoria da Caverna, que é bastante pedida na prova do Enem.

Democracia e Cidadania

Segundo o site Significados, cidadania é o exercício dos direitos e deveres civis, políticos e sociais estabelecidos na Constituição de um país, por parte dos seus respectivos cidadãos (indivíduos que compõem determinada nação).

Implica que os direitos e deveres estão interligados, e o respeito e cumprimento de ambos contribuem para uma sociedade mais equilibrada e justa.

A democracia é a garantia de igualdade aos indivíduos e a participação nas decisões políticas por meio de representantes que dão voz ao povo. Para estudar esse tema, deve-se estudar sobre Grécia Antiga.

Filosofia Contemporânea

Surgiu junto com a Revolução Francesa em 1789. A época marca a consolidação do capitalismo e a exploração do homem, causando uma grande desigualdade social.

Porém, abrange principalmente o contexto pós Segunda Guerra Mundial. Surgiram algumas correntes nesse período como a Escola de Frankfurt de onde vieram filósofos como Jurgen Habermas e Theodor Adorno. Segundo o Pro Universidade, “esses pensadores dão grande destaque a sociedade de consumo, a automatização dos meios de produção, a relação do humano com o tempo (tudo é muito efêmero, feito para ser substituído), e como esses fatorem implicam em nosso modo de ser e, consequentemente, de agir socialmente”.

Filosofia Moderna

A filosofia moderna nasceu no século XV junto com a Idade Moderna. Tem como principais vertentes o racionalismo e o empirismo.

Racionalismo é uma corrente filosófica que atribui particular confiança à razão humana, ao passo que acredita que é dela que se obtém os conhecimentos. Já o empirismo, é o contrário. Para o empirismo, o ponto de partida do conhecimento é a própria experiência.

O principal pensador é René Descartes, sendo inclusive o filósofo que mais é cobrado no Enem. Descartes deu início à filosofia moderna quebrando os paradigmas medievais e desvinculando a filosofia da religião. Por esse motivo, Descartes é considerado o pai do racionalismo.

Quais os principais filósofos cobrados na prova do Enem?

Segundo o site Stoodi, que fez uma pesquisa das provas de 2012 até 2016, esses são os 15 filósofos que mais caem nas provas de Enem:

René Descartes

Considerado o pai da filosofia moderna, René Descartes foi um racionalista do século XVII. Criador da frase “penso, logo existo”, era conhecido por seu ceticismo.

Criou os estágios da dúvida: dúvida dos sentidos (devemos duvidar de tudo que nossos sentidos nos informam), dúvida dos sonhos (devemos duvidar do que realmente é realidade) e dúvida do Gênio Maligno (Deus poderia ser um ser maligno que estaria nos enganando acerca da verdade).

Sua obra mais conhecida, Discurso sobre o Método, foi considerada a fundação da filosofia moderna.

Aristóteles

Era discípulo de Platão. Realizou eventos nas mais diversas áreas como física, química e economia.

Para Aristóteles, existem dois mundos: o mundo sensível e o mundo metafísico (onde você encontrará a origem de todas as coisas).

Sua concepção de ética é pautada pelo utilitarismo, ou seja, é preciso encontrar uma ação equilibrada que seja baseada naquilo que trará maior felicidade.

Friedrich Nietzsche

Fez grandes críticas ao pensamento clássico de Platão e Sócrates, principalmente em relação ao mundo das ideias. Defendeu que a verdade, como conceito, não existe.

Para Nietzsche, cada um deveria criar seus valores morais. Criticava muito o cristianismo. Acreditava que o homem deveria ser senhor de si e livre passa fazer suas escolhas e responsável pelas consequências das mesmas.

Nicolau Maquiavel

Segundo entrevista do professor Vinícius Figueiredo Costa para a revista Galileu, é importante para o Enem não ver Maquiavel de maneira autoritária. “A maioria das pessoas entende que ele é um teórico do absolutismo, mas ele é republicano.

A ideia do governo dele é de garantir o bem comum.” Sua obra mais famosa foi “O Príncipe” onde mostra como um príncipe deveria agir diante de seus subordinados.

Sua frase mais famosa é “os fins justificam os meios”.

Immanuel Kant

Era muito interessado em estudar temas como a epistemologia, moral e limites da razão.

Uma de suas principais obras foi “Crítica a Razão Pura”. Foi o primeiro filósofo a solucionar o debate promovido entre racionalistas e empiristas.

Jurgen Habermas

Filósofo que completou 90 anos em 2019, tem como uma de suas obras mais famosas a “Teoria da Ação Comunicativa”.

Seu conceito de democracia pode favorecer processos de inclusão social desde que haja debate livre e racional entre cidadãos e Estado.

Charles de Montesquieu

Se posicionava contra o absolutismo, que era a forma de governo onde o poder se concentrava nas mãos do rei.

É um dos principais Iluministas, sempre fazendo críticas ao clero católico. Defendia a democracia e o respeito às leis. Sua mais conhecida teoria é a da divisão de poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário).

David Hume

Famoso por seu ceticismo filosófico, acreditava que deveriam ser desconsideradas todas as hipóteses que não pudessem ser comprovadas por meio das experiências.

Criticou a casualidade. Para Hume não existe necessariamente uma relação entre acontecimentos seguidos e repetidos diversas vezes.

Émile Durkheim

Considerado um dos pais da sociologia. Fundou a Escola Sociológica Francesa.

Suas principais obras foram: Da Divisão do Trabalho Social, As Regras do Método Sociológico, O Suicídio e As Formas Elementares da Vida Religiosa.

Thomas Hobbes

Criador da frase “o homem é o lobo do homem”. De acordo com ele, os homens possuem uma necessidade de se livrar do seu “estado natural” para se perceber como indivíduos sociais.

Sérgio Buarque de Holanda

Sociólogo brasileiro, pai do cantor Chico Buarque. Durante sua vida, desenvolveu a teoria do homem cordial – na qual resume algumas características da sociedade brasileira.

Max Weber

Usou conhecimentos da área de Direito, Filosofia, História e Sociologia para estudar a sociedade. Após a Primeira Guerra Mundial, Weber foi conselheiro do Tratado de Versalhes e um dos responsáveis por elaborar a Constituição na República de Weimer.

Theodor Adorno

Desenvolvia seus pensamentos com base nos conceitos filosóficos e sociológicos. Escreveu livros como “Filosofia Estética” e “Filosofia da Música Moderna”.

Simone de Beauvoir

Apareceu na prova do Enem em 2015, quando foi levantada a discussão sobre a permanência da violência contra a mulher no Brasil. Nesse texto, encontramos a famosa frase da filósofa “ninguém nasce mulher, torna-se mulher”. Acredita que a mulher não é uma criatura determinada biologicamente, mas sim culturalmente e socialmente.

Karl Marx

Um dos teóricos do socialismo mais conhecido, sendo um dos participantes da Liga dos Comunistas. Falava sobre a luta de classes, baseada nas relações de produção entre os proprietários do meio de produção e os trabalhadores que aplicavam a força de trabalho. Um dos seus principais conceitos foi o de “mais-valia”.

Quer se aprofundar mais no assunto? Confira também o nosso artigo sobre os assuntos que mais caem no Enem.

Tags:
  • Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *