Se você tem vontade de fazer uma faculdade, não passou no vestibular em nenhuma instituição pública e também não tem dinheiro o suficiente para arcar com as mensalidades de uma universidade particular, fazer um financiamento estudantil pode ser uma boa solução. 

Sabemos que mesmo trabalhando, muitas vezes a mensalidade da faculdade é muito alta. Isso impossibilita o sonho da graduação para muitas pessoas. Já com o financiamento, o estudante consegue pagar mensalidades mais leves, que não pesem tanto no bolso. Hoje em dia existem financiamentos privados e também o financiamento público, pelo Financiamento Estudantil (Fies). 

Entenda abaixo o que é um financiamento estudantil e como funciona o financiamento privado ou público. 

Como funciona o financiamento estudantil

O financiamento estudantil, de uma maneira bem simples, funciona como um empréstimo. Sendo assim, o estudante assina um contrato com uma instituição financeira, geralmente um banco, e a instituição realiza o pagamento parcial ou integral das mensalidades da universidade. Já o estudante tem um período mais longo para realizar o pagamento. Em muitos financiamentos o estudante só começa a pagar as parcelas depois da conclusão do curso.

Vale lembrar que cada instituição possui especificidades em seus financiamentos. Sendo assim, a taxa de juros, o prazo para pagar e o valor financiado podem variar. Algumas instituições também pedem um fiador. Ou seja, uma pessoa que irá assumir a dívida, caso o estudante não realize o seu pagamento.

Acompanhe abaixo os principais financiamentos estudantis e como eles funcionam.

FIES e P-FIES – Financiamento estudantil Público

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é um programa do Governo Federal criado em 2001 pelo Ministério da Educação (MEC). O Fies é hoje o programa de financiamento estudantil com o maior alcance no Brasil. Ele foi criado com o objetivo de democratizar a educação superior, levando oportunidades para que estudantes de baixa renda consigam um diploma universitário.

Requisitos do FIES e do P-FIES

O FIES é válido para universidades presenciais e particulares. Para solicitar o financiamento, o estudante deverá estar dentro dos parâmetros de renda bruta familiar do programa. Para conseguir um financiamento estudantil pelo FIES, a renda bruta máxima deve ser de até três salários mínimos por pessoa.

Para quem tem renda familiar de 3 a 5 salários mínimos por pessoa, pode participar do P-FIES. O Programa de Financiamento Estudantil (P-FIES) é uma modalidade recente de financiamento estudantil público. Sua diferença para o FIES é apenas o valor da renda familiar.

Também é necessário que o candidato tenha prestado o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) nos anos anteriores, a partir de 2010. Além disso, o estudante deve ter tirado no mínimo 450 pontos na média geral das provas e uma nota acima de zero na redação.

Como se faz a inscrição

Para se inscrever, o candidato precisa acessar o portal do Fies no período específico de inscrição e responder um formulário socioeconômico. Neste formulário o candidato terá que inserir seu CPF, data de nascimento, e-mail, CPF de todos que fazem parte do seu núcleo familiar e que possuam mais de 14 anos, além da renda bruta mensal de cada integrante da família.

Na inscrição o candidato também deve escolher quais são os três principais cursos que ele quer prestar. Vale lembrar que a escolha é por ordem de prioridade. Lembre-se que é possível alterar as opções de curso apenas durante o período de inscrição. Os candidatos pré-aprovados deverão complementar a inscrição pelo site e posteriormente validar as informações junto à universidade. O próximo passo é assinar o contrato do financiamento no banco.

Pagamento

No Fies, o estudante só começará a pagar as parcelas do financiamento após a conclusão do curso. Geralmente, o valor é dividido em várias parcelas, e número de parcelas depende muito do contrato. O Fies e o P-Fies não cobram juros sobre o parcelamento.

PraValer – Financiamento estudantil Privado

Já o Grupo Cruzeiro do Sul Educacional, por exemplo, possui o Crédito Universitário PraValer. Este financiamento pode ser usado para financiar cursos de graduação, pós-graduação e MBA, tanto na modalidade presencial, quanto no Ensino à Distância (EaD). Este é um grande diferencial do PraValer, pois hoje em dia muitas pessoas que trabalham ou não possuem condições para cursarem uma universidade presencial optam por cursos a distância.

Com o PraValer, o estudante pode realizar o pagamento de um semestre em até 12 parcelas mensais. Sendo assim, se o estudante parcelar todo o curso, e a duração dele for de 4 anos, o estudante terá 8 anos para realizar o pagamento de todas as mensalidades.

Outro diferencial do PraValer é que a instituição não exige a realização do Enem, também não é necessário ter um fiador. Os juros do financiamento vão de 0% a 2,19% ao mês, dependendo do curso e da universidade escolhida. Além disso, todo o processo de realização do financiamento é feito pela internet, de maneira simples e rápida.

Creducsul – Financiamento Privado

O financiamento da Creducsul pode ser utilizado pela Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL) e também por diversas outras instituições que fazem parte do grupo Cruzeiro do Sul Educacional, como o Centro Universitário do Distrito Federal (UDF), a Universidade de Franca (UNIFRAN) e a Universidade Cidade de São Paulo (UNICID). O programa visa financiar 50% das mensalidades do curso inteiro, sem juros, e o estudante só começa a pagar depois da conclusão do curso.

Assim como o PraValer, o  Creducsul não cobra a realização do Enem para seus candidatos. Porém, é necessário que o candidato se encaixe no perfil socioeconômico determinado pelo programa.

A inscrição é feita pelo site da faculdade. Após isso, deverá ser apresentados documentos como RG, CPF, holerite e comprovante de residência. Como este financiamento necessita de fiador, é necessário que seja apresentado todos os documentos citados acima do estudante e também do fiador. No ato da assinatura do contrato, o fiador também deverá estar presente.

PEP – Financiamento Estudantil Privado

O PEP, ou Programa de Financiamento Privado, é oferecido por universidades que fazem parte do grupo Kroton, assim como a Anhanguera e a Pitágoras, de Minas Gerais.

Assim como os demais financiamentos privados levantados acima, o PEP não possui juros. Também não é necessário a realização do Enem para garantir o seu financiamento. Com este programa é possível financiar até 70% do curso e não é preciso ter conta no banco.

O PEP conta com três tipos de financiamento:

  • PEP 25: 70% do valor da mensalidade é financiado, e o aluno paga apenas 30% da mensalidade;
  • PEP 30: o estudante paga 70% do valor da mensalidade, e o financiamento cobre os outros 30%;
  • PEP 50: o valor da mensalidade é dividido ao meio. Sendo assim o estudante paga metade da mensalidade e a outra metade é financiada.

Em todas as modalidades do PEP o estudante só começa a pagar após a finalização do curso.

Não deixe de estudar por falta de recursos

Como você pode perceber, são muitas as possibilidades de estudar em uma universidade por meio de um financiamento estudantil. A ideia é que você não deixe de buscar sua capacitação por conta da situação financeira delicada.

Uma boa dica é buscar a secretaria acadêmica da sua faculdade para se informar melhor sobre as possibilidades de financiamento do seu curso.

Nesses setores, os funcionários saberão orientar sobre os caminhos para obter uma ajuda financeira para você pagar as mensalidades. Em outras palavras, um dos desafios das universidades é fazer com que seus estudantes sigam no curso até a formatura. Nem que para isso seja necessário uma ajuda, por meio do financiamento estudantil.

É claro que no financiamento estudantil todos saem ganhando: os alunos, as instituições de ensino e também os bancos. É vantajoso para todas as partes. Portanto, não desista do seu sonho de ter um diploma de curso superior por conta de dinheiro. A sua faculdade pode ajudar você nessa missão. Converse também com a sua família para informá-la sobre a possibilidade de financiamento estudantil.

Em suma, gostou das possibilidades de financiamento estudantil abordadas? Então não perca mais nenhuma dica como esta no Blog Vai de Bolsa! Leia também o nosso post sobre bolsas e ajuda de custos que podem te ajudar na faculdade.