Você já parou para pensar qual será o futuro das engenharias? Com a velocidade de informações que os profissionais tem acesso hoje em dia nenhuma profissão será mais a mesma. Com as engenharias não será diferente. São novos métodos, novos materiais, novas necessidades. Já sabemos que essa área não se restringe apenas à Civil e Elétrica, vai muito mais além.

Tudo isso faz com que a procura por novos engenheiros, antenados nas novas tecnologias, aumente ainda mais no futuro. Sendo assim, já pensou em trabalhar nessa área?

Hoje vamos falar mais sobre essas engenharias e o que podemos esperar delas no futuro.

O que esperar sobre o futuro das engenharias?

De acordo com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), existem seis engenheiros para cada grupo de 100 mil pessoas. O ideal, segundo a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), seriam cerca de 25 para cada 100 mil, como acontece em países como Estados Unidos e Japão. Essa escassez de profissionais faz com que haja uma necessidade de formação de novos engenheiros, principalmente dessas áreas que empregam tecnologia. O Brasil já percebeu que a profissão do engenheiro é essencial para o setor produtivo. Desta maneira, o poder público começou a traçar políticas que dependem do conhecimento dos profissionais dessa área. A ideia é aumentar o número de engenheiros e também disponibilizar mais vagas de estágios na área. Com isso, espera-se que os estudantes entrem em contato com a área mais cedo e evitem mudar de planos e procurar outras ocupações.

Há escassez de profissionais nas áreas que empregam tecnologia

Ainda segundo a CNI, dos 40 mil engenheiros que se formam anualmente no Brasil, mais da metade opta pela engenharia civil. Essa ainda é a área que menos emprega tecnologia. Sendo assim, outros setores da engenharia, como o petroleiro, de gás e biocombustível, por exemplo, sofrem com a escassez desses profissionais. E ainda, muitos dos que se formam em engenharia, acabam atuando em outras áreas. Segundo dados da Universidade São Judas, a atividade de mineração, que é uma das que mais tem demanda por engenheiros no Brasil, vai continuar como uma grande fonte de empregos. A exploração de petróleo também tem possibilidade de crescimento. A Engenharia Sustentável e a Ambiental, sua legislação em relação à preservação do meio ambiente, também está mudando o mercado de trabalho. Portanto, investir em uma especialização, como uma pós-graduação, é uma boa estratégia para se adaptar ao futuro das engenharias. É necessário persistir em cursos e capacitações, principalmente os relacionados às áreas de gestão de projetos, processos e negócios.

Engenharias e as novas tecnologias

A inovação tecnologia, crescente dia a dia, é a chave do futuro das engenharias. São novos equipamentos, softwares, materiais otimizados e novas técnicas que influenciarão diretamente o trabalho dos engenheiros. Estar inserido neste contexto e familiarizado com essas novas tecnologias será um diferencial, sejam essas relacionadas ou não à área da engenharia. Principalmente a tecnologia da informação. A utilização de ferramentas e aplicativos tornou-se indispensável na gestão de qualquer negócio. Portanto: mais uma área para você se familiarizar!

Engenharia Sustentável

Já faz um tempo que são exigidas uma série de normas das empresas em relação à sustentabilidade. No futuro, essas exigências serão regra. A Norma Técnica ISO 14001 é uma delas. E o que é essa norma?

NBR ISO 14001

Ela faz parte da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e especifica, além de um sistema de gestão ambiental, uma preocupação com a cadeia de valor e o ciclo de vida de um produto. Ou seja, toda indústria que for produzir algo deve pensar sobre que destino esse produto terá depois de seu uso. Isso faz com que as empresas tenham que investir nesse ciclo e com isso, reduzam o consumo de recursos do ambiente.

E onde entra a engenharia nisso tudo? As empresas acabam demandando profissionais especializados para desenvolver projetos focados no meio ambiente. Esses profissionais de engenharia devem estar preparados para trabalhar com questões envolvendo saneamento, lixo industrial, transporte e reaproveitamento da água.

Muitos são os recursos atuais existentes para esse fim. Algumas invenções já fazem parte do presente dessas engenharias do futuro. Tijolos sustentáveis que não produzem matéria tóxica ao meio ambiente. Telhas solares que utilizam células fotovoltaicas na estrutura. Além de concreto menos poluente com itens reciclados como madeira e vidro.

E como mencionamos anteriormente, o reaproveitamento da água. Para isso existem inúmeros recursos como: aproveitamento de água de chuva para vasos sanitários ou jardins e reutilização de água de chuveiros e/ou máquinas de lavar roupa. Nesse ponto, a Engenharia Ambiental ganha força, já que sua função é justamente a de projetar sistemas ambientalmente corretos. Com certeza é uma área que crescerá muito nos próximos anos. Quem não é especificamente da área também precisa ficar atento à legislação em relação ao meio ambiente para poder se manter no mercado.

Eficiência Energética

O mundo já explora há muito tempo os recursos naturais, sendo muitos deles não renováveis. Saber como lidar com esses escassos recursos é um dos principais desafios para as gerações futuras. Sendo assim, a área de eficiência energética trabalha justamente nesse propósito: descobrir novas soluções para os processos e projetos, pensando no uso racional desses recursos. Para isso, são necessários profissionais capacitados, que possam atuar pontualmente nesse uso racional para que haja uma utilização mais consciente e eficiente dos recursos naturais. Já conhece o curso de Engenharia de Energia?

Multidisciplinaridade profissional

Esse futuro das engenharias exigirá uma multidisciplinaridade profissional. Fazer uma graduação, somente, não será suficiente para os engenheiros. Haverá uma necessidade de especialização em diversas áreas para que o profissional possa oferecer um serviço de qualidade.

É provável que um Engenheiro Civil sentirá necessidade de saber mais sobre Arquitetura e Urbanismo, para que possa lidar melhor com as questões referentes à mobilidade urbana. Ou um Engenheiro Químico terá que entender sobre legislações para que possa atuar de forma mais efetiva na proteção do meio ambiente, por exemplo.

Conhecimentos como empreendedorismo serão fundamentais para qualquer profissional do futuro. Pensar na sociedade e nas pessoas em geral também. Trazer inovação para a comunidade deve ser prioridade.

Outra habilidade que será cada dia mais requisitada é a de lidar com pessoas. Por mais que estejamos cada dia mais lidando com máquinas, saber trabalhar em equipe e ter empatia, são características fundamentais para qualquer tipo de profissional. A palavra de ordem é desenvolvimento profissional.

Tecnologia e realidade virtual

O principal ponto de mudança no futuro das engenharias será, com certeza, a tecnologia. É muito provável que muitos softwares resolverão inúmeros problemas que as empresas possuem hoje e que não tem soluções possíveis.

Hoje já temos ao nosso alcance muitas opções. São programas de gerenciamento de projetos e obras, softwares que fazem com que o cliente possas “entrar” no seu apartamento novo antes mesmo de eles ser construído, entre outros. Isso se chama realidade virtual e com certeza só crescerá com as novas tecnologias.

Também já temos acesso às impressoras 3D. Essas podem imprimir peças que antes ficavam apenas no nosso imaginário. Elas podem contribuir e muito para soluções de indústrias como a construção civil, por exemplo.

Automatização de processos

Totalmente ligado às novas tecnologias, a automatização dos processos é algo que já é uma realidade no Brasil e no mundo. Sendo assim, muitos postos de trabalho já estão sendo eliminados, e muitos outros serão no futuro. Mais um motivo para os engenheiros do futuro investirem em especializações e multidisciplinaridade.

Avanços da biomedicina

Biomedicina é uma graduação da área da saúde que alia, conhecimentos biológicos e médicos. É uma carreira relativamente nova, mas de muita importância em nossa sociedade, pois foi responsável, por exemplo, por controlar várias doenças e epidemias. E o quem a ver com o futuro das engenharias? O Engenheiro Biomédico é aquele profissional que vai projetar, instalar e fazer a manutenção de equipamentos mecânicos e eletrônicos utilizados na biomedicina. Tanto a biomedicina quanto a Engenharia Biomédica, tem uma escassez muito grande de profissionais no Brasil e com certeza, uma área muito grande de atuação e de crescimento, aliados, também, às novas tecnologias disponíveis na área.

Está preparado para o futuro das engenharias?

E você, está preparado para o futuro das engenharias? Continue acompanhando nosso blog para saber muito mais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui