Trabalhar com administração de instituições públicas ou privadas na área da saúde é sempre um desafio. Mas a gestão hospitalar é especialmente complexa. Afinal, muitas coisas estão em jogo: a saúde e a vida dos pacientes, o bom estar da equipe e a segurança do negócio. Equilibrar tudo isso não é fácil. Se você tem afinidade por esse segmento, confira nesse post caminhos para atingir a excelência na gestão hospitalar.

De acordo com estimativas da Fundação Vanzolini, da USP, o setor de saúde desperdiça entre 25% e 30% do valor investido. E esses números valem tanto para a iniciativa privada quanto para a pública. Por isso, atingir uma gestão de excelência nesse segmento é uma dificuldade cotidiana para os profissionais responsáveis. Principalmente para balancear a gestão financeira e o cuidado à vida. 

Mas, neste post, nós vamos dar algumas dicas para otimizar esse trabalho. Assim como mostrar qual o caminho ideal para o profissional que quer se destacar na função e propor melhorias para a clínica ou hospital no qual atua. Uma boa dica para iniciar é procurar cursos de gestão hospitalar em instituições de qualidade, como Estácio e FMU.

Continue lendo e descubra como!

Leia também: Podcast Guia de Profissões: como é a carreira de médico

4 passos para a excelência na Gestão Hospitalar

1 – Conheça o contexto da instituição

O primeiro desafio para o gestor hospitalar está em conhecer bem o contexto da instituição na qual atua. Para isso, é importante contar com a experiência dos profissionais que atuam no hospital há tempos, mas também com a tecnologia. 

Hoje em dia já existem softwares que permitem analisar todo o volume de dados reunido pelo estabelecimento e identificar padrões que envolvem a sazonalidade de atendimentos, internações e procura por certas especialidades. Assim como ajudam a prever surtos epidemiológicos, por exemplo.

É um trabalho de Business Intelligence (BI), no qual você pode precisar da ajuda de outros profissionais especializados, como cientistas de dados, ou então de um sistema moderno. 

Mas a verdade é que o investimento na contratação desses estudos vale a pena. Pois eles podem ser usados para garantir o planejamento da equipe, compra de materiais mais baratos em determinadas épocas do ano, assim como a melhor negociação com os planos de saúde. 

2 – Procure melhorar o atendimento 

Outro fator importantíssimo na gestão hospitalar é o atendimento. Afinal, é para satisfazer os pacientes que o hospital existe e, sem eles, não é possível continuar funcionando. 

Em primeiro lugar, treine bem os profissionais da recepção, pois esse é o primeiro contato que a maioria das pessoas tem com o estabelecimento. Produza cartilhas e dê cursos frequentes de reciclagem para a equipe e aposte no cuidado como principal ativo do time. 

Também procure implementar processos no acolhimento do paciente e busque otimizar o tempo de espera com a implementação de softwares de gestão em saúde. Eles agilizam a recepção e permitem que a distribuição do atendimento seja feita de maneira segura, justa e transparente. 

Além disso, garanta que os familiares estão recebendo todas as informações necessárias e que o paciente e seus acompanhantes estejam instalados de maneira confortável.

3 – Invista em planejamento

No primeiro tópico, você viu a importância de conhecer bem o contexto do hospital ou clínica na qual você trabalha. Mas toda essa informação precisa ser aplicada com planejamento. 

Caso contrário, a equipe vai ter muito mais dificuldade de implementar mudanças e otimizar processos. Assim como o financeiro pode enfrentar sérios problemas para fechar as contas em momentos de crise. 

O ideal é fazer um planejamento periódico e rever quais objetivos foram escolhidos de tempos em tempos. 

Quer ver um exemplo? Muitos gestores veem os lucros da instituição subindo e acreditam que está na hora de expandir a estrutura. Mas eles não calculam quanto vão gastar a mais com essa expansão e acabam com dívidas intermináveis. 

Nesse caso, um bom planejamento financeiro teria evitado o problema. 

Leia também: Série profissões do futuro: inovação e tecnologia

4 – Estabeleça indicadores de desempenho

Além de analisar, planejar e cuidar do atendimento que está sendo oferecido, você precisa também ter controle para saber se tudo está andando como deveria.

Mas um bom gestor não é aquele que está o tempo todo atrás dos funcionários, microgerenciando cada etapa. Até porque no hospital isso é quase impossível. São muitas situações delicadas acontecendo e muito conhecimento técnico necessário para acompanhar tudo. 

O ideal nesses casos é estabelecer indicadores de desempenho para cada área. Assim, fica mais fácil saber se tudo está indo como deveria e se o atendimento oferecido aos pacientes é tão bom quanto deve ser!

Dicas para o profissional que quer se destacar na área

Mas como um profissional pode dar conta de tudo isso? A solução, muitas vezes, está em uma formação de qualidade! Ainda existem muitos graduados em outros segmentos, como Administração, Contabilidade e até Medicina cuidando da gestão hospitalar. 

Isso não é necessariamente um problema, afinal, cada área do conhecimento contribui de uma forma para o bom andamento de um negócio. 

Porém, existem questões específicas do hospital, assim como práticas e tecnologias que são voltadas especificamente para a administração de estabelecimentos da saúde. 

Por isso, o ideal é que o responsável pela instituição tenha uma formação sólida em Gestão Hospitalar, seja com um curso técnico, tecnólogo ou pós-graduação.

Como é o curso de Gestão Hospitalar?

Técnico em Gerência da Saúde

No nível médio, existe o curso técnico em Gerência da Saúde, que também pode receber o nome de Administração Hospitalar, Gestão de Serviços de Saúde, entre outros. Ele tem duração média de um ano e meio e matérias bastante focadas na prática profissional. 

Leia também: Conheça 6 cursos técnicos na área da saúde

Tecnólogo em Gestão Hospitalar

Já na graduação, existem o Tecnólogo em Gestão Hospitalar, com uma duração um pouco maior e formação mais abrangente. 

Ele dura entre dois e três anos e possui tanto disciplinas mais gerais (como Matemática Financeira, Contabilidade e Gestão de Pessoas) quanto aquelas mais focadas na saúde (Gestão de Contratos e Convênios, Gestão de Equipamentos e Suprimentos, Logística Hospitalar, etc).

Entre as instituições que oferecem o curso estão a Estácio e a FMU. Entre no link e confira!

Especialização em Gestão Hospitalar

Por fim, quem já é formado em outra faculdade mas quer se especializar na gestão de hospitais, existe a opção de fazer uma pós-graduação na área. 

Com duração média de um ano, essas especializações podem englobar, além da gestão, temas como marketing hospitalar, vendas e serviços. 

E se você gosta da área, mas acredita que talvez a gestão hospitalar não seja a área que quer seguir, conheça também outros cursos de gestão em saúde no nosso post sobre o assunto!

Acompanhe mais informações sobre cursos, bolsas, mercado de trabalho e dicas no blog Vai de Bolsa.