idosos na faculdade

Idosos na faculdade: número cresce a cada dia

Há pouco tempo, fazer um curso superior era algo incompatível com o público da terceira idade. Visto como tabu para muitos, o idoso que buscava estudar em uma universidade era considerado como uma exceção à regra. Ou uma pessoa estranha em sala de aula em meio a tantos jovens. Porém, a cada dia se torna mais comum encontrar idosos na faculdade. Alguns optam por fazer uma graduação tradicional, enquanto muitos outros procuram as Universidades da Maturidade. São programas específicos para terceira idade que procura uma formação superior.

O objetivo é buscar novos conhecimentos e experiências. Certamente, para isso, não tem idade! Neste post, nós vamos falar dos benefícios para os idosos que procuram o ensino superior. Além disso, vamos conhecer algumas histórias bem sucedidas de idosos que entraram para a faculdade. Vamos abordar também as opções de ingresso para esse público no mundo da faculdade.

O fato é que o idoso que busca o ensino superior não está atrás apenas de conhecimento. Mas sim de qualidade de vida, novos desafios e exercitar o cérebro e a mente.

Opções especiais para os idosos

Há muitas opções para os idosos que desejam ingressar na faculdade. Os caminhos vão além dos cursos de graduação convencionais. A Universidade Aberta e Universidade da Maturidade são alguns dos nomes dados aos cursos oferecidos exclusivamente para a população idosa. Nesse caso, a faixa etária dos estudantes costuma ser de 40 a 80 anos. Além disso, não é necessário ter concluído o ensino fundamental ou médio para entrar no programa. Outro diferencial que os idosos vão encontrar nesse tipo de faculdade é a ausência de provas ou trabalhos obrigatórios. 

A busca pela longevidade e o aumento da expectativa de vida faz com que idosos busquem investir em si próprios. Por isso, é cada vez mais comum encontrar pessoas idosas fazendo cursos, aulas de dança, academia e faculdade. 

Isso não acontece por acaso! A população idosa vêm crescendo muito no Brasil e no mundo. Segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2016 o Brasil possuía 14,6% da população na terceira idade. Com essa quantidade de idosos, o Brasil conquistou a quinta maior população de idosos do mundo, segundo o Ministério da Saúde.

A previsão para 2030 é que o número de idosos vai subir ainda mais. A estimativa é que ultrapassem a quantidade de crianças de 0 a 14 anos. A previsão mais a longo prazo, realizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS), prevê que em 2050 a população de pessoas com mais de 60 anos chegará a 2 bilhões, representando um quinto da população mundial. 

Conheça os benefícios da Faculdade para os Idosos

Analisando os dados do Brasil e do mundo, é possível verificar que a população de idosos está aumentando cada vez mais. E com isso, se faz necessário a criação de projetos para manter a vida dos idosos mais saudáveis e também atividades para inclusão dessa parcela da sociedade. E é com esse objetivo que a Universidade Aberta da Terceira Idade foi criada. Na PUCRS há uma delas. Na Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), é oferecido também a Esag Sênior, voltado a um público com idade superior a 45 anos.

Na verdade, diversas instituições públicas e privadas no país também oferecem programas exclusivos para os idosos. Por isso, procure a instituição mais próxima de você e conheça os programas oferecidos para esse público. Conheça os principais benefícios para um idoso na faculdade.

1 – Ter uma vida ativa

É comum encontrar idosos que não possuem nenhum circulo social, tendo contato apenas com seus familiares. Muitas vezes os idosos acabam se sentindo tristes e solitários, pois sentem falta de uma vida mais ativa e de contato com outras pessoas. 

Fazer uma faculdade pode proporcionar para o idoso uma grande inclusão, pois fará com que ele esteja inserido em um grupo. Dessa forma, fica mais fácil manter-se ativo!

Outro grande ganho para os idosos na faculdade é o sentimento de pertencimento e de contribuição com o mundo. Ao realizar pesquisas, atividades, participar de discussões e contribuir com produções científicas, o idoso volta a ter o sentimento de que está sendo útil para a sociedade. Com isso, o estudante não só tem a possibilidade de adquirir novos conhecimentos, mas também aperfeiçoa e se aprofunda em temas que já dominava. 

A melhora da qualidade de vida é uma consequência das atividades que o estudante realizará, e do novo círculo social do qual fará parte. 

2 – Dedicar-se a novos conhecimentos

Muitos idosos não tiveram a oportunidade de estudar assuntos do quais tinham vontade quando eram mais jovens. Sendo assim, aprofundar-se nesses assuntos, ou então ter a oportunidade de estudar algo que sempre teve vontade é uma grande vitória para o idoso. 

Além do que voltar a sala de aula é normalmente um sentimento muito bom para este público. Dessa forma, eles poderão focar em uma atividade interessante. Mas sem a pressão de uma universidade tradicional, onde seriam cobrados por entregas, trabalhos e notas. 

O importante nesta fase é ter bons momentos e adquirir conhecimento!

3 – Autorrealização

O sentimento de autorrealização é muito presente nos idosos que fazem faculdade. Isso porque, a faculdade possibilita realizações de sonhos antigos – para quem sempre teve vontade de estudar – e também possibilita a criação de novos sonhos, novas vontades e desejos nos idosos. 

Idosos na faculdade tradicional

Também é possível encontrar idosos que não querem fazer programas como a Universidade da Maturidade. Estes acabam buscando a realização de uma graduação nos modelos tradicionais. Como é o caso de César Dhaer, de 86 anos, e da Eunice das Graças de Souza, de 70 anos. As duas histórias foram contadas no Portal27.

César, 86 anos – Estudante de Direito

César conta que resolveu voltar ao curso que havia trancado há 63 anos depois que sua esposa faleceu: “Depois que fiquei viúvo, fiquei muito isolado, meus filhos têm suas responsabilidades e eu estava muito sozinho. Ainda tenho a saúde boa e queria viver esses anos de alegria, preencher com dignidade meu tempo”, contou ao portal. Resolveu então prestar o vestibular de Direito, e fez a prova na mesma época em que sua bisneta de 17 anos realizou o exame pela primeira vez. 

Então, 63 anos depois, César voltou ao curso de Direito. Ele conta que chegou até o segundo ano do curso, mas logo teve que assumir os negócios da família. Em seguida, casou-se e teve filhos. E então, a oportunidade de realizar o sonho de se formar em Direito, foi ficando mais distante. 

Para o idoso, a experiência está sendo muito boa. Ele conta que lidar com os estudantes, cerca de 60 anos mais novos, é revigorante! Segundo César, conviver com a juventude deles faz bem. “Não tenho nenhuma dificuldade de estar com eles. Agora mesmo tem um colega de 22 anos estudando junto comigo na minha casa. Meu neto mais novo me dá até conselho para eu sair e aproveitar a vida com eles. Ainda não estou nesse pique, mas quem sabe um dia”, afirmou ao portal de notícias.

Eunice, 70 anos – Estudante de Administração

Quase 40 anos depois de sair da escola, a idosa Eunice também representa bem o espírito de renovação dos idosos. “Nem eu acreditava mais que eu ia dar conta. Já fiz vários cursos tecnólogos, de contábeis, magistério, secretariado. Mas estava parada há 40 anos. E assim que me sobrou um pouco de tempo e dinheiro dei início ao meu sonho de fazer faculdade”, afirmou ao Portal27.

Depois de um longo período afastada dos estudos, a idosa conta que teve um pouco de dificuldade de voltar, mas não quis usar os “privilégios da idade”. Eunice relata que ficou “agarrada” em algumas matérias no início, mas nunca quis ajuda dos professores. A estudante queria saber até onde conseguiria chegar sozinha, por mérito próprio. Quando a entrevista foi realizada, Eunice já estava bem perto de finalizar a graduação em Administração. 

xiste espaço para todos os idosos que querem se manter atualizados, por meio da educação superior, e garantir uma qualidade de vida melhor. Invista em você!

  • Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *