livros para vestibular 2021

Livros para vestibular 2021: 10 obras que mais caem nas provas

Todo ano as universidades divulgam a lista dos livros para preparação do vestibular e em 2021 não será diferente. No entanto, sempre existem aqueles clássicos da literatura brasileira que as instituições acabam solicitando a leitura todos os anos. Ou seja, são figurinhas carimbadas que sempre estão nas listas de leituras das provas.

Dessa forma, quem pensa em fazer o vestibular, seja qual ele for, já pode ir se preparando para eles lendo os livros da nossa lista. E são muitos! Por isso é bom começar logo!

Quer saber quais são? Acompanhe!

Leia também: Resumos de livros para o Enem ou vestibular: vale a pena ler?

Livros para vestibular 2021: leitura obrigatória

Seja para fazer o Enem ou para a prova tradicional do vestibular, a leitura de livros sempre é necessária.

Quer seja para saber escrever melhor, quer seja para aprender a interpretar textos, ler muito é fundamental para que o estudante consiga ingressar na universidade.

Algumas universidades diminuíram a lista de livros para vestibular em 2021. Isso aconteceu na Universidade Estadual de Campinas, por exemplo, por conta da pandemia da Covid-19.

No entanto, as listas ainda são grandes e muitas têm em comum uma série de obras clássicas que vamos citar agora.

Livros para vestibular 2021: 10 obras que mais caem nas provas

1. A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo

Publicado em 1844, o livro A Moreninha é considerado o primeiro romance tipicamente brasileiro.

O autor, que estava se formando em medicina, conta a história de um também estudante da área médica, chamado Augusto que vive um romance com Carolina, na ilha de Paquetá no Rio de Janeiro.

No entanto, ele havia prometido fidelidade a uma outra menina na infância, o que gera um suspense no livro.

A obra foi considerada tão boa que fez o autor largar a medicina para se dedicar à carreira de escritor e jornalista.

2. Capitães de Areia, de Jorge Amado

Publicado em 1937 e adaptado para um filme em 2011, Capitães de Areia conta a história de um grupo de menores que moram nas ruas.

O livro retrata o dia a dia dos garotos nas ruas de Salvador, na Bahia. Bem como as infrações que cometem, a violência na qual eles vivem e todos os sonhos e desafios por quais eles passam.

A história se passa na década de 30, uma época onde começava a consciência da chamada luta de classes. Tanto que foi a primeira vez que um “fora da lei” aparece em um papel de protagonista na história dos livros no Brasil.

3. Dom Casmurro, de Machado de Assis

Publicado em 1899, Dom Casmurro é um dos livros mais conhecidos da literatura brasileira.

Ele conta a famosa história de Bentinho e Capitu, que se conheceram e se apaixonaram ainda na adolescência, mas que se separaram quando ele teve que ir para o seminário.

O livro é mais conhecido pela possível traição de Capitu com o melhor amigo do Bentinho, Escobar. E por conta disso, já foi analisado não apenas na crítica literária, como também nos vieses psicológico, psicanalítico e sociológico.

É considerada a obra-prima de Machado de Assis, que por sua vez, é creditado como o precursor do Modernismo.

4. Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa

Na lista dos cem melhores livros de todos os tempos, sendo o único brasileiro entre 100 escritores de 54 países, Grande Sertão: Veredas foi escrito para ser uma novela do livro Corpo de Baile, do autor.

No entanto, ele acabou ganhando autonomia e foi publicado como livro em 1956. Hoje é um dos mais importantes da literatura brasileira.

Ele conta a história do jagunço Riobaldo, que é o narrador do livro. Ele fala das suas lembranças, lutas e o sentimento por Diadorim, pelo qual ele tem uma relação ambígua, nos limites entre a amizade e o amor.

5. Iracema, de José de Alencar

Fazendo trilogia com outros dois livros de José de Alencar: O Guarani e Ubirajara, Iracema foi publicado em 1865.

Ele representa, principalmente, o que aconteceu com a América na época de colonização europeia e narra a a história de amor entre Martim, colonizador português e Iracema, índia da tribo dos tabajaras.

O filho fruto desse amor é narrado como o primeiro brasileiro miscigenado. A obra foi adaptada para o cinema em 1979 com o título de Iracema, a Virgem dos Lábios de Mel.

6. Laços de Família, de Clarice Lispector

Livro de contos publicado em 1960, Laços de Família reúne 13 contos que haviam sido anteriormente publicados em outros locais, como jornais, por exemplo.

A maioria dos contos falam de pessoas comuns e atividades cotidianas, parecendo refletir as próprias experiências da autora na época.

Eles levantam questões acerca de donas de casas, seus casamentos e lutas para lidar com todas as exigências da família. Além disso, trata de vínculos afetivos, solidão, falta de comunicação e morte.

Em 1961 o livro recebeu o Prêmio Jabuti de Literatura na categoria de contos, crônicas e novelas.

7. Macunaíma – Mário de Andrade

Considerada a obra-prima de Mário de Andrade, “Macunaíma, o herói sem nenhum caráter” foi publicada em 1928.

É um dos livros mais estudados de todos os tempos, não apenas no Brasil, e já foi adaptado para o cinema, os quadrinhos e o teatro.

Ele conta a história do índio Macunaíma que se aventura na busca por uma pedra mágica, o muiraquitã, a qual recebeu de seu grande amor, Ci, a Mãe do Mato. No entanto, ela foi parar nas mãos de um gigante comedor de gente viva: Piaimã.

8. Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis

Mais um livro de Machado de Assis na lista, Memórias Póstumas de Brás Cubas foi publicado em 1881. No anto anterior, havia sido desenvolvido para ser um folhetim.

É considerada a obra que iniciou o Realismo no Brasil e retrata a escravidão e as classes sociais, sendo uma sátira da lei do mais forte.

Ele narra a história em primeira pessoa, após a morte do personagem principal: Brás Cubas. Aborda aspectos de sua infância, juventude, vida amorosa e carreira política. 

Depois de mais de um século de sua publicação, o livro ainda recebe estudos interpretações, adaptações e traduções.

9. O Cortiço, de Aluísio Azevedo

Romance naturalista publicado em 1890, O cortiço conta a história dos moradores das estalagens cariocas do final do século XIX.

Ele conta a história de João Romão, que é dono de um cortiço e de uma venda onde os moradores do cortiço compram. Ele tem como objetivo de vida enriquecer e faz de tudo para alcançá-lo, principalmente explorar outras pessoas.

Além disso, também narra as histórias que se entrelaçam entre os moradores do cortiço e suas lutas pela sobrevivência. Bem como influência social e racial no comportamento dos diversos personagens.

Já foi adaptado para o cinema em 1978.

10. Sagarana, de Guimarães  Rosa

Mais uma obra de Guimarães Rosa nessa lista de livros para o vestibular 2021, é o primeiro livro publicado do autor, em 1946.

São 9 contos sobre a vida no sertão de Minas Gerais, sendo que seu nome Sagarana, é um hibridismo que significa algo como “próximo a uma saga”.

O livro é composto pelos contos: Burrinho Pedrês, A volta do marido pródigo, Sarapalha, Duelo, Minha Gente, São Marcos, Corpo Fechado, Conversa de Bois e A hora e vez de Augusto Matraga.

Como saber quais são livros para o vestibular 2021

Se você quer saber exatamente os livros que você precisa ler para o vestibular 2021 das universidades que você vai prestar a prova, precisa entrar no edital de cada uma delas.

Por mais que indiquemos os livros acima, existem outras obras que são pedidas pelas provas de vestibular no Brasil. Fique de olho!

Leia também: Literatura: principais livros para o vestibular

E você, já leu alguns dos livros para o vestibular 2021?

Conta pra gente se você já leu algum dos livros da nossa lista e qual deles você mais gostou!

E se quiser continuar acessando conteúdo de qualidade sobre mercado de trabalho, bolsas, cursos, ensino e carreira, continue acompanhando o blog Vai de Bolsa.

  • Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *