Mapa Mental para o Enem: veja como essa técnica pode ajudar a estudar

  • Enem
  • 25/set/19
  • por Rosângela Menezes

Muita gente ainda fica preso aos livros na hora de estudar para uma prova importante e eles são fundamentais, é claro. Mas existem muitas outras formas de absorver conhecimento: com filmes, jogos e mapas mental, por exemplo. 

Esse último, principalmente, tem ganhado o gosto de muitos estudantes. Afinal, nosso cérebro tem mais facilidade de reter informação a longo prazo quando fazemos conexões.

Além disso, a memória visual é uma ajuda essencial perto de provas importantes, quando estamos estudando muitos conteúdos diferentes, como é o caso do Enem. 

Então se você quer saber mais sobre essa técnica e entender como aproveitá-la para os seus estudos, continue lendo este artigo!

O que é um mapa mental?

Em primeiro lugar, vamos entender melhor o que é um mapa mental? Essa técnica foi popularizada nos anos 1970 pelo britânico Tony Buzan, com seu livro “Use Your Head”. 

De forma geral, podemos dizer que mapas mentais são diagramas que representam ideias relacionadas a um assunto-chave, ilustradas como ramificações.

Buzan desenvolveu os mapas mentais (ou mind maps, no idioma original) porque percebeu que a aprendizagem humana, muitas vezes, é pouco linear. Ela funciona menos como uma reta e mais como uma árvore, cheia de ganhos e desambiguações. 

Por isso, criou um formato de resumo que não seja apenas uma série de anotações desconexas ou então extensas demais. Com os mapas mentais, fica mais fácil conectar os temas e entendê-los como parte de um todo.

Por que é importante utilizar mapas mentais?

Mapas mentais são úteis nas mais variadas situações, mas principalmente se você está se preparando para uma grande prova, como o Enem. 

Em exames que abordam uma gama variada de assuntos, fica difícil estudar tudo e fazer boas revisões antes da avaliação. Por isso, os mapas mentais são uma solução, já que ajudam a revisar o conteúdo de maneira simples. 

Além disso, existem algumas outras vantagens dos mapas mentais em relação a outras técnicas de estudo:

São fáceis de montar 

Muita gente gosta de estudar fazendo resumos, pois precisa ler e reescrever o assunto de maneira objetiva. O problema é que, muitas vezes, os temas são complexos demais e os resumos acabam virando páginas e mais páginas de texto.

Além de tomar tempo, todas essas folhas são difíceis de estudar depois e não servem como um bom material de apoio no futuro. Já que na véspera da prova o tempo é curto.

Por isso, os mapas mentais são uma solução mais rápida e fácil de fazer, que ajudam bastante a longo prazo, pois são simples de estudar depois. 

Ajudam o cérebro a variar as fontes de informação

Independente da forma que você faz seus mapas mentais (no computador ou no papel), o fato de estar executando uma tarefa prática pode ser uma mudança excelente para cérebro. 

Afinal, estudar pode ser uma atividade extremamente passiva e sair deste estado ajuda a absorver melhor os conteúdos. 

Contribuem para a redução do estresse

Para muita gente, fazer mapas mentais contribui para reduzir o estresse causado pelos estudos. Isso porque eles também são uma atividade criativa, sem tanta rigidez no formato.

Você pode usar diferentes cores, desenhos e símbolos. Ou seja, bem mais lúdico do que apenas escrever o conteúdo, certo?

Podem ajudar a organizar as ideias

Os mapas mentais não são apenas ferramentas para memorização de conteúdos. Eles também podem ajudar quando você está com dificuldade para assimilar determinado tema. 

Montando o mapa, fica mais fácil relacionar os conceitos e entender como um evento leva a outro. 

Além disso, o mapa mental pode ser um importante aliado na hora de escrever redações! Com essa ferramenta, você pode organizar sua tese principal e ligá-la aos argumentos que vai utilizar na dissertação, por exemplo. Parece ótimo, não é?

Como fazer um mapa mental?

Ficou curioso para começar a montar seus próprios mapas mentais? Então confira nossas dicas para criar os seus diagramas!

Para começar, vale dizer que mapas mentais parecem complexos depois de prontos, mas, na verdade, são bem simples de fazer. Você pode tentar montar seus mapas durante a própria aula, já que eles exigem poucas anotações, ou em casa, para estudar o conteúdo que viu naquele dia. 

O mais importante, contudo, é que você esteja com as informações frescas na memória. Se já faz um tempo que você estudou o assunto que deseja resumir, então leia novamente sobre ele ou assista a uma vídeo aula antes de começar. Depois, basta seguir o passo a passo a seguir:

1 – Comece pelo tema principal

A primeira parte do seu mapa mental é o tema, que vai ficar no centro do diagrama. Este é o assunto que será mapeado. Por exemplo, se você pretende estudar a Revolução Francesa, esta deve ser a expressão no meio do mapa.

2 – Acrescente as ramificações

Depois de incluir o tema principal, você pode começar a acrescentar as ramificações. Coloque a primeira leva de conexões ligadas ao ponto inicial e as seguintes, aos primeiros ramos. Assim, você vai criando relações entre os conceitos, como uma rede. 

Além disso, tente manter os fatos mais gerais mais próximos do centro e aqueles mais específicos, para as bordas. 

E lembre-se: nenhuma ideia deve ficar desconectada de outro ponto do mapa. 

Para exemplificar, vamos continuar com a ideia de um mapa sobre a Revolução Francesa: nas ramificações, você pode incluir os principais atores, fatos importantes, datas relevantes e outros elementos. 

Mas preste atenção: o ideal é que as suas anotações de cada ideia tenham, no máximo, uma linha. Se você começar a escrever demais, seu mapa vai ficar muito poluído visualmente e toda a utilidade prática dele vai ser jogada fora. 

3 – Use a criatividade

Como você viu, os mapas mentais são, além de tudo, uma excelente forma de colocar a criatividade para trabalhar. 

Portanto, experimente diferentes cores para categorizar as informações, faça desenhos e utilize símbolos. Tudo isso vai deixar o mapa mais atraente e chamativo.

Se você tem o costume de estudar em grupo, vale também mostrar seu mapa para os amigos e pedir sugestões de informações a incluir. 

4 – Faça suas revisões

Depois de pronto, seu mapa não vai ficar jogado no meio dos seus materiais de estudo. Além de ter ajudado a estudar como uma forma de extrair as informações mais importantes dos livros, agora ele serve para revisões rápidas. Pode ser antes de uma prova na escola ou nas semanas que antecedem o Enem.

5 – Atualize sempre 

Conforme você segue estudando um assunto, tende a se aprofundar mais e algumas informações novas surgem. Então tente atualizar seu mapa mental sempre que necessário. Para isso, uma boa opção é criar mapas online, pois fica bem mais fácil editá-los depois.

Quais ferramentas usar para montar um mapa mental?

Hoje em dia existem inúmeros recursos na internet para auxiliar nos estudos e para montar mapas mentais não é diferente. Conheça algumas ferramentas a seguir:

  • GoConqr: Essa é uma plataforma de estudos gratuita com diversas ferramentas, que permitem criar flashcards, quizzes, fluxogramas e, claro, mapas mentais. 
  • Coggle.it: Além de mapas mentais, o Coggle.it pode servir para apresentações de trabalhos, brainstormings, entre outras utilidades. Possui integração com o Google Drive e é muito simples de usar. 
  • XMind: Se você quer dar uma cara mais profissional para os seus mapas, então o XMind é o que você procura. Essa ferramenta possui diversos recursos disponíveis e cria mapas bonitos e funcionais rapidamente. Também possui uma versão para celular. 

Mas se você gosta de fazer seus resumos no papel, também vale seguir dessa forma. Inclusive, escrever tem diversos benefícios para a memória e ajuda muita gente a memorizar melhor o conteúdo.

Se você vai fazer o seu à mão, utilize uma folha na horizontal e comece com um conceito no centro. A partir dele, vá colocando setas e acrescentando os demais.

Além disso, para os mais criativos, dá para inventar mapas mentais que mais parecem verdadeiras obras de arte, com cores e desenhos incríveis. Cuidado apenas para não gastar mais tempo com a estética do que estudando o conteúdo!

Agora que você viu como o mapa mental pode ser uma excelente ferramenta para estudar para o Exame Nacional do Ensino Médio, descubra como estudar para a redação do Enem e garanta sua vaga na universidade!

  • Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *