Veja por que alunos brasileiros estão indo fazer Medicina no Paraguai

Veja por que alunos brasileiros estão indo fazer Medicina no Paraguai

Entrar para o curso de Medicina costuma ser um sonho de muitos brasileiros. Ajudar pessoas, abrir o próprio consultório ou conquistar uma das vagas bem remuneradas do mercado de trabalho podem ser só alguns dos estímulos. Mas no Brasil, a concorrência é grande. Em 2019, por exemplo, a nota de corte para conseguir usar a nota do Enem para acessar uma instituição de ensino foi de 768,73 pontos. Só que em outros países a realidade é outra. Por isso, muitos brasileiros estão fazendo Medicina no Paraguai.

No país vizinho, a faculdade é oferecida de maneira integral, ou seja, manhã e tarde. Para conseguir o diploma é preciso estudar por pelo menos seis anos, assim como acontece no Brasil. Quem se forma no país vizinho pode atuar livremente por lá. No entanto, voltar para o Brasil não tem sido tarefa simples. É preciso revalidar o diploma.

Aqui, vamos mostrar para você quais são as melhores faculdades no Paraguai, o valor da mensalidade e se é vantajoso arriscar o investimento para tentar o revalida. Será que cursar medicina no Paraguai vale a pena?

Como é a medicina no Paraguai

A concorrência entre os brasileiros têm aumentado. O curso de medicina no Paraguai está mais concorrido.

Segundo os registros da Embaixada e dos consulados no Paraguai, a cidade de Pedro Juan Caballero, divisa com Ponta Porã, no Mato Grosso do Sul, recebeu muitos imigrantes. Em 2017, por exemplo, eram 30 mil brasileiros, um salto de 145,9% em relação a 2016, quando o número era de 12.200.

A explicação para o aumento significativo em Pedro Juan Caballero talvez esteja em instituições como a Universidad del Pacífico e a Universidad Central del Paraguay. Elas oferecem o curso de Medicina no Paraguai e estão recebendo muitos brasileiros.

Uma pesquisa da Maria Aparecida Webber, mestre em antropologia pela UFPR (Universidade Federal do Paraná), revelou essa situação. Os dados mostram que atualmente, cerca de 18 mil estudantes vivem na região e 90% são brasileiros.

Sendo assim, mesmo com mais vagas à disposição, a concorrência para o curso de Medicina no Paraguai está concorrida. Também é preciso se preparar para conquistar uma vaga.

Saiba escolher uma instituição de ensino

Igual ao Brasil, escolher uma faculdade de Medicina no Paraguai é tarefa difícil e que exige muita atenção e pesquisa. Afinal, existem instituições conceituadas e que realmente preparam os estudantes para o mercado de trabalho. Assim como existem instituições que se quer têm autorização para funcionar. Essa, aliás, deve ser sua primeira base de pesquisa. Identificar se ao concluir o curso o seu diploma será válido.

Entre as melhores faculdades para cursar medicina no Paraguai, está a Universidade Privada Del Este (UPE). De acordo com os próprios estudantes, ela tem uma excelente estrutura e qualidade de ensino.

No entanto, existem outras universidades que você pode avaliar com mais cuidado e atenção. Sempre olhando a grade curricular, as especializações oferecidas e avaliações de estudantes que já se formaram. Então, confira a lista de opções:

  • Universidade Privada Del Este (UPE)
  • Universidade Central do Paraguai (UCP)
  • Universidade Maria Serrana (UMS)
  • Universidade Politécnica e Artística do Paraguai (UPAP)
  • Universidade Três Fronteiras (Uninter)

Preços do curso de medicina no Paraguai

Já que comentamos aqui sobre a Universidade Privada Del Este (UPE), vamos usá-la como exemplo. O valor da mensalidade para essa instituição é de aproximadamente R$900,00 no primeiro ano do curso.

No entanto, é preciso levar em consideração o câmbio. Sendo assim, os valores das mensalidades podem variar dependendo o câmbio do dia. Saiba, portanto, que essa variação costuma ser pequena, mas existe.

Funciona mais ou menos assim: o curso de medicina na Upe custa 1.550.000,00 guaranis. Esse valor convertido em reais é de aproximadamente R$900,00.

Então, se o câmbio flutuar, você pode pagar um valor maior ou menor na sua mensalidade de Medicina no Paraguai. Além disso, como o curso dura pelo menos seis anos, esse preço pode variar bastante do início ao fim do processo.

Documentos para estudar no país vizinho

Lembre-se que você será um estrangeiro. Portanto, vale investir bastante tempo e pesquisas para reunir todos os documentos necessários para estudar Medicina no Paraguai.

O primeiro documento que você vai precisar é o RG. Ele precisa estar atualizado e válido. Lembre-se de conferir a data no documento original, além de conseguir três cópias simples e três cópias autenticadas em cartório brasileiro.

No caso da sua certidão de nascimento, você também terá que conseguir três cópias simples e mais três cópias autenticadas em cartório brasileiro.

Além disso, é preciso conseguir o seu histórico escolar do ensino médio. Esse documento precisa ser o original e assinado pelos responsáveis da instituição de ensino e com reconhecimento da firma. Depois disso, você ainda precisa conseguir três cópias simples e mais três cópias autenticadas em cartório brasileiro.

Para finalizar, você terá que providenciar uma foto 3×4 e ainda conseguir o visto de imigração. Esse último, é um dos mais importantes e o processo de solicitação deve começar assim que você chegar ao Paraguai.

Como revalidar o diploma de medicina do Paraguai

Esse assunto merece a sua total atenção. Ao concluir os seis anos do curso de Medicina no Paraguai, você estará apto apenas para trabalho no país vizinho.

Sendo assim, não poderá fazer as malas e desembarcar em um hospital brasileiro, por exemplo. Para isso, será preciso passar por um processo de revalidação do diploma. É o Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira (Revalida).

Os diplomas de graduação expedidos por universidades estrangeiras serão revalidados por universidades públicas. Elas terão o curso do mesmo nível e área ou equivalente, respeitando-se os acordos internacionais de reciprocidade ou equiparação. Assim, é dever do Ministério da Educação do Brasil lançar o edital para a revalidação dos diplomas estrangeiros.

Esse processo é implementado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e tem a colaboração da Subcomissão de Revalidação de Diplomas Médicos. É um rigoroso processo avaliativo, dividido em duas etapas eliminatórias.

Nelas, você terá que fazer uma prova escrita e avaliação de habilidades clínicas, fundamentadas na demonstração de conhecimentos, habilidades e competências.

Somente se você for aprovado nas duas etapas estará liberado para atuar no Brasil. Assim, segundo os avaliadores, você demonstrará competência técnica (teórica e prática) para o exercício profissional.

Para você ter uma ideia da procura, entre 2015 e 2016, o número de brasileiros que participaram do Revalida com diplomas paraguaio saltou de 209 para 530. A validação de diplomas paraguaios é a que mais cresce. Em ritmo superior à dos diplomas bolivianos, argentinos e cubanos.

Em números absolutos, os diplomas bolivianos ainda lideram o ranking (foram 2.851, em 2016). A participação de médicos brasileiros formados em países como Argentina e Peru diminuiu ou permaneceu no mesmo patamar.

No entanto, saiba que dois caminhos são possíveis para os recém-formados: participar do Revalida, programa para obter o CRM e ingressar no mercado de trabalho, ou iniciar a carreira por meio do Mais Médicos. E os dois nichos apresentaram um salto na participação de brasileiros formados no Paraguai.

Prova do revalida

A prova do Revalida é composta de duas fases, a primeira fase é a prova teórica. Onde você encontrará 100 questões de múltipla escolha valendo um ponto cada. Além de cinco questões descritivas, valendo 10 pontos cada. Já a segunda fase é a prova prática. Neste caso é a Prova de Habilidades Clínicas, formada por 10 pequenos testes, valendo 10 pontos cada. Eles visam testar as capacidades e habilidades práticas dos candidatos.

A prova tem caráter eliminatório nas duas fases. Portanto, se você não atingir 85 pontos na somatória das questões objetivas com a descritiva, você não será considerado apto para passar para a prova de habilidades clínicas.

Além de passar na prova, você tem que apresenta documentos pessoais válidos no momento da sua inscrição para o revalida. Precisa ser brasileiro, ou possuir cidadania brasileira, ser registrado no Cadastro Pessoa Física – CPF e ser formado por uma instituição de ensino superior estrangeira que seja reconhecida pelo órgão responsável por fiscalizar as instituições de ensino de seu país de origem. Aqui esta a principal vantagem de você escolher com calma e atenção a instituição de ensino que você fará medicina no Paraguai.

Além disso, no momento da inscrição para o revalida, é necessário informar e apresentar o seu diploma do ensino superior. Portanto, ele já deve ter sido emitido e validado oficialmente.

Temos muitas outras informações no blog do Vai de Bolsa. Confere lá!