métodos de estudo para concurso

Métodos de estudo para concurso: 8 dicas para ser aprovado

Muitas vezes temos dificuldade em encontrar a melhor forma de render nos estudos. Ainda mais se o objetivo for um concurso, que possui muitos conteúdos e é bem concorrido. E se engana quem acha que é só sentar e começar a ler. Cada um aprende e rende de uma forma, por isso é importante conhecer os vários métodos de estudo para concurso.

Cada opção depende de como você funciona na hora de se concentrar. Acontece de um método encaixar contigo e sua rotina e outro não. Além disso, em muitas ocasiões, você vai utilizar mais de um para melhorar sua performance. O segredo aqui é testar, perceber como sua mente se adapta e o que funciona para você.

Porém, antes de qualquer coisa, saiba quais matérias deverá aprender. Leia o edital do concurso e qual o tempo necessário de dedicação para cada conteúdo. Para te ajudar a definir o melhor método de estudo para concurso, preparamos uma lista com as melhores opções. Continue lendo e saiba como aumentar suas chances de ser aprovado!

Leia também: Quantas horas estudar por dia para ter bons resultados nas provas?

Bolsa ENEM
👉 Estão abertas as inscrições para o MEGAVESTIBULAR Estácioque está chegando com 70%* de desconto em todo curso. Provas nos dias 17 e 18 de setembro!

Métodos de estudo para concurso: qual o melhor para você?

Antes de passarmos as dicas e métodos para estudar para concurso, tenha em mente que aprender é bem mais importante que decorar. Por isso, sempre dê preferência para a melhor opção para você. Assim, vai saber a essência da matéria, não apenas nomes e datas. Lembre-se: o conteúdo realmente aprendido permanece com você por muito mais tempo.

1. Resumos

Pra começar, vamos do bom e velho resumo. Tá bom, não é o método mais revolucionário ou o que está na moda entre os concurseiros no momento. Porém, não é a toa que essa opção ainda é muito utilizada por quem estuda constantemente e em grande quantidade. Isso acontece porque o resumo ajuda a pessoa a destacar as partes mais importantes de uma matéria.

Assim, quando for estudar, leia atentamente cada assunto e depois escreva detalhadamente sobre. Anote com palavras-chaves ou pequenos parágrafos e utilize setas e desenhos para ilustrar. Também é legal destacar com um marca texto aquele termo crucial para entender bem um tema. Isso facilita até uma leitura dinâmica e a fixação de itens importantes.

Com o resumo, você vai ter em mãos, além do conteúdo dos livros e computadores, um guia rápido da matéria, escrito com as suas próprias palavras. Assim, terá mais chances de entender os termos técnicos e ficar craque no assunto.

Bolsa ENEM

Você sabia que pode conseguir uma bolsa de até 60% no curso todo na Estácio com a sua nota do ENEM dos últimos 5 anos? Confira aqui o valor da sua bolsa e economize na graduação! 🎓

2. Perguntas depois de estudar

Um dos mais utilizados métodos de estudo para concurso é fazer perguntas a si mesmo, após o término de um assunto. Essa opção é boa para ajudar na memória e fixar bem os temas de cada matéria. Afinal, se exercitar os neurônios, vai conseguir lembrar de vários detalhes.

Uma forma interessante é usar as seis perguntas do Lead Jornalístico. Elas são a base do trabalho desses comunicadores, e ajudam os profissionais a destacar o mais importante em uma matéria. Com elas, você vai memorizar as informações mais relevantes de um assunto.

Nós separamos as seis questões do Lead:

  • Como?
  • O que?
  • Onde?
  • Por que?
  • Quem?
  • Quando?

3. Estudo intercalado

Criar um cronograma também é uma alternativa para uma boa rotina de estudo. Nele, você precisa colocar as matérias cobradas pelo concurso e dividí-las conforme o grau de importância.

Na prática, funciona assim: na segunda-feira, você estudará Português, História, Matemática e Inglês. Com isso, vai dividir e colocar em ordem as matérias. As mais importantes devem ter um pouco mais de tempo de dedicação. Além disso, não esqueça de colocar um assunto bem diferente do outro logo depois.

Por exemplo, para entender melhor as temáticas, faça uma aula sobre Inglês e depois estude Matemática, seguido de Geografia. Assim seu cérebro não se cansa tão facilmente, com a troca de assuntos. Já pensou uma aula de Física logo depois de Química? Fica desgastante, não é?

Importante: dedique um tempo para descansar. Fique 45 minutos estudando e pare por 5, para dar uma pausa ao cérebro. Você vai ver, ajuda demais a lembrar do conteúdo.

4. Método Kaban

O Método Kaban foi desenvolvido no Japão e é bem comum em empresas de diversos segmentos. Ele é super básico e prático, mas ajuda a visualizar as obrigações ainda necessárias e o que já foi desenvolvido pelo aluno, quando está estudando.

Para realizar essa alternativa, vai precisar de um quadro, com três colunas, divididas em “para fazer”, “fazendo” e “feito”. Você pode desenhar as três colunas ou separar por meio de post-its. Assim, terá controle dos assuntos já finalizados e como está o processo dos outros.

5. Mapa Mental

O Mapa Mental funciona como um resumo, o qual possui diversos símbolos, sinais e cores que servem para organizar um pensamento sobre um conteúdo e ajudar na associação de informações.

Na prática, você separa uma palavra-chave principal, como “Segunda Guerra Mundial”. Depois disso cria setas e frases ligadas ao termo, alinhando os temas relacionados.

Excelente para quem aprende de forma visual, o Mapa Mental vai te ajudar a entender o tema geral de uma matéria e quais os pontos mais importantes. Para usar ele, pode utilizar um papel e caneta ou uma cartolina. Ao usar várias cores e símbolos, vai conseguir fixar melhor cada detalhe.

6. Método Pomodoro

O Método Pomodoro consiste em determinar 25 minutos de atenção total a uma tarefa e 5 minutos de descanso. Essa alternativa foi criada pelo italiano Francesco Cirillo e é uma ótima opção para quem precisa alternar os momentos de foco e descanso.

A ideia do método é criar uma rotina mais produtiva, levando em conta que o cérebro humano só fica alguns minutos atento a uma coisa apenas. Assim, a cada Pomodoro (25 minutos) você para por um tempo e faz qualquer coisa. Pode tomar uma água ou comer.

Aliás, depois de 4 Pomodoros, existe uma pausa ainda mais longa, de 30 minutos. Para usar a técnica, existem muitos Apps e sites para ajudar.

7. Provas e Simulados

Assim como o resumo, as provas e simulados estão no modelo educacional há muito tempo. Isso não é à toa. Assim como o que vai determinar a sua aprovação é um teste, fazer vários simulados pode te ajudar a se preparar e evitar erros no momento mais importante.

Assim, faça os diversos simulados e provas existentes na internet atualmente. Há muitos sites com opções para cada matéria e cargo em concursos públicos. Porém, não se esqueça de conferir os gabaritos e fique atento às taxas de acerto e erro, para saber quais matérias estudar com mais afinco.

8. Método Robinson

Em 1946, o psicólogo americano Francis Robinson criou esse método, o qual consiste em 5 passos para seguir na hora do estudo. Eles estão divididos a partir da sigla EPL2R, que significa: explorar, perguntar, ler, relembrar e repassar. 

Basicamente, você deve seguir o roteiro a partir dessa ordem. Primeiro explorar o material de estudo, lendo rapidamente os tópicos principais; posteriormente elabore perguntas sobre a temática e leia novamente, com intuito de responder os questionamentos. Assim, vai precisar relembrar cada detalhe, fazendo uma leitura completa. Depois de tudo isso, o estudante observa novamente o conteúdo.

Leia mais: Como fazer uma revisão de estudos eficiente

Qual dos métodos de estudo para concurso é a sua escolha?

Tem bastante opção, hein? E essa é a melhor parte, pois sempre tem um perfeito para a sua rotina e demandas. Se precisa de algo muito didático, os resumos e provas são uma ótima pedida. Se quer algo mais estruturado e com foco em alta produtividade, o Pomodoro é excelente.

Ainda assim, defina o melhor para você. E nada impede de utilizar mais de um estilo, faça seus resumo, aplicando o Método Pomodoro, ou realize o mapa mental e use o Método Robinson. Seja livre e estude da melhor forma. Gostou do texto? Continue acessando o Vai de Bolsa!

Tags:
  • Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *