Movimentos Sociais: características no Brasil e no mundo

Movimentos Sociais: características no Brasil e no mundo

Atualmente, é comum encontrarmos matérias e notícias na imprensa em geral que informam sobre manifestações com base em movimentos sociais. Os movimentos sociais são extremamente importantes para a democracia e representam as vontades, insatisfações anseios do povo. Esses movimentos são formados através de ações coletivas, onde os indivíduos buscam alcançar mudanças sociais que atingem um certo público, classe ou categoria profissional.

Para isso, os movimentos sociais sempre dão margem para o debate político, econômico e social no Brasil e no mundo. Devido a importância do assunto, o tema está presente com frequência em vestibulares e outras provas.

Para você ficar por dentro das características e como funcionam os movimentos sociais, fique ligado nesse post.

O que são os movimentos sociais?

Os movimentos sociais são realizados perante a ações coletivas de um determinado grupo, que tem como objetivo propagar e reivindicar mudanças sociais pelo debate político. É também uma forma de se expressar e de trabalhar coletivamente em uma estratégia de luta e resistência. Organizações não governamentais, movimentos populares e sindicais são parte dos movimentos sociais.

Como eles funcionam?

Os movimentos sociais são organizados por meio de um conjunto de pessoas que buscam uma força de reivindicação mais ampla, com um objetivo comum. Então, eles surgem de uma iniciativa pública, e é motivado principalmente pelas injustiças e desigualdade social. Sendo assim, quanto maior a desigualdade social de um país, maior a chance de surgirem movimentos sociais.

A relação entre os movimentos sociais e o Estado costuma ser de conflito. Isso porque, normalmente, os movimentos possuem reivindicações que entram em conflito com com o governo em qualquer esfera.

A existência de movimentos sociais é garantida por lei. Segundo a legislação brasileira, é garantido a reivindicação de direitos por parte dos cidadãos, de modo que a extinção de qualquer movimento social significa também a extinção do próprio Estado Democrático de Direito em si. Então, fica claro que os movimentos sociais são muito importantes para o funcionamento e estabelecimento de uma democracia.

Os movimentos sociais podem ser organizados, possuindo sedes e representações em várias cidades e estados, ou mais espontâneos, surgindo de passeatas e manifestações.

O que os movimentos sociais têm em comum

Normalmente, os movimentos sociais possuem características parecidas. Cada um possui suas especificidades, mas é possível encontrar um paralelo entre eles:

  • Ideologia: é o pensamento que une os cidadãos em torno de um objetivo em comum. O pensando ideológico serve como guia e ajuda na articulação de grupos, em busca de um objetivo em comum;
  • Projeto: Os movimentos que possuem uma organização, devem ter um projeto, que contenha seus objetivos e reivindicações;
  • Hierarquia: Os movimentos sociais podem ter uma organização hierárquica centralizada ou descentralizada, apresentando um ou vários líderes. Mas, é importante que os movimentos que são organizados tenha um líder, para que exista mais abertura para um diálogo com o Estado.

Tipos de movimentos sociais

É possível encontrar diversos tipos de movimentos sociais, mas é possível classificá-los em três grandes grupos:

  • Movimentos reivindicatórios: são aqueles que reivindicam algo. Normalmente utilizam da pressão popular para que suas reivindicações sejam atendidas de maneira imediata ou a curto prazo;
  • Movimentos políticos: como o próprio nome diz, são movimentos com cunho político. Estes movimentos buscam influenciar a população para que esta participe mais ativamente das decisões de cunho político. O objetivo é buscar transformações sociais e estruturais;
  • Movimentos de classe: estes movimentos buscam alterar a organização social e a relação entre as camadas da sociedade.

Conheça os principais movimentos sociais do Brasil

No Brasil, existem diversos movimentos sociais. Principalmente pelo fato de ser um país em desenvolvimento, que apresenta um cenário sociopolítico de muita desigualdade e injustiça social. No Brasil também existem muitos movimentos estudantis.

Assim como os movimentos estudantis, os movimentos sociais ganharam muita força no país na década de 1960. Conheça os principais movimentos sociais do Brasil:

Diretas já!

O Brasil vivenciou a luta de diversos movimentos sociais após o Golpe Militar. Durante a Ditadura Militar, que ocorreu entre os anos de 1964 e 1985, muitos movimentos surgiram pela necessidade da população em se organizar e lutar para reivindicar seus direitos.

Um dos movimentos de maior destaque desse período foi o “Diretas Já!”. Este movimento levou milhões de brasileiros para as ruas, já no período de redemocratização. Os participantes do movimento pediam por eleições presidenciais diretas.

Igualdade racial

O Brasil ainda é um país com muito preconceito e desigualdade, principalmente quando se trata da população negra. Situações de vulnerabilidade, racismo e preconceito ainda é são muito comuns. Por isso, existem diversos movimentos sociais que em defesa da igualdade racial, e com o objetivo de conquistar direitos e acabar com o preconceito velado que ainda existe na sociedade. 

A estrada ainda é longa, mas já é possível colher os frutos dos movimentos, como por exemplo a criação de cotas raciais em universidades públicas.

Abaixo você encontra uma lista com projetos que vale a pena acompanhar:

Movimentos LGBTQ+

Um dos movimentos sociais que mais têm se destacado e buscado o seu lugar na sociedade nos últimos tempos, provavelmente, são os movimentos relacionados a causa LGBTQ+. A sigla remete à lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transsexuais, transgêneros e Queer.

Os movimentos sociais ligados à causa LGBTQ+ buscam a conquista de seus direitos, além de lutar diariamente contra qualquer tipo de preconceito com relação a intolerância sexual, descriminação de gênero e homofobia.

A comunidade já conseguiu algum avanço, mas a luta é diária. Entre os avanços é possível citar:

  • O homossexualismo deixou de ser considerado uma doença na Classificação Internacional de Doenças (CID);
  • Reconhecimento da união estável entre casais do mesmo gênero;
  • A possibilidade de receber a pensão por morte de companheiro, pelo INSS;
  • Legalização da adoção homoafetiva;
  • Legalização da união civil homoafetiva
  • Criminalização da homofobia e transfobia.

Conheça alguns movimentos LGBTQ+ para acompanhar:

Movimentos Feministas

Os movimentos que buscam igualdade de gênero também têm ganhado espaço, e a luta pelos direitos da mulher vêm sendo muito difundida.

Ainda nos dias de hoje é comum ver a mulher sendo tratada como inferior, sendo submetida a objetificação de seu corpo, desvalorização da sua capacidade intelectual e tendo que lutar por seus direitos mais ínfimos, como por exemplo a autonomia do seu próprio corpo.

O feminismo é um movimento que atua há décadas, mas vem se transformando com o passar do tempo. Atualmente o movimento é subdividido em diversos grupos menores, com pautas próprias.

O movimento feminista já influenciou em grandes conquistas, como o direito ao voto, a igualdade salarial e a imersão da mulher em espaços que antes eram tidos como masculinos, como mercado de trabalho e política. Hoje em dia, uma grande pauta do movimento é o aborto, a luta contra a cultura do estupro e a busca pela autonomia do próprio corpo.

Movimentos feministas para acompanhar:

Movimentos sociais e as minorias

Já deu para perceber que os movimentos sociais são fundamentais para que uma sociedade consiga dar visão à sua população, principalmente para as minorias, não é mesmo? Sem os movimentos sociais, é muito provável que a desigualdade social e a repressão das minorias se tornassem ainda maior.

Vale lembrar que, mesmo que você não concorde com algum movimento social, a existência dele é garantida por lei. Outro movimento de grande expressão é o estudantil, que teve forte expressão em momentos emblemáticos do país. Leia o nosso artigo O que é movimento estudantil e como se organiza.