O Novo Acordo Ortográfico deixou de ser novo há muito tempo. No entanto, ainda causa muitas dúvidas e por mais que já seja obrigatório desde 2012 muitas pessoas ainda se confundem na hora de escrever um texto muito longo, como uma redação, por exemplo.

O objetivo do Novo Acordo Ortográfico é justamente uma padronização nas palavras, pode parecer mais confuso, mas na verdade ele é até mais intuitivo. Letras como K, W e Y agora são oficiais, mas elas já faziam parte da Língua Portuguesa de forma indireta, não é? 

Outra questão é o uso do hífen, essa regra é uma das que mais causa dúvidas entre a população. As palavras que antigamente eram juntas, de repente, passaram a ser escritas separadamente, confuso, né?

Por isso, no nosso post vamos te apresentar as novas regras ortográficas. Acompanhe o texto e aprenda tudo para tirar nota 10 na redação do vestibular!

Leia também: Como me tornar um redator digital? Saiba tudo aqui!

O que é o Novo Acordo Ortográfico 

O Novo Acordo Ortográfico são as novas regras ortográficas da Língua Portuguesa. A ideia é que essas novas regras consigam simplificar a ortografia brasileira no cenário internacional. Sua implementação no Brasil segue os seguintes parâmetros: 2009 – vigência ainda não obrigatória, 2010 a 2012 – adaptação completa dos livros didáticos às novas regras; e a partir de 2013 – vigência obrigatória em todo o território nacional.

Vale lembrar que o Novo Acordo Ortográfico foi projetado antes dos anos 90. O documento que validava a mudança nas regras ortográficas estava assinado desde 1990 por oito outros países que falam português. O Brasil não foi o único a participar desta mudança ortográfica na Língua Portuguesa. No entanto, só em 2009 o Brasil implementou no país. 

Vale ressaltar que por mais que outros países que tenham o português como idioma oficial, tenham assinado o Novo Acordo Ortográfico, não significa que a Língua é a mesma. A ortografia é só um dos aspectos da escrita de um idioma.

As diferenças entre o Português falado nos diversos países lusófonos são questões referentes a pronúncia, vocabulário e gramática. Ou seja, quem faz a língua de um país são seus falantes, por mais que Leis e Acordos sejam os mesmos entre países, a pronuncia e o sotaque norteiam a gramática. 

Se você está se preparando para o vestibular ou até mesmo para trabalhos da escola, saiba que o ideal é ter o Novo Acordo Ortográfico em mãos. O descontentamento de muitos estudantes é que depois que aprendeu na escola as regras da ortografia é muito difícil desaprende-las.

O importante é que você domine o vocabulário, afinal, se você estiver em dúvida de uma palavra na hora de escrever uma redação, use um sinônimo que você tenha certeza. 

Agora, vamos aprender quais são as novas regras ortográficas? Confira abaixo:

Novo Acordo Ortográfico

Alfabeto

As letras K, W e Y agora fazem parte do nosso idioma. Podemos dizer que a influência do inglês é oficial na Língua Portuguesa, mas por mais que seja do inglês usamos muito essas letras, então, não é nenhuma novidade. 

Essas letras podem aparecer em nomes próprios, palavras importadas do inglês ou em unidades de medidas. Segue exemplos: 

km – quilômetro, kg – quilograma

Show, Shakespeare, Byron, Newton, dentre outros.

Trema

O trema saiu do nosso idioma. Para quem escreve textos no computador sabe o trabalho que dava para conseguir adicionar a regra nas palavras. Pode parecer estranho ainda ler algumas palavras sem o trema, mas ele não faz mais parte do português.

No entanto, para alguns casos específicos como nome próprio ele ainda permanece, como, por exemplo, Gisele Bündchen. Não vai deixar de usar o trema em seu nome, pois é de origem alemã.

Acentuação

Antes de mais nada, é necessário revisar alguns pontos gramaticais, que nos ajudarão a entender melhor as novas regras de acentuação gráfica da Língua Portuguesa.

Quanto à classificação da sílaba, as palavras podem ser:

  • Átonas – não há ênfase na pronúncia de uma sílaba.
  • Tônicas – quando há ênfase na pronúncia de uma sílaba.

Ex. A palavra “mato” tem duas sílabas: a primeira “ma” – é tônica; a segunda “to” – é átona.

Quanto à posição da sílaba tônica, as palavras podem ser:

  • Oxítonas – a sílaba forte encontra-se na última sílaba de uma palavra.

Ex. saci, funil, parabéns, ca, calor, bombom.

  • Paroxítonas – quando a sílaba forte encontra-se na penúltima sílaba.

Ex. escola, sossego, dormindo, avel.

  • Proparoxítonas – é onde a sílaba forte encontra-se na antepenúltima sílaba.

Ex. pêndulo, lâmpada, pido, blico, mico.

Quanto à classificação dos encontros vocálicos:

  • Ditongo: encontro de duas vogais numa só sílaba.

Ex. céu, véu, coi-sa, i-dei-a.

  • Hiato: encontro de duas vogais em sílabas separadas.

Ex. fa-ís-ca, i-dei-a, pa-pa-gai-o, ba-i-nha.

* A palavra “ideia” possui ditongo e hiato.

Garanto que você fez esses exercícios quando estava no ensino fundamental, certo? Para aprender como acentuar as palavras. Pois bem, saiba que antes de começar qualquer redação é interessante que você consiga fazer esse exercício mental de lembrar dessas nomenclaturas na hora de acentuar uma palavra.

Essas regras parecem complicadas, mas na verdade elas são bem tranquilas. É fundamental revisar esses pontos gramaticais na hora de revisar a sua redação. 

Hífen

Como já comentamos por aqui, o hífen foi o que mais sofreu mudanças com o Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. Por isso, é uma das regras que mais causa confusão entre as pessoas. Isso porque as palavras que antes não tinham o hífen passaram a ter, enquanto outras perderam.

No entanto, saiba que existem dicas e regras para conseguir saber quais palavras usam ou não o hífen. 

Passa a ter hífen palavras que terminam com a mesma letra da segunda palavra, ou quando a segunda palavra começa com a letra h.

• Micro-ondas

• Sobre-humano

• Supra-hepático

• Anti-inflamatório

Não tem hífen palavras que terminam com vogal e a segunda palavra começa com r ou s, sendo essas consoantes duplicadas.

• Antissocial

• Antirrugas

Também não tem hífen, palavras que terminam com vogal e a seguinte começa com vogal diferente.

• Antiaéreo

• Extraescolar 

• Semianalfabeto

• Infraestrutura 

• Semiaberto 

O hífen é mantido em palavras compostas por justaposição que não tem elementos de ligação e juntas formam um único significado.

• Guarda-chuva

• Meio-dia

• Segunda-feira

• Decreto-lei

Já em palavras compostas por justaposição que não tem a noção de composição de significado o hífen não é empregado.

• Paraquedismo

• Paraquedas

• Paraquedista

Não tem hífen palavras que terminam com re e a seguinte palavra começa com e.

• Reeleição

• Reeducação

• Reeditar 

Também não tem hífen as palavras que começam com co e se a seguinte palavra começa com a letra h.

• Coabitante: antes co-habitante

• Coautor

Letras maiúsculas e minúsculas

A maioria das palavras com letras maiúsculas são comuns a você. De acordo com o Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, as letras maiúsculas continuam sendo usadas para nomes próprios de pessoas, cidades, países, continentes, lugares, enfim. Tudo que é nome próprio e não é nome comum. 

Além de em nomes de festas e festividades, em nomes astronômicos, em títulos de periódicos e em siglas, símbolos ou abreviaturas.

Exemplos: 

• Amazonas

• FIFA

• México

• Beatriz

• Júpiter

• Copa do Mundo

• Banco do Brasil 

• O Estado do Maranhão 

As letras minúsculas são a maioria das palavras. Podem ser usadas nos dias da semana, meses, estações do ano e nomes comuns. Para indicar direções também. Veja exemplos de palavras minúsculas: norte, sul, terça-feira, dezembro, verão, animais, restaurante. 

Se você quiser saber mais sobre gramática da Língua Portuguesa ou saber dicas de como mandar bem na redação, confira os outros posts no nosso blog!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui