Quem nunca deixou uma tarefa chata ou mais complicada para fazer de última hora? Isso é mais comum do que imaginamos, principalmente entre estudantes. No entanto, se isso for constante precisamos ficar atentos. Procrastinação é o ato de adiar ou deixar tarefas para depois e é a maior inimiga da produtividade. Atrasar o início de uma tarefa pode ser um grande problema do qual você se arrependerá depois.

Lista de afazeres é o que mais temos: atividades, tarefas do trabalho ou de casa, cronograma de estudos da faculdade, promessas para cumprir, projetos e planos para realizar. Se não houver planejamento e organização, com certeza muitas tarefas serão prorrogadas até a última hora.

Procrastinar é normal, mas existem alternativas para evitar que isso atrapalhe seus estudos. Confira as técnicas que vão te ajudar a parar de procrastinar e ter melhores resultados.

Por que procrastinamos?

De acordo com um pesquisa publicada no jornal Psychological Science, procrastinar está no gene humano. O estudo avaliou gêmeos idênticos, que compartilham 100% de seus genes, e gêmeos fraternos, que compartilham apenas 50% dos genes, o resultado trouxe uma discrepância genética baseada no comportamento dos gêmeos.

Atualmente somos regidos por metas e resultados de longo prazo, porém a distração está presente da hora que acordamos até a hora que vamos dormir. Com isso as tarefas se tornam alvo da procrastinação.

Em entrevista à Revista Exame, a neurocientista Thais Gameiro, sócia-fundadora da Nêmesis, empresa da área de Neurociência Organizacional, conta que existem fatores que influenciam nossa capacidade de ser produtivo. Motivação, estresse, descanso e capacidade para realizar a tarefa são alguns fatores que ela considera. A procrastinação é nosso inconsciente respondendo a lista de tarefas que temos a fazer, ou seja, não é uma escolha que fazemos.

Você sabia que a procrastinação também pode ser sintoma de um transtorno psiquiátrico? Em entrevista à revista Superinteressante, o psicólogo cognitivo-comportamental, Ivo Emílio Jung, também pesquisador da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) afirmou que procrastinar pode ser um sinal da depressão.

O ciclo da procrastinação

Basicamente, você começa a procrastinar quando identifica a necessidade de realizar uma tarefa. Então resolve buscar um café para iniciar a tarefa, mas começa a ler seus e-mails. Depois que zerou a caixa de entrada vai dar uma espiadinha no Facebook e recebe uma mensagem. Aí você lembrou que esqueceu de pegar água e vai buscar. Quando volta você tem novas notificações nas redes sociais e vai conferir. Alguns conteúdos interessantes aparecem e você começa a ler até se dar conta que tem que voltar para a tarefa. Quando vê está na hora de uma reunião ou do almoço e você precisa sair deixando para depois.

Pessoas mais perfeccionistas e impulsivas tendem a ser procrastinadores e temem fracassar. A procrastinação atinge muito mais os jovens que ainda não sabem como driblar este problema.

Consequências da procrastinação

Quem sofre com a procrastinação e prorroga tarefas até o último minuto pode ter problemas com sensação de culpa, baixa produtividade e estresse. Não entregar os resultados previstos, principalmente com relação ao cronograma de estudos da faculdade, pode gerar maus resultados. Ansiedade e depressão também podem ser consequências da procrastinação.

Autoconhecimento nessa hora é tudo e pode mudar a sua vida. Quando você não consegue gerenciar suas emoções tende a ser procrastinador e por isso é fundamental entender quais são os gatilhos que fazem você aceitar que pode “ir fazendo depois”.

Embora tenhamos consciência que prorrogar uma tarefa importante seja incômodo, continuamos postergando do início ao fim. Pesquisas apontam que perto de 20% dos adultos são procrastinadores e prejudicam seus estudos e suas carreiras. Além de ser um péssimo hábito, procrastinar é uma autossabotagem capaz de acabar com o recurso mais precioso: nosso tempo.

Mas se sabemos que isso nos trará um mal estar, porque ainda assim nos autossabotamos? Segundo Christian Dunker, psicanalista e professor titular do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, disse à Exame, ao adiarmos alguma coisa que nos é desagradável, sentimos uma sensação de prazer. No entanto, em algum momento as consequências dessa decisão deverão ser enfrentadas.

Temos o hábito de fugir do sofrimento e por isso deixamos muitas coisas para amanhã. Só que isso pode se tornar um ciclo sem fim e podemos ficar presos nele por muito tempo.

Dicas de como evitar a procrastinação

Procrastinar é bastante comum mas pode se tornar um vício e gerar problemas para sua carreira, seja como estudante ou como profissional. À BBC, o psicólogo Tim Pychlyl, da Universidade de Carleton no Canadá, disse que quando se estuda usando o computador o problema é bem maior, pois com um clique, tudo pode ir por água abaixo.

Por isso, separamos algumas dicas infalíveis que podem te ajudar a acabar com esse péssimo hábito. Confira!

1. Faça as coisas na hora

Adote a regra dos dois minutos, ou seja, se uma tarefa demora menos de 2 minutos para ser feita, ela deve ser realizada imediatamente. Pequenas coisas devem ser resolvidas rapidamente, evitando assim, a procrastinação. Afinal, você vai precisar lidar com as pequenas coisas que fica prorrogando.

A intenção é que nenhuma tarefa seja esquecida. Mesmo usando a teoria dos dois minutos, pode acontecer de uma atividades durar mais que esse tempo, simplesmente porque você estava concentrado nela.

Guarde tarefas maiores e mais complexas para os momentos de maior produtividade e que você sabe que não será interrompido.

2. Defina metas a serem atingidas

Metas complexas e vagas tornam-se intimidadoras e desagradáveis, o que nos leva a procrastiná-las.

Para manter o foco, antes de mais nada é preciso priorizar. De uma lista de atividades, com certeza sempre existem as mais urgentes. Reavalie as suas metas para manter o foco.

Quebrar uma atividade em tarefas menores é um jeito de fazer um pouco por dia para fazer tudo no final. Por exemplo: que tal ler duas página de um livro por dia? De repente você vai passar a ler 10 e nem vai perceber porque se tornará um hábito.

3. Estabeleça uma política de recompensas

Fazer intervalos regulares funciona como recompensa e estimula a dedicação. As recompensas nos dão sensação de prazer e bem-estar, pois liberam dopamina.

Defina um período para focar na realização de uma única tarefa e elimine todas as distrações, em seguida tire um tempo para descanso como recompensa. Com a dopamina em alta, nosso cérebro passa a entender que momentos podem favorecer recompensas de curto prazo.

A técnica Pomodoro, criada por Francesco Cirillo no final dos anos 1980, é um método de gerenciamento de tempo muito eficaz no combate a procrastinação. Ela divide o momento de trabalho em períodos de 25 minutos, separados por breves intervalos.

Se você cumprir com planejado, ou finalizar o que devia no prazo, se dê de presente um passeio no shopping ou um dia folga.

Neste artigo do Vai de Bolsa damos três dicas de livros para melhorar a gestão de tempo.

4. Pare de acreditar que você é multitarefa

A neurociência diz que a atenção nos permite filtrar estímulos, mas não conseguimos isso por muito tempo. É por isso que ser multitarefa não é possível, pois ninguém consegue fazer várias coisas ao mesmo tempo. Isso quer dizer que nosso cérebro só consegue prestar atenção em uma coisa de cada vez.

Vale muito mais a pena se esforçar para ter horas de trabalho de qualidade do que mais horas de trabalho. Definitivamente você precisa aceitar que não consegue fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo, e que terá que deixar alguma coisa pra depois.

5. Conheça os seus momentos

Você precisa descobrir quais são os períodos do dia em que se concentra mais e é mais produtivo. Tendo essa consciência sobre sua performance você pode criar situações ideais para estudar. Vai administrar melhor sua energia evitando a procrastinação e fazendo o que tem que ser feito. Usar esses momentos de concentração para tarefas mais complexas é uma boa opção para o seu alto rendimento.

Comece se observando durante o dia e registre em que momentos você se sente mais concentrado. Ao entender como funciona seu cérebro, você consegue aproveitar muito mais o seu tempo distribuindo as tarefas corretamente, com direito a intervalos de descanso.

Além disso, é importante entender se procrastinar não está relacionado com depressão, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) ou transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), doenças que favorecem a procrastinação.

6. Adote novos hábitos

Adotar novos hábitos para aumentar sua produtividade vai ajudar a deixar de ser procrastinador. Alguns estudos dizem que o ambiente em que você está pode influenciar o seu foco. A forma como você organiza seu ambiente e até a temperatura do ar condicionado podem estar te prejudicando.

Desative as notificações do seu celular e feche todas as abas do seu navegador por um período de tempo. Qualquer alerta que desvie sua atenção vai atrapalhar a sua concentração. Hoje em dia o celular e as notificações são um dos nossos maiores sabotadores, principalmente durante os estudos. Muitas abas abertas podem nos levar a ficar passeando entre elas sem objetivo nenhum, apenas tomando nosso tempo.

Se você rever seus comportamentos conseguirá mudar a maneira como estuda ou trabalha. Você vai encontrar motivações para aumentar sua produtividade, cumprindo com os planos de estudo. É preciso estar confiante que você é capaz de alcançar seu sucesso sem se auto sabotar.

Bibliografia sobre procrastinação

Conheça alguns livros que falam sobre procrastinação e ensinam como se livrar de hábito:

  • Solving the Procrastination Puzzle: A Concise Guide to Strategies for Change – Timothy A. Pychyl (“Solucionando o quebra-cabeça da procrastinação”, em tradução livre, sem edição no Brasil).
  • A arte de fazer acontecer – O método GTD – Getting Things Done – David Allen:  ele criou o método GTD, um sistema de gestão que tem ajudado inúmeras pessoas e empresas a colocar ordem no caos equilibrando a vida pessoal e profissional. É uma referência em organização pessoal e fluxos de trabalho.
  • PROCRASTINAÇÃO: Guia científico sobre como parar de procrastinar (definitivamente) – Lílian Soares: bastante objetivo, este livro vai ajudar a desbloquear a mente, usando técnicas comprovadas pela ciência para vencer as barreiras que impedem um indivíduo de concretizar projetos, tarefas e antigos sonhos.

Resumindo, a procrastinação não faz bem e você deve eliminar esse hábito o mais rápido que puder. Para não atrapalhar seus estudos, siga as dicas e faça um planejamento com priorizações. Mude seus hábitos para estudar nos seus momentos mais proveitosos.

Entenda suas emoções e aprenda a controlá-las para ter sucesso em todas as áreas da sua vida, inclusive nos estudos.

Gostou das dicas? Encontre mais conteúdos como esse no Blog Vai de Bolsa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui