Fazer faculdade é o sonho de muita gente. Mas nem todo mundo tem condições de pagar pela mensalidade e ainda se sustentar durante a graduação. Se você se encaixa nesse perfil, não desanime. Existem os programas de bolsas do governo, que oferecem alternativas para quem fez o Enem nos últimos anos. Para você ter uma ideia, é possível obter bolsas de até 100% do valor da mensalidade em instituições de ensino privadas.

Prouni, Fies e P-Fies são algumas das opções. Elas geralmente abrangem quem estudou em escola pública, teve bolsa em uma instituição particular ou então tem renda familiar de até 3 salários mínimos por pessoa, entre outros requisitos.

Neste artigo, você vai conhecer melhor cada modalidade e como concorrer a uma vaga nesses programas. Vai saber que você pode estudar em instituições de muita qualidade, como Estácio, FMU e IBRM, por meio das bolsas. Além de outras dicas para cursar a faculdade pagando pouco ou até nada.

Continue lendo e entenda tudo sobre!

Leia também: Baixe grátis o nosso e-book Guia para conquistar o primeiro emprego

Programas de bolsas do governo

Prouni

Uma das formas mais conhecidas de conseguir bolsa na faculdade é por meio do Programa Universidade para Todos, o Prouni. Criado em 2004 e implementado no ano seguinte, essa modalidade de auxílio já formou milhares de profissionais em todo Brasil.

Só no primeiro semestre de 2019, foram oferecidas mais de 200 mil bolsas, para as quais concorreram 946.979 estudantes. 

Todos os anos, o programa abre inscrições duas vezes. No primeiro e no segundo semestre. E oferta bolsas integrais (100% do valor da mensalidade) e parciais (de 50%). Para concorrer, você precisa atender a alguns critérios. Veja quais a seguir!

Critérios para concorrer

Ter feito o Enem

Para buscar uma vaga pelo Prouni, você depende da sua nota na última edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Mas atenção: não basta ter feito o exame. Você precisa ter tirado, no mínimo, 450 na prova objetiva e não pode ter zerado a redação.

Aliás, quanto maior a sua nota, melhores são as chances de conseguir uma bolsa na faculdade que deseja. 

Ser aluno de escola pública ou ter estudado com bolsa

Outro ponto critério importante para conquistar uma vaga no programa é ter cursado todo o Ensino Médio em escola pública ou com bolsa integral em escola particular. 

Comprovar baixa renda

Mais um dos requisitos para concorrer a uma vaga com o Prouni é comprovar baixa renda. O candidato que comprovar renda familiar de até um salário mínimo por pessoa pode pleitear bolsas de 100%. Enquanto aqueles que possuem renda de, no máximo, três salários, podem tentar uma bolsa de 50%.

Ser professor de escola pública

Professores de escolas públicas também tem o direito de concorrer a uma vaga no Enem, independente se atendem a critérios de renda ou de onde cursaram o Ensino Médio. 

Para isso, eles devem comprovar que estão exercendo a profissão no momento da inscrição e precisam ter feito a última edição do Enem de qualquer forma. 

E vale avisar: quem se inscreve nessa modalidade pode concorrer apenas a vagas em cursos de licenciatura. 

Ser uma pessoa com deficiência

Pessoas com deficiência também se encaixam nos critérios de bolsa do Prouni e devem, como os demais candidatos, ter feito o Enem.

Como concorrer?

Tem o perfil necessário para concorrer a uma bolsa do Prouni? Então você precisa se inscrever no portal oficial do programa, durante as datas determinadas pelo governo federal.

Fique atento ao calendário anunciado pelo MEC e se prepare!

Fies

Outro dos programas de bolsas do governo é o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). Nesse caso, os alunos podem financiar os custos com a mensalidade e começar a pagar por elas assim que se formarem, sem juros. 

Vale avisar, inclusive, que o Fies também pode ser utilizado como complemento do Prouni, no caso dos candidatos que tenham bolsas parciais e não consigam arcar com a metade restante da mensalidade.

E outra vantagem do Fies é que muitas modalidades não exigem fiador! É o caso dos bolsistas parciais do Prouni, estudantes de licenciatura e aqueles que possuem renda familiar per capita de um salário mínimo. 

Critérios para participar

Para poder concorrer a uma vaga pelo Fies, os alunos devem ter participado de alguma edição do Enem desde 2010 e ter uma nota média acima de 450 na prova objetiva. Assim como não podem ter zerado a redação.

Além disso, só podem participar aqueles candidatos com renda familiar de até três salários mínimos por pessoa. 

Como concorrer?

Para se inscrever, o estudante precisa entrar também no portal oficial do Fies nas datas determinadas pelo MEC. Preste atenção para escolher a sua instituição de preferência, mas siga acompanhando a nota de corte enquanto isso. Dessa forma, você garante que não vai ficar sem a sua vaga!

P-Fies

Mais um dos programas de bolsas do governo é o P-Fies. Nessa modalidade, o financiamento é feito por instituições financeiras privadas, mas com recursos públicos. Por isso, os juros são mais baixos do que aqueles praticados normalmente pelo mercado. 

Critérios para concorrer

Para disputar a sua vaga, os critérios são semelhantes ao Fies: o candidato deve ter feito o Enem a partir de 2010 e tirado as notas mínimas que você viu acima. Mas nesse caso, o estudante pode ter uma renda familiar de até cinco salários mínimos por pessoa. O que abrange um pouco mais a concorrência. 

Como concorrer?

Assim como no caso dos demais programas de bolsas do governo, a inscrição para o P-Fies acontece pelo site oficial, nas datas estabelecidas pelo MEC. A diferença é que essa modalidade não tem fila de espera como as demais. 

Leia também: Bolsas e ajuda de custos que podem lhe ajudar na faculdade

Não consegui participar de um dos programas de bolsas do governo, e agora?

Perdeu as datas, não conseguiu fazer o Enem ou não se encaixa nos critérios obrigatórios para concorrer a um dos programas de bolsas do governo? Não se desespere. Ainda existem outras maneiras de conseguir fazer a sua graduação!

Geralmente as universidades oferecem bolsas oferecidas pela própria instituição, que obedecem a pré-requisitos próprios. Vale conferir as oportunidades de auxílio de instituições como Estácio, FMU e IBRM.

Há, por exemplo, a opção de tentar bolsas por desempenho acadêmico, de conseguir descontos para uma segunda graduação, procurar por convênio com empresas, entre outros modelos.

O importante é não se deixar abalar e manter a motivação para estudar. Afinal, fazer uma faculdade pode fazer uma diferença fundamental na sua carreira. 

Aliás, se você vai prestar vestibular ou fazer o Enem, confira também o nosso eBook que ensina Como fazer uma redação nota mil. Nele, você vai ver como arrasar nessa parte da prova e ainda tirar uma boa nota para garantir sua vaga nos programas de bolsas do governo!

Não deixe de acompanhar mais informações sobre cursos, bolsas, mercado de trabalho e dicas no blog Vai de Bolsa!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui