resumos de livros

Resumos de livros para o Enem ou vestibular: vale a pena ler?

Leia neste artigo sobre os resumos de livros, se eles podem ajudá-lo ou não no ingresso ao Ensino Superior.

A rotina de quem quer fazer uma graduação não é fácil. Terminar o Ensino Médio caso ainda não tenha concluído, escolher qual graduação cursar, estudar para o Enem e se preparar para os vestibulares que vai prestar é uma empreitada e tanto.

Cada edital de vestibular prevê a leitura de livros obrigatórios. Especificamente o Enem não prevê livros específicos, mas ele utiliza trechos de obras literárias brasileiras para que o aluno faça análises gramaticais ou a interpretação do texto.

Muitas são as disciplinas para estudar, muitos os conteúdos para exercitar e nem sempre o tempo disponível é suficiente para dar conta de todo esse material.

É nesse tempo que muitos estudantes recorrem aos resumos de livros para poder ter pelo menos uma visão geral do assunto abordado no livro, seu enredo principal, suas características literárias, personagens, contexto histórico, características dos autores e assim por diante.

Mas, diante dos conhecimentos cobrados dos alunos nas provas, os resumos dos livros auxiliam ou atrapalham no entendimento e, principalmente, no rendimento do estudante?

É o que veremos a seguir.

Você já leu resumos de livros?

Já teve a oportunidade de ler o resumo de algum livro de literatura?

É uma síntese, um compilamento breve e objetivo dos principais dados do livro, que apresentam sua ideia central e auxiliam o leitor na sua compreensão, mesmo sem ter realizado a leitura completa da obra.

Muitos resumos também são disponibilizados em formato de vídeo, como você pode conferir no Canal Curiosidade Virtual.

Estrutura básica dos resumos de livros

Normalmente os resumos de livros trazem uma estrutura básica para a explanação do conteúdo da obra. Essa estrutura busca dar uma visão ampla da obra, sua história, o propósito de sua escrita e, especialmente, busca fornecer informações mínimas que podem ser cobradas nos vestibulares e no Enem.

O que existe nessa estrutura:

  • dados básicos do autor, como nome, onde nasceu, breve história pessoal caso isso tenha influenciado diretamente a escrita do livro;
  • ano da obra;
  • estrutura do livro;
  • contexto da época;
  • história principal;
  • local ou locais em que a história se passa;
  • narrador e seu papel na trama;
  • personagens principais e secundários, suas histórias e papéis no livro;
  • implicações sociais, econômicas, ambientais, etc.
  • referências literárias e outras;
  • alguns resumos trazem também uma análise da literatura, fazendo apontamentos críticos à obra, o que auxilia no seu entendimento a partir de uma visão de um especialista.

Exemplo de resumo de livro

Sagarana (Guimarães Rosa)

Depois de Machado de Assis, Guimarães Rosa é considerado o maior escritor brasileiro de todos os tempos. Por isso seus livros são sempre clássicos da literatura.

Esta obra foi publicada em 1946 e é o livro de estreia do autor. Ela também marca a terceira fase do modernismo no país.

Sagarana é um conjunto de nove contos que se passam no interior de Minas Gerais, narrados na linguagem regional, sertaneja, ressaltando suas características.

Os contos são narrados em primeira e terceira pessoa, por figuras marcantes e até por animais, e falam dos “causos” mineiros e sua tradição oral.

Confira os contos que compõem o livro Sagarana:

  • O burrinho pedrês;
  • A volta do marido pródigo (traços biográficos de Lalino Salãthiel);
  • Sarapalha;
  • Duelo;
  • Minha gente;
  • São Marcos;
  • Corpo fechado;
  • Conversa de bois;
  • A hora e a vez de Augusto Matraga.

Vantagens dos resumos de livros

Como conversamos, esse tempo que antecede os vestibulares e o Enem é sempre turbulento devido às rotinas intensas de estudo.

Diante da imensidão de leituras e exercícios a serem realizados, os resumos de livros acabam sendo uma ferramenta auxiliar importante, pois:

  • apresentam os principais dados do livro;
  • apontam sua ideia central e seu objetivo principal, o que facilita a compreensão do todo da obra;
  • ao descreverem a trama e o desenvolvimento de sua escrita, permite interpretá-lo de maneira mais aprofundada para poder realizar a interpretação de questões que contenham seus textos;
  • auxiliam o estudante que não teve tempo hábil para uma leitura completa da obra;
  • auxiliam o estudante que, mesmo tendo lido a obra em sua íntegra, pode utilizar o resumo para relembrar seus dados principais;
  • as análises dos livros feitas por especialistas auxiliam o candidato a construir uma visão mais ampla da obra a partir de outras perspectivas do livro, de sua história, dos fatos relatados, dos personagens e do contexto em que se encontram.

Desvantagens dos resumos de livros

  • A leitura de um resumo de livro nunca substituirá a leitura da obra na íntegra. Um resumo é a extração das ideias principais, mas todo o valor agregado da leitura, do entendimento processual do contexto e das características da obra literária só ocorrerá quando você se debruçar sobre ela e a ler como seu livro de cabeceira. Mesmo que a linguagem textual seja mais difícil de ser assimilada, vale a pena o esforço da leitura.
  • Um resumo de um livro apresenta um compilado de informações, mas não o livro todo. Dessa forma, com certeza muitos detalhes importantes serão deixados de fora do resumo.
  • O processo de aquisição de conhecimento gramatical vem da prática da escrita e da leitura, ainda mais quando nos deparamos, na literatura, com estilos textuais tão diversificados.
  • A habilidade de entendimento e interpretação de texto é desenvolvida por meio de exercícios e, imprescindivelmente, da leitura. Por isso esta é e sempre será item obrigatório para um bom rendimento no Enem e nos vestibulares.
  • Com a habilidade da leitura, do entendimento e da interpretação e texto, sua habilidade de redigir textos melhorará significativamente. Assim, quer tirar uma boa nota na redação? Leia e diversifique sua leitura; leia os livros do início ao fim!

Exemplo de questões de livros de literatura

Para que você tenha uma ideia das questões sobre os livros que podem cair no Enem e nos vestibulares por aí, separamos três exemplos.

Questão 1

Livro: Memórias póstumas de Brás Cubas (Machado de Assis)

Vestibular: FUVEST-SP

“Algum tempo hesitei se devia abrir estas memórias pelo princípio ou pelo fim, isto é, se poria em primeiro lugar o meu nascimento ou a minha morte. Suposto o uso vulgar seja começar pelo nascimento, duas considerações me levaram a adotar diferente método: a primeira é que eu não sou propriamente um autor defunto, mas um defunto autor, para quem a campa foi outro berço; a segunda é que o escrito ficaria assim mais galante e mais novo. Moisés, que também contou a sua morte, não a pôs no introito, mas no cabo: a diferença radical entre este livro e o Pentateuco.” (trecho do livro)

Questão: O tom predominante no texto é de:

  1. luto e tristeza.
  2. humor e ironia.
  3. pessimismo e resignação.
  4. mágoa e hesitação
  5. surpresa e nostalgia.

Leia o resumo do livro “Memórias póstumas de Brás Cubas” em nosso blog Vai de Bolsa.

Questão 2

Livro: Dom Casmurro (Machado de Assis)

Vestibular: UFPR

A propósito de Dom Casmurro, de Machado de Assis, é correto afirmar:

(  ) a) A narrativa de Bento Santiago é comparável a uma acusação: aproveitando sua formação jurídica, o narrador pretende configurar a culpa de Capitu.

(  ) b) O artifício narrativo usado é a forma de diário, de modo que o leitor receba as informações do narrador à medida que elas acontecem, mantendo-se assim a tensão.

(  ) c) Elegendo a temática do adultério, o autor resgata o romantismo de seus primeiros romances, com personagens idealizadas entregues à paixão amorosa.

(  ) d) O espaço geográfico e social representado é situado em uma província do Império, buscando demonstrar que as mazelas sociais não são prerrogativa da Corte.

(  ) e) Bentinho desejava a morte de Escobar (até tentou envenená-lo uma vez), a ponto de se sentir culpado quando o ex-amigo morreu afogado.

Leia o resumo do livro “Dom Casmurro” em nosso Blog Vai de Bolsa.

Questão 3

Livro: Grande Sertão: Veredas (Guimarães)

Vestibular: Enem

Leia o seguinte trecho de Guimarães Rosa:

“E desse modo ele se doeu no enxergão, muitos meses, porque os ossos tomavam tempo para se ajuntar, e a fratura exposta criara bicheira. Mas os pretos cuidavam muito dele, não arrefecendo na dedicação.

– Se eu pudesse ao menos ter absolvição dos meus pecados!…

Então eles trouxeram, uma noite, muito à escondida, o padre que o confessou e conversou com ele, muito tempo, dando-lhe conselhos que o faziam chorar.

– Mas, será que Deus vai ter pena de mim, com tanta ruindade que fiz, e tendo nas costas tanto pecado mortal?

– Tem, meu filho. Deus mede a espora pela rédea, e não tira o estribo do pé de arrependimento nenhum…

E por aí afora foi, com um sermão comprido, que acabou depondo o doente num desvencido torpor.”

 

O trecho acima representa a seguinte possibilidade entre os caminhos da literatura contemporânea:

a) ficção regionalista, em que se reelabora o gênero e se revaloriza um universo cultural localizado.

b) narrativa de cunho jornalístico, em que a linguagem comunicativa retoma e reinterpreta fatos da história recente.

c) ficção de natureza politizante, em que se dramatizam as condições de classes entre os protagonistas.

d) prosa intimista, psicologizante, em que o narrador expõe e analisa os movimentos da consciência reflexiva.

e) prosa de experimentação formal, em que a pesquisa linguística torna secundária a trama narrativa.

Leia o resumo do livro “Grande Sertão: Veredas” em nosso blog Vai de Bolsa.

 

Para ler mais sobre dicas e notícias do Enem e vestibulares em geral, explore nosso blog!

  • Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *