A dúvida entre fazer uma nova graduação ou uma especialização é muito comum. Na verdade, é uma questão que divide a mente de muitos estudantes e profissionais. Normalmente, quem opta por uma segunda graduação tem dois grandes motivos: ou quer mudar completamente de área de atuação ou então, complementar seus conhecimentos, e em consequência ter um currículo melhor.

Independente do motivo que o levou à pensar em uma segunda graduação, é importante que você analise os pontos positivos e negativos, para ter certeza de que uma nova graduação vai valer a pena. Afinal, são pelo menos mais alguns anos dentro de uma sala de aula.

Por essa razão, se você deseja saber mais se vale a pena fazer uma segunda graduação, leia esse post até o final!

Quero mudar de área de atuação

Se a frase acima reflete o seu sentimento, saiba que você não está sozinho. Grande parte dos estudantes entram na universidade com mais ou menos 18 anos. Ou seja, ainda são muito jovens e, por isso, correm o risco de não saberem exatamente o que querem fazer.

Também é muito comum que os estudantes sintam-se pressionados para entrarem na faculdade assim que terminam o Ensino Médio, e por isso podem escolher um curso que não vai agradá-los futuramente. Existe também a parcela de jovens que, devido à pressão dos pais, acabam optando por uma carreira que não é a desejada.

Essa realidade reflete muito nos dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Segundo o órgão nacional, no ano de 2017 quase 56% dos alunos que entraram na faculdade em 2010 não se formaram com a sua turma. Ou seja, 1.392.586 estudantes desistiram do curso, por diversas razões que vão desde a troca de faculdade, até a troca de curso.

Entenda mais sobre a nova área

Para ter certeza que mudar de área e fazer uma nova graduação é a melhor das opções, faça a você mesmo as perguntas abaixo:

  1. Qual o motivo que me faz não gostar da minha área atual?
  2. O que mais me atrai na nova área? Por que eu acredito que vou gostar dessa área?
  3. Qual é o tempo de duração e valor do novo curso?
  4. Estou preparado para começar tudo de novo?
  5. Quanto tempo tenho para disponibilizar para uma nova graduação?
  6. Como está o mercado de trabalho da minha área atual? Quais oportunidades eu vou ter se continuar onde estou?
  7. Como está o mercado de trabalho da minha área que eu quero trabalhar? Quais as oportunidades que eu terei?
  8. Existe demanda para a área nova? O que poderia me frustrar?
  9. Eu me vejo realizado nesta nova área?

Se precisar, anote as perguntas em um papel ou bloco de notas no computador e escreva suas respostas. Tente entender verdadeiramente seus anseios e o que pode dar certo ou errado. Dessa forma, sua decisão será mais assertiva.

Lembre-se que entender o mercado de trabalho e as oportunidades da nova área de atuação é muito importante. Converse com pessoas que trabalham na área e entenda à fundo como ela funciona. Aproveite também para esclarecer suas principais dúvidas sobre a área ou curso.

Quero dar um “up” no meu currículo

Agora, se a frase acima faz mais sentido para você, é necessário que você entenda qual é a melhor opção: realizar uma nova graduação ou então fazer uma pós-graduação ou especialização?

Alguns profissionais optam por fazer mais uma graduação que seja complementar à sua primeira formação, como por exemplo um jornalista que vai fazer a segunda graduação em publicidade. Nesse caso, ele quer aprender mais sobre a linguagem publicitária, marketing e afins. Ou então, um profissional formado em Letras Português que vai buscar uma segunda graduação complementar em Letras Espanhol.

Você deverá fazer uma análise e entender se a segunda graduação será realmente complementar para o seu currículo e se ela abrirá novas portas e oportunidades.

Entenda os benefícios de uma segunda graduação

Assim como no primeiro caso, é interessante que você responda a algumas perguntas, para entender se a segunda graduação fará sentido para você:

  1. Qual o motivo que me faz querer cursar uma segunda graduação?
  2. Quais serão os benefícios que eu terei em minha carreira?
  3. Qual é o tempo de duração e valor do novo curso?
  4. Estou preparado para começar tudo de novo?
  5. Quanto tempo tenho para disponibilizar para uma nova graduação?
  6. Existe uma pós-graduação, especialização ou até mesmo tecnólogo que pode suprir a mesma necessidade em menos tempo?

Se depois de responder a todas essas perguntas, você chegar a conclusão de que a segunda graduação é a melhor opção, faça um plano de careira bem estruturado. Aponte os passos que você terá que dar para chegar onde deseja. Leve em consideração o tempo necessário para finalizar a segunda graduação e também o valor que será investido.

Já me decidi! Vou fazer a segunda graduação

Se você já colocou os prós e contras na balança e decidiu que a melhor opção é realizar uma segunda graduação, o momento agora é para você encontrar as melhores opções.

Ensino à distância

Para quem já está no mercado de trabalho e não tem muito tempo para dedicar a uma graduação presencial, o sistema de Ensino à Distância (EaD), pode ser uma ótima alternativa.

Com uma gama enorme de cursos e universidades disponíveis, você pode encontrar facilmente o curso que mais se adeque as suas necessidades. Além disso, no ensino à distância o aluno fica mais independente para criar as suas rotinas de estudo.

Quer usar o horário do almoço para finalizar uma aula, ou focar nos estudos só depois do horário do expediente? Os cursos EaD possibilitam essa flexibilidade. Mas vale lembrar que mesmo nos cursos à distância, o aluno deverá realizar provas e trabalhos. É provável que as provas sejam realizadas de forma presencial, nos chamados polos de apoio.

O Fies pode te ajudar

Para quem quer fazer uma segunda graduação, mas não tem muito dinheiro para investir, pode recorrer ao Financiamento Estudantil (Fies). O Fies funciona como um empréstimo, onde você recebe um crédito universitário. O estudante começa a pagar as mensalidades apenas após a finalização do curso, sem juros.

O Fies também pode ser usado para a segunda graduação, porém, a disputa para conseguir é mais acirrada. Isso porque a prioridade do programa é para alunos que não possuem nenhuma formação superior. As vagas para segunda graduação acabam sendo as remanescentes.

Veja mais detalhes sobre o Fies no Blog Vai de Bolsa.

Reflexão sobre o seu futuro

Antes de tomar qualquer decisão, lembre-se de responder as principais perguntas que te ajudarão a ter uma escolha mais assertiva. Converse com pessoas que já passaram pela mesma situação que você e entenda que, apesar da graduação ser super necessária no mercado de trabalho, ela não é mais um diferencial.

Para saber mais sobre os cursos de graduação, acesse o Blog Vai de Bolsa. Nele você encontra um apanhado sobre os principais cursos, sua grade curricular e mercado de trabalho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui