Uma pesquisa realizada pelo LinkedIn afirma que um dos setores que mais contrataram no Brasil em 2019 foi o de Tecnologia da Informação. Porém essa “pedra” já era “cantada” há um bom tempo por especialistas.

Uma pesquisa encomendada pela revista Veja no final de 2018, já afirmava que as profissões ligadas à tecnologia de informação estariam em alta em 2019. Isso, segundo a pesquisa, por conta dos poucos profissionais especializados e muitos postos a serem preenchidos.

Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), além de ser um dos setores que mais contrataram, este foi responsável por 7% do PIB de 2018 e demandará 420 mil novos empregos entre 2018 e 2024.

Veja aqui nove opções de cursos de tecnologia para quem quer atuar nesta área.

Setores que mais contrataram segundo o Caged

O Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho separa os postos de trabalho em nove áreas. Estas são analisadas mês a mês pelo número de contratações e número de demissões, gerando um saldo de postos de trabalho.

De acordo com o Caged, esses foram os setores que mais contrataram no Brasil em 2019 até o mês de agosto:

Serviços

O setor de serviços foi o que mais contratou em 2019. Foram 354.638 novos postos de trabalho. Só no mês de agosto foram criados 61.730, sendo que o setor de Ensino foi responsável por 32,65%.

A maioria em São Paulo e Minas Gerais. Outro setor que também contribuiu foi o Comércio e Administração de Imóveis e Valores Imobiliários que foi responsável por 28,13% desses postos de trabalho.

Construção Civil

Em 2019, a construção civil foi um dos setores que mais contrataram. Foram 96.575 novas pessoas. No mês de agosto, foram 17.306 novos postos.

O subsetor que mais contribuiu foi a Construção de Edifícios com 21,76%. Outro que também fez diferença foi o Obras para Geração e Distribuição de Energia Elétrica e para Telecomunicações com 15,2%.

Neste, destacam-se Bahia e Minas Gerais.

Indústria da Transformação

A Indústria da Transformação foi um setor que contribuiu com 94.425 novos postos de trabalho em 2019. Em agosto foram 19.517.

Considerando esse mês, o subsetor que mais gerou novos trabalhos foi a Indústria de Produtos Alimentícios, Bebidas e Álcool Etílico com 83,12%. Esses postos foram gerados a maioria nos estados de Alagoas e Pernambuco.

Agropecuária

Agropecuária sempre foi um dos setores que mais contrataram. Porém, por mais que durante o ano o saldo de postos de trabalho da Agropecuária tenha sido positivo (79.329 novos postos), em agosto, teve um saldo negativo (-3.341).

Isso significa que houve um maior número de desligamentos do que de admissões nesse mês. O subsetor que mais colaborou com essa baixa foi o Cultivo de Café, com 14.056 desligamentos em agosto.

Administração Pública

O setor público teve seu primeiro saldo anual positivo desde 2015 com 16.594 novos postos de trabalho. Segundo o site G1, até o início do ano, o saldo tinha sido sempre negativo. Isso porque a queda no número de vagas coincidia com a suspensão de concursos federais nos últimos anos.

Além disso, também teve a ver com o programa de demissão voluntária (PDV) instituído pelo governo Temer em 2017. Administração Pública passou a ser um dos setores que mais contrataram em 2019, a partir de fevereiro.

Extrativa Mineral

Esse setor teve um saldo de 5.497 novos postos de trabalho em 2019. Em agosto teve 1.235, sendo que a Extração de Minério de Ferro contribuiu com 48,9% desses novos postos.

Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP)

Esse setor inclui serviços como eletricidade, gás, água, esgoto e descontaminação. Ele teve um saldo de 5.302 postos de trabalho durante o ano de 2019. Já em agosto teve um saldo negativo de -77 postos. Uma queda de -0,02% em relação ao mês anterior.

No Ranking do Saldo de Emprego por Estado, os 5 primeiros de agosto de 2019 são: São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Paraná e Paraíba. Em último estão Sergipe e Rio Grande do Sul.

Comércio

O setor de Comércio até teve um saldo de postos de trabalho positivo em agosto (23.626 postos). Porém, o desempenho em 2019 não tem sido bom.

São 2.629.823 desligamentos e 2.570.930 admissões. Isso dá um saldo negativo de 58.893 postos de trabalho em 2019. O que colaborou com o aumento no mês de agosto foi o Comércio Varejista. Este foi responsável por 85,28% dos postos.

E para 2020, quais as perspectivas de contratação?

Segundo Mario Custódio, Diretor Associado da empresa de consultoria de recrutamento e seleção Robert Half, “para 2020, a expectativa é de aquecimento na demanda por profissionais C-Level, que estarão focados em iniciativas que visem o crescimento das companhias”.

O que isso significa? C-Level é um conjunto de cargos executivos de pessoas de alto escalão. Ou seja, as empresas que antes apostaram em funcionários menos experientes, agora partir para a contratação de pessoas mais experientes.

Em seu Guia Salarial 2020, a empresa mapeou os cargos e salários para nível de média e alta gerência. Foram analisadas oito áreas.

São elas: Finanças e Contabilidade, Mercado Financeiro, Seguros, Engenharia, Tecnologia, Vendas e Marketing, Recursos Humanos e Jurídico.

Veja abaixo os cargos que devem estar em alta em 2020. Os valores mínimo e máximo variam conforme o porte da empresa:

Finanças e Contabilidade

Cargos em alta: Cargos de Planejamento Financeiro e de Finanças Corporativas.

Habilidades: Visão estratégica, boa comunicação, dinamismo, capacidade de influenciar, domínio do idioma inglês, visão do negócio, orientação a resultados e perfil multidisciplinar.

Faixa salarial: vai de R$ 2.800,00 para Analista de Planejamento/Controladoria Júnior e R$ 41.500,00 para Gerente de Planejamento Financeiro/Controladoria com muita experiência.

Mercado Financeiro

Cargos em alta: Analista e Gerente de Auditoria e Compliance (orienta a execução de normas através das regras da empresa), Gerente Comercial, Analista e Gerente de Crédito e Riscos e Gerente de Inovação Digital.

Habilidades: transformar o tecnológico em ação digital, boa comunicação, visão estratégica, senso de dono, perfil inovador e domínio do idioma inglês.

Faixa salarial: de R$ 9.900,00 para Analista de Auditoria e Compliance com pouca experiência a R$ 69.600,00 para Gerente de Crédito e Riscos.

Seguros

Cargos em alta: Analista de Subscrição, Gerente de Inovação Digital, Analista de Produtos e Gerente Atuarial.

Habilidades: transformar o negócio em ação digital, boa comunicação, visão estratégica, perfil inovador e domínio do idioma inglês.

Faixa salarial: pode ir de R$ 6.050,00 para Analista de Produtos com pouca experiência até R$ 47.250,00 para Gerente de Inovação Digital.

Engenharia

Cargos em alta: Coordenador de Customer Service, Coordenador de Planejamento, Engenheiro de Aplicação e Vendas, Diretor de Operações, Gerente de Planta e Comprador.

Habilidades: bom relacionamento interpessoal, conhecimento do negócio, orientado a resultados, perfil facilitador, senso de dono, perfil analítico, bom comunicador, flexibilidade, mão na massa, domínio do idioma inglês.

Faixa salarial: vai de R$ 3.000,00 para comprador e R$ 68.500,00 para Diretor de Operações (no caso de empresas com faturamento acima de R$ 500 milhões.

Tecnologia

Cargos em alta: Gerente de TI, Desenvolvedor, Cientista de Dados, Chief Technology Officer (CTO) e Segurança da Informação (todos os níveis).

Habilidades: domínio do idioma inglês, agilidade, foco em resultado, visão estratégica, boa comunicação e capacidade de se atualizar rapidamente.

Faixa salarial: de R$ 3.100.00 para Desenvolvedor Mobile Junior até R$ 50.300,00 para CTO.

Vendas e Marketing

Cargos em alta: Analista de Inteligência de Mercado, Head of Growth (responsável pelo marketing voltado para experimentos), Executivo de contas, Gerente de Vendas, Analista de Marketing Digital e Gerente de Marketing.

Habilidades: familiarização com tendências tecnológicas, foco em resultados, perfil analítico, multitarefa e perfil Hunter (“caçador” de novos clientes).

Faixa salarial: pode ir de R$ 3.450,00 para Analista de Marketing Digital iniciante em uma empresa pequena ou média até R$ 33.800,00 para um Head of Growth com bastante experiência em uma empresa de porte grande (faturamento acima de R$ 500 milhões).

Recursos Humanos

Cargos em alta: Gerente de RH Generalista, Coordenador de RH Generalista, Business Partner (profissional que gerencia pessoas com foco no negócio) e Recrutamento e Seleção (todos os níveis).

Habilidades: foco no negócio, senso de dono, olhar estratégico, perfil multitarefa, visão analítica e orientação por resultados.

Faixa salarial: varia entre R$ 5.100,00 para o Analista de Recrutamento e Seleção em uma empresa pequena ou média e R$ 28.000,00 para o Gerente de RH Generalista em uma empresa grande.

Jurídico

Cargos em alta: Diretor Jurídico, Gerente Jurídico, Tributário e Compliance.

Habilidades: perfil inovador, senso de dono, perfil comercial, visão de negócio, foco em resultados e perfil Business Partner.

Faixa salarial: vai de R$ 4.100,00 para Advogado Pleno Tributário até R$ 52.150,00 para Diretor Jurídico de uma grande empresa.

E a sua profissão? Está entre os setores que mais contrataram em 2019? Fique ligado sempre nas tendências de mercado acompanhando nosso blog! Leia também o nosso post sobre as profissões do futuro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui