Se você quer cursar uma universidade pública, é importante conhecer o Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Essa é a principal ferramenta de acesso a essas instituições e desempenha um papel fundamental para o ingresso no ensino superior gratuito. Através do Sisu, muitas oportunidades de vagas são criadas para que o ensino nas universidades seja democrático.

Para participar desse método de seleção é preciso ter feito a última edição do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), que é o maior exame público do país.

Caso não saiba nada sobre essa sigla, aqui encontrará um guia para nortear você e elucidar as dúvidas na hora de escolher um curso para a faculdade através do Sisu. Portanto, esse texto servirá de apoio para sanar as dificuldades sobre os critérios e procedimentos exigidos pela plataforma.

O que é o Sisu?

Ele é o sistema informatizado do MEC (Ministério da Educação), que visa a democratização do ensino superior. É o principal meio de acesso às universidades públicas do país.

Atualmente, a maioria dessas instituições adotam o Sisu totalmente ou parcialmente como método de seleção para ingresso em seus cursos. É uma plataforma que facilita o acesso de inscrição do aluno para instituições de outras cidades. Dessa forma, o aluno não precisa viajar para que possa concorrer a uma vaga fora de sua cidade.

Como funciona o Sisu?

A plataforma de acesso funciona de forma simples, interativa e totalmente online.

O processo seletivo via Sisu ocorre duas vezes ao ano, antes do início de cada período letivo das universidades. Para que o aluno possa efetuar o cadastro, é preciso que tenha realizado o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) e não ter tirado nota zero na redação.

O período de inscrição dura em média três dias. Durante esse tempo, o candidato pode acompanhar as notas de corte e sua classificação geral para o curso que escolheu. Dessa forma, poderá alterar a opção durante o período de inscrição. Se por acaso não tiver atingido a nota de corte, por exemplo, poderá tentar outro curso com um ponto de corte mais baixo.

É importante lembrar que o aluno pode selecionar duas preferências de curso, mas somente a primeira opção valerá se tiver atingido a nota de corte, excluindo automaticamente a segunda opção. Portanto, fique atento para não confundir a ordem de sua preferência e perder a inscrição no curso que você mais deseja.

O que é a nota de corte?

É basicamente a menor nota do último candidato potencialmente classificado em algum curso. Ela pode servir de referência e auxiliar o aluno sobre o nível de concorrência. Nesse sentido, um curso com uma nota de corte alta indica que a exigência e a concorrência serão grandes.
Em contrapartida, é importante que você saiba que ela não garante o seu ingresso no curso naquele momento. Isso porque ela não é calculada em tempo real, mas sim no fechamento das notas a cada dia. Portanto, ela pode variar de um dia para o outro, sendo mais alta ou mais baixa.

Para que você tenha uma noção das notas de corte do Sisu, o MEC lançou um site que simula o ponto de corte de cada curso. Essa pode ser uma ferramenta importante na hora de você escolher a sua graduação. Confira o site nesse link.

Como se inscrever no Sisu

Primeiramente, o candidato deverá acessar a página principal, que você poderá conferir nesse link. Ali você descobrirá os prazos de inscrições dos cursos. Para quem fez a edição do Enem em 2018, por exemplo, as inscrições no primeiro semestre ocorreram entre 22 e 27 de janeiro de 2019 e, para o segundo, entre os dias 4 e 7 de junho.

Após descobrir as datas de inscrição, você deverá utilizar o seu número de inscrição do Enem, que pode ser consultado neste link. Com esses dados em mãos, agora deverá preencher os campos correspondentes, inserindo ali as suas informações. Após isso, automaticamente o Sisu irá resgatar as notas obtidas no exame realizado correspondente aquele ano de seleção.

O próximo passo que deverá seguir é escolher as opções de cursos e as instituições, logo em seguida, selecionar o tipo de concorrência que você se enquadra.

As instituições podem oferecer até três tipos de vagas, podendo existir modalidades de concorrência diferentes. Veja a seguir quais são:

  • Vagas de ampla concorrência: são aquelas que você não fará parte de nenhuma política afirmativa.
  • Vagas reservadas de acordo com a Lei nº 12.711/2012 (Lei de Cotas): dessa forma, você irá efetuar o cadastro de acordo com sua etnia.
  • Vagas destinadas às demais ações afirmativas da instituição: nessa modalidade estão inseridas as pessoas com necessidades especiais.

Posteriormente, você poderá alterar os dados de cadastro, se necessário. Portanto, tome cuidado para que esteja tudo correto para evitar transtornos futuros.

O processo para inscrição do Sisu é muito simples e intuitivo. Geralmente não costuma demandar muito tempo. Certamente, você não terá dificuldades nessa tarefa.

Quem poderá participar do Sisu 2020

Poderão se inscrever no Sisu do próximo ano, aqueles que realizarem o Enem no ano de 2019 e que não tirem nota zero na redação.

Como é realizado o processo de seleção no Sisu

Após você efetuar o cadastro de forma correta e o sistema recuperar as suas notas obtidas no exame, é hora de se preocupar com o período de inscrição. Para isso, é importante que você esteja atento para não perder nenhum prazo. O processo de seleção funciona em duas etapas: primeira e segunda chamada. Quando o número de candidatos não atinge o número suficiente de vagas, o curso abre uma nova chamada para ocupar as vagas restantes.

Você finalmente foi aprovado para o curso da instituição que deseja. Portanto, agora você dará um passo importante que é se matricular junto à instituição de ensino selecionada. Para isso, fique de olho no local, na hora e os procedimentos necessário para efetivar a matrícula. Tome cuidado para que não falte nenhum documento nessa hora, eles são determinados por cada instituição. Geralmente você precisará do histórico de conclusão do Ensino Médio, CPF, RG, comprovante de residência, entre outros.

Lista de espera

Se você não foi selecionado após o término do período das inscrições das chamadas regulares, não fique chateado. Ainda há chances.

Para isso, é necessário que você faça parte da lista de espera acessando o site do Sisu nesse link. O candidato poderá manifestar interesse na primeira ou segunda opção de curso os quais optou em concorrer. Certifique-se de que sua solicitação foi computada, o sistema emitirá uma mensagem de confirmação.

Fique atento ao cronograma especificado pelo curso para a data e a hora de convocação. A lista de espera estará organizada por ordem de classificação, desse modo, será feita uma chamada oral em um local e hora determinados pela instituição até o preenchimento de todas as vagas remanescentes. Portanto, não desanime.

Lembre-se: o Sisu é uma plataforma democrática e pode ser acessada por candidatos que não residem na mesma cidade ou Estado da instituição. Dessa forma, muitos candidatos que estão na sua frente podem não ir para a convocação por inúmeros motivos. Então, a esperança é a última que morre, você conseguirá a tão sonhada vaga em uma instituição de ensino público.

Caso você não tenha sido selecionado no processo seletivo do primeiro semestre, fique atento, pois o Sisu ocorre duas vezes ao ano. No início do segundo semestre, você poderá seguir os mesmos processos.

Agora que você sabe melhor como funciona o Sisu e os critério dos processos de seleção, não será difícil você efetuar seu cadastro. Tome cuidado ao confirmar seus dados, dessa forma, evitará erros que podem tomar tempo para corrigir.

Se você gostou desse conteúdo e tem interesse pela educação, não deixe de acessar o blog Vai de Bolsa. Aqui você encontrá diversos conteúdos relacionados a esse tema.