Curso técnico de enfermagem: tudo o que você precisa saber

Curso técnico de enfermagem: tudo o que você precisa saber

Há um senso comum de que depois do Ensino Médio vêm o vestibular e a universidade, e que no meio desse caminho você precisa escolher uma profissão para exercer para o resto da vida. Primeiro que você pode mudar de ideia: nenhuma profissão é para sempre! Você pode descobrir isso no meio da graduação ou até mesmo quando entrar no mercado de trabalho.

O segundo ponto é que existem os cursos técnicos. Eles são indicados para quem está ansioso para entrar no mercado de trabalho ou até mesmo para aqueles estudantes que querem ter um primeiro contato com a área de atuação antes de se jogar de cabeça na universidade. Essa estratégia é adotada principalmente por quem pretende entrar em cursos da área da saúde, pois contam com essa fama de serem concorridos e exigirem bastante dos estudantes. Se você quer ser enfermeiro, por exemplo, pense na possibilidade de entrar em um curso técnico de enfermagem.

Esses cursos de formação costumam ser mais baratos que a mensalidade de uma universidade, a formação é mais rápida e prática, tem boa aceitação no mercado de trabalho e você ainda precisará fazer um estágio. Sabe o que isso significa? Que logo menos você estará trabalhando como auxiliar em um hospital!

Quer saber mais sobre o curso técnico de Enfermagem? Qual a sua grade curricular e quais são as chances de emprego depois da conclusão? Continue a leitura do artigo!

Como é o curso técnico de enfermagem?

O técnico em enfermagem é formado em curso de nível médio com uma média de quatro semestres de duração. Nele, há um equilíbrio entre aulas teóricas e práticas em laboratórios para que os estudantes vivenciam a rotina de cuidado dos pacientes em um hospital.

Os professores desses cursos são enfermeiros com bastante prática hospitalar ou ainda profissionais que fizeram licenciatura em Enfermagem. Ao final do curso, o estudante deverá fazer um estágio supervisionado.

Para se matricular é necessário estar cursando a partir do segundo ano do Ensino Médio e ter a partir de 17 anos. No entanto, a maioria das instituições liberadas para ministrar o curso técnico em Enfermagem exige que o aluno seja maior de 18 e tenha concluído o Ensino Médio.

Leia também: Por que alunos brasileiros estão cursando Medicina no Paraguai?

Grade curricular do curso técnico de enfermagem

Como falamos anteriormente, é um curso que visa preparar o profissional para atuar em hospitais em dois anos. Como o que está em jogo é a vida das pessoas, esse conjunto de disciplinas assegura que o estudante saia do curso preparado para lidar com a rotina de clínicas e hospitais.

Confira abaixo as principais disciplinas do curso técnico em Enfermagem:

  • Anatomia;
  • Atendimento humanizado;
  • Farmacologia;
  • Fisiologia aplicada à Enfermagem;
  • Ética na Enfermagem;
  • Enfermagem cirúrgica;
  • Enfermagem em emergências;
  • Enfermagem em pacientes críticos;
  • Saúde coletiva;
  • Saúde da Criança e do Adolescente;
  • Saúde da Mulher;
  • Saúde do Idoso;
  • Saúde Mental.

Além dessas disciplinas, o estudante precisa cumprir cerca de 600 horas de estágio supervisionado para conseguir o diploma de técnico em Enfermagem. É preciso ressaltar ainda que, depois de concluir o curso, é necessário tirar registro no Conselho Regional de Enfermagem (Coren) para poder atuar na profissão.

O que faz um técnico de enfermagem?

No Brasil existem basicamente três profissionais trabalhando em enfermarias: o auxiliar de enfermagem, o técnico em enfermagem e o enfermeiro. O primeiro, como o próprio nome já diz, auxilia o trabalho na enfermaria e, portanto, suas funções são mais limitadas. Esse profissional cuida da alimentação e higiene dos pacientes, além de realizar alguns procedimentos pré e pós-operatórios, preparar os pacientes para exames, desinfeta os materiais cirúrgicos, entre outros.

Já o técnico em enfermagem é responsável por procedimentos de baixa e média complexidade, como: aplicar vacinas, coletar materiais para exames, atuar na prevenção de doenças, realizar procedimentos em pacientes em estado grave e atuar também no controle da infecção hospitalar.

Por fim, o enfermeiro é responsável por supervisionar o trabalho tanto do auxiliar quanto do técnico em enfermagem. Ele é o profissional de nível superior e pode exercer todas as atividades previstas na legislação que rege a profissão: a Lei nº 7.498, de 25 de junho de 1986. Enfermagem estética, enfermagem forense, passando pela enfermagem geral e geriátrica, pediátrica e obstetrícia e até enfermagem do trabalho.

Como é o mercado de trabalho para o técnico em enfermagem

A Pesquisa Perfil da Enfermagem, realizada pela Fiocruz em parceria com o Conselho Federal de Enfermagem, apontou que 92% dos auxiliares e técnicos em enfermagem estão ativos no mercado de trabalho. Do total de profissionais registrados no Coren apenas 4% estão desempregados, 1,2% está aposentado e 0,4% abandonou a profissão. 

Esses dados nos levam a inferir que o campo para o técnico em enfermagem é de bastante oportunidade, já que a taxa de emprego em 12 meses é de 84,3%. Por outro lado, 61,9% dos entrevistados responderam que não foi tão simples encontrar emprego. Os fatores citados por eles foram: pouca informação sobre vaga de emprego, falta de concursos públicos, falta de especialização para o cargo, pouco oferta de emprego em tempo parcial e falta de experiência profissional.

A maioria dos técnicos de enfermagem está no Sudeste (39,1%), no Nordeste (23,7%) e no Sul (12%). Outro dado bastante relevante da pesquisa é que apenas 23% dos profissionais que exercem o trabalho de enfermagem no Brasil têm graduação.

Assim como os enfermeiros, os técnicos em enfermagem podem atuar diferentes instituições. Confira abaixo algumas delas:

  • abrigos para menores;
  • casas de repouso;
  • creches e escolas;
  • clínicas;
  • hospitais;
  • laboratórios de análises clínicas e de radiodiagnósticos;
  • spas.

Quanto ganha um técnico em enfermagem

Já uma pesquisa da Catho mostrou a trilha de carreira para quem inicia o trabalho como auxiliar técnico até chegar ao cargo de enfermeiro. Esse percurso leva em média seis anos. Ou seja, o auxiliar precisa fazer o curso técnico em enfermagem e a graduação em enfermagem. 

Segundo a Catho a média salarial de um técnico de enfermagem no Brasil é de R$ 1.782,87. Os estados que contam com os melhores salários são: São Paulo, Santa Catarina e Rio de Janeiro. Já os que oferecem os menores pagamentos são: Maranhão, Pernambuco e Piauí.

Os enfermeiros por sua vez recebem em média R$ 3.092,89. Os estados que pagam os melhores rendimentos são: São Paulo, Mato Grosso e Rio Grande do Sul. E os que pagam menos são: Paraíba, Espírito Santo e Pernambuco.

Agora que você já sabe o que faz e quanto ganha um técnico em enfermagem no Brasil, conheça os melhores cursos técnicos para quem quer trabalhar logo. Ou, se você já tem certeza que a área da saúde é sua verdadeira paixão, leia o artigo: Conheça 6 cursos técnicos na área da saúde.

Espero que as leituras sejam úteis e não se esqueça de voltar na página para deixar o seu feedback. Até a próxima!