Muita gente decide que quer trabalhar na bolsa de valores quando vê esses profissionais na televisão, no cinema ou até lê sobre eles nos jornais. Em outras palavras, o que mais atrai nessa carreira são os ganhos financeiros, que realmente podem ser muito altos. Mas a dúvida que fica é: qual curso fazer para atuar no mercado financeiro? Você vai saber que para atuar nessa área é preciso partir para formações amplas como administração, economia ou até contabilidade.

Uma coisa é certa: você deverá ter afinidade com a área de exatas. Mas também a capacidade de “ler” o mercado. Neste post, vamos detalhar quais as formas de trabalhar na bolsa de valores como corretor e, com isso, impulsionar sua carreira. Confira!

O que faz um profissional da bolsa de valores?

Antes de tudo, é importante explicar o que faz um profissional da bolsa de valores. Afinal, muita gente ouve falar sobre o glamour do trabalho, mas não entende na prática como funciona essa profissão.

Filmes como O Lobo de Wall Street e À Procura da Felicidade criaram uma imagem um pouco equivocada do dia a dia desse segmento. Na prática, essa profissão é bem menos luxuosa e não significa, necessariamente, dinheiro rápido e fácil. Mas ainda tem alguns dos melhores salários do país. 

De forma geral, o corretor financeiro tem a função de orientar pessoas físicas ou jurídicas com relação aos melhores investimentos que podem fazer. Ele faz isso com base no seu conhecimento do mercado financeiro e análises cuidadosas.

Portanto, precisa de uma boa base sobre economia e finanças. Isso significa que existem alguns cursos de graduação que são ideais para quem deseja trabalhar na bolsa de valores.

Conheça melhor essas faculdades no próximo tópico!

Melhores cursos para trabalhar na bolsa de valores

Economia

O curso de economia, é claro, pode ser uma boa opção para quem tem interesse em trabalhar no mercado financeiro. Seu currículo possui disciplinas como estatística, macroeconomia e economia financeira e a duração é de quatro a cinco anos. 

Além de trabalhar na bolsa de valores, o economista faz análises do ambiente econômico. Estuda a viabilidade econômica de projetos e elabora planos econômicos para organizações públicas e privadas. Normalmente, ele atua em bancos, corretoras, consultorias ou órgãos públicos. 

Ciências contábeis

O bacharel em ciências contábeis é outro profissional preparado para atuar no mercado financeiro. No curso, ele estuda legislação, estatística, matemática, entre outras disciplinas que podem ajudar a guiar os investimentos.

Em geral, os formados em contabilidade tem bastante capacidade analítica, o que os ajuda a se dar bem na bolsa de valores. 

O curso tem duração de 4 anos e, depois de graduado, o aluno pode atuar também como contador, perito, auditor, analista fiscal ou analista financeiro. Além disso, ele possui a vantagem de ser bastante consolidado em todo país. Atualmente, existem mais de mil cursos de contabilidade espalhados pelo Brasil. 

Administração

Outro curso muito ofertado pelo país, o bacharelado em administração também garante conhecimentos importantes aos alunos que desejam trabalhar na bolsa de valores. 

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o curso de administração é a graduação mais ofertada no país, por quase 2 mil instituições de ensino. Ele tem duração de quatro anos e, depois de formado. O estudante ainda pode atuar em diversas outras áreas, como nos setores de recursos humanos e financeiro. Tanto de empresas privadas quanto instituições públicas. 

Ciências atuariais

Mais um profissional com expertise para atuar no mercado financeiro é o atuário. Ele trabalha com cálculos previdenciários, seguros, entre outras operações financeiras que envolvem risco.

Ou seja, por já estarem habituados a trabalhar com esse tipo de cálculo, esses profissionais têm boas chances de se darem bem no mercado financeiro. 

O ponto negativo dessa carreira, porém, é que existem poucos cursos de Ciências Atuariais no país. Segundo o MEC, são apenas 14 em todo Brasil.

Direito

Além disso, os bacharéis em Direito também podem trabalhar na bolsa de valores. Não necessariamente como corretores, mas também dando suporte para grandes negociações financeiras.

Esse profissional faz diagnósticos de empresas e procura evitar transações envolvendo instituições com problemas jurídicos. Para isso, ele deve estudar não apenas a legislação civil e penal. Mas também o funcionamento do mercado de capitais e questões econômicas maiores. 

O esforço, portanto, é grande. Mas a recompensa financeira costuma estar à altura. Afinal, essa é uma das áreas do Direito com maior remuneração.

MBA em Finanças, Investimentos e Mercado de Capitais

Por último, se você já tem uma graduação e deseja migrar para o mercado financeiro, uma opção pode ser uma pós-graduação voltada para a área. Os cursos de MBA em Finanças, Investimentos ou Mercado de Capitais são um exemplo. Eles abordam os temas fundamentais para quem quer trabalhar na bolsa de valores. 

Eles costumam ter entre 12 e 24 meses de duração e são ótimas oportunidades para se especializar, sem precisar cursar uma nova faculdade.

Conhecimentos complementares

Além de uma graduação, quem deseja trabalhar na bolsa de valores também precisa se dedicar para complementar seus estudos. 

Falar inglês, por exemplo, é essencial. Os profissionais dessa área estão constantemente tratando de negociações internacionais e a língua mais falada nesses ambientes é o inglês. Além disso, o domínio de um terceiro idioma pode ser bastante útil. 

Também vale começar a se preparar desde cedo para o exame de qualificação, exigido para quem deseja atuar como corretor financeiro. Ele é aplicado pela Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de títulos e Valores mobiliários, Câmbio e Mercadorias (Ancord). Tem questões relacionadas ao mercado de investimentos. 

Por isso, estude bastante para garantir sua certificação!

Quanto ganha um Corretor da Bolsa de Valores?

Outra dúvida comum de quem pensa em trabalhar na bolsa de valores é sobre o salário de um corretor. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), do Ministério do Trabalho, a média salarial dessa ocupação é de R$ 3.846,11. Isso no mercado de trabalho brasileiro, para uma jornada de trabalho de 42 horas semanais.

Além disso, o cadastro também mostrou que a empregabilidade na área aumentou. Em um comparativo entre março e outubro de 2019, pode-se observar um aumento de 12,36% nas contratações de corretores financeiros com carteira assinada. 

Quer trabalhar na bolsa de valores?

Então, se você tem um perfil analítico e habilidades com números, pode ser que trabalhar na bolsa de valores seja a carreira ideal!  Já se você gosta de cálculo mas ficou na dúvida sobre a parte mais teórica do mercado financeiro, pode conferir outros cursos para quem gosta de matemática neste outro artigo!

Por fim, se você gostou desse conteúdo, compartilhe ele nas redes sociais. Pode ser que outras pessoas tenham as mesmas dúvidas que você!

Confira mais conteúdos sobre cursos, capacitações, mercado de trabalho e dicas no blog Vai de Bolsa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui