Após as queimadas da Amazônia, nada deu mais o que falar ultimamente no Brasil do que o vazamento de petróleo ocorrido no Nordeste. Durante três meses, mais de 250 praias foram afetadas por um derramamento de 3,647 toneladas de óleo. Desde o início do mês de setembro, uma mancha de óleo misteriosa se alastrou pelo litoral do país. Neste post, vamos aprofundar esse assunto para você ficar por dentro de todos os detalhes.

Quem é da área de engenharia de petróleo sabem bem os danos ambientais que podem causar o vazamento de petróleo. Foram ao todo nove estados atingidos: Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí, Espírito Santo e Maranhão.

Restos espessos e viscosos desse óleo se espalharam pela costa do Brasil comprometendo o meio ambiente e o turismo.

Confira a seguir por que é tão preocupante um vazamento de petróleo dessa magnitude para o Brasil e o mundo.

O que é o petróleo

O petróleo é um combustível fóssil, ou seja, não renovável e é formado por uma cadeia complexa de elementos. Sua origem é fruto de decomposição de matéria orgânica sob condições muito específicas depressão e temperatura. Ainda é a principal fonte de energia e é um importante recurso energético muito utilizado por todos os países do mundo.

Resumidamente, a composição química do petróleo é basicamente composta por carbono e hidrogênio e sua formação se dá devido ao acúmulo de matéria orgânica. Essa matéria foi soterrada com o passar do tempo. É encontrada em locais denominados bacias sedimentares, localizadas no assoalho do oceânico.

Mas, para isso, esses locais devem sofrer a pressão e ter a temperatura ideal para que seja possível encontrar o petróleo. O resultado do trabalho com o petróleo é que se obtém o combustível e suas variantes, como óleo diesel, gasolina e o gás natural, por exemplo.

Desse modo, os meios de transportes conhecidos por todos não seriam possíveis sem essa fonte energética tão fundamental.

Poluição por petróleo

O petróleo pode ser liberado na atmosfera por diversos fatores. O principal agente causador de desastres ambientais é o próprio manejo desprovido de medidas de segurança que o homem comete. Quando lançado no meio ambiente, as consequências são gravíssimas, que acarretam em um dano ambiental indescritível.

Uma outra maneira desse óleo ser lançado no meio ambiente é através de acidentes. Como frequentemente pode ser visto em alguns outros eventos que envolvem vazamento de petróleo. Desse modo, ao ser derramado, uma série de encadeamento de eventos e prejuízos para a natureza começam a surgir.

Os fatores mais nocivos desses desastres são as próprias alterações químicas e físicas no meio ambiente. O petróleo é um composto altamente tóxico e além disso é muito espesso e viscos. Portanto, ao entrar em contato com os ambientes marinhos, ele prejudica toda uma biodiversidade, que abrange desde algas, até os animais marinhos.

Ao impedir a passagem de luz, devido a sua espessa camada, afeta diretamente aos organismos fotossintetizantes que estão submersos, ocasionando, portanto, alteração na oxigenação dos mares.

Animais são principais vítimas

Além disso, as tartarugas marinhas ou qualquer outro animal aquático, ao entrarem em contato com um vazamento de petróleo, são intoxicados. Isso ocorre devido aos nocivos componentes químicos os quais compõem o óleo.

Desse modo, os animais são envenenados e a espessa camada de óleo grudam na pele desses animais, comprometendo totalmente a mobilidade. Porém, nem só os animais aquáticos são afetados pela poluição do petróleo.

As aves também sofrem muito ao entrarem em contato com a mancha. O óleo gruda em suas penas, impedindo que elas voem e consequente mente se afoguem ou fiquem intoxicadas.

Portanto, ao ser liberado diretamente no meio ambiente, o petróleo traz consequências devastadoras para toda a biodiversidade que cruza seu caminho. Por isso uma poluição dessa fonte exige extremo cuidado e atenção por parte das autoridades e de todos.

Quais Estados foram afetados pelo vazamento de petróleo?

Até o momento, foram registrados ao todo nove Estados vítimas de poluição. De acordo com os estudos recentes realizados pelo Ibama, as manchas surgiram, inicialmente no Paraíba, nas praias de Tambaba e Gramame.

Segundo as últimas investigações, a mancha de óleo surgiu a 733 km da costa da Paraíba e foi registrada no dia 29 de julho. Até o momento os Estados afetados foram os seguintes:

  • Sergipe;
  • Alagoas;
  • Pernambuco;
  • Paraíba;
  • Rio Grande do Norte;
  • Ceará;
  • Piauí;
  • Espírito Santo;
  • Maranhão.

A origem do petróleo

Após muito desencontro de informações sobre a causa do vazamento de petróleo, chegou-se à conclusão de que todo o óleo encontrado possui a mesma origem. De acordo com a Petrobrás, essas manchas são uma espécie de óleo cru, uma substância altamente tóxica, diferente do que é produzido no Brasil.

Devido a toda dificuldade para descobrir de fato qual é a origem do vazamento, as circunstâncias exatas desse desastre ainda são desconhecidas. Três hipóteses foram apontadas para a possível causa do vazamento de petróleo: um naufrágio, despejo criminoso ou acidente na passagem de óleo de um navio para o outro.

Porém, vale lembrar que para essa última hipótese é preciso de uma autorização dos órgãos de segurança para as embarcações realizarem esse procedimento e não consta nenhum registro desse procedimento naquela região nos últimos tempos.

Início do vazamento de petróleo é na Venezuela

Até agora, com o avanço das investigações, pode-se identificar que a origem do óleo é da Venezuela. Apontaram um navio grego chamado Boubulina, pertencente a Lachmann Agência Marítima. Desde então, esse navio é tido como suposto culpado e principal suspeito pelo derramamento de óleo.

A linha de investigação é bastante complexa e chegaram a essa hipótese devido aos últimos registros da passagem do navio pela América Latina. O que se sabe sobre o histórico dessa embarcação é que ela atracou no dia 15 de Julho no Puerto José, Venezuela.

O sistema de rastreamento do navio confirma a passagem dele no ponto do vazamento. Portanto, o que se tem até agora são hipóteses, mas é extremamente difícil apontar um culpado. No entanto, resta apenas aguardar o avanço das investigações.

Como é a limpeza dos locais onde foram encontradas as manchas

Quem trabalha com gestão ambiental ou biologia marinha terá contato nessa área. A maior parte da remoção das manchas de óleo são feitas através do serviço braçal, o que torna bastante perigoso para quem participa da força tarefa.

Pois esse óleo é uma substância extremamente tóxica e a remoção é feita através de pás para as manchas que podem ser removidas dessa maneira. Ou escavadeiras para as manchas maiores e mais espessas.

Além disso, são utilizadas peneiras, faixas de contenção e navios. Esse equipamentos retiram as manchas localizadas no mar. Até o momento foram disponibilizados o efetivo total de:

  • 16 navios
  • 7 aviões
  • 6 helicópteros
  • 3.100 militares da marinha
  • 5000 militares do exército
  • 140 servidores do Ibama
  • 40 do ICMBio
  • 440 funcionário da Petrobrás

A dificuldade da remoção dessas manchas se dá justamente pela fragmentação e pelo enorme espalhamento na costa brasileira. Esse foi, de fato, um dos maiores registros de vazamento de petróleo ocorrido em território nacional desde então.

Os impactos do vazamento

Esse evento gerou um prejuízo inestimável para a vida marinha nas regiões afetadas, devido a grande toxicidade das manchas de petróleo. Desse modo, ainda não é possível calcular todo o dano e o tempo em que a natureza irá se restabelecer.

Além disso, o custo gerado para a mobilização de equipes e equipamentos necessários para a remoção das manchas são altíssimos. Sem falar no turismo dessas regiões que estará comprometido. Além dos trabalhadores que necessitam do mar para tirar o seu sustento.

Agora que você sabe mais sobre o enorme vazamento de petróleo ocorrido no Brasil. Pode entender a complexidade do caso ver que um dano ambiental é algo inestimável para toda a sociedade. Pois afeta não só a vida marinha nessas regiões, mas também toda a sociedade que está em volta.

Por isso, é necessária uma ação rápida dos órgãos competentes para minimizar o máximo possível as consequências de um dano ambiental.

Se você gostou desse assunto e deseja ler mais sobre educação, mercado de trabalho ou curiosidades, acesse o blog Vai de Bolsa.