Gêneros textuais: o que são, os tipos e a importância nas redações

Talvez você não saiba responder de bate e pronto o que são gêneros textuais, mas com certeza já deve ter tido contato com eles uma infinidade deles ao longo da vida. Quando você assiste a uma novela na televisão, por exemplo, está frente a frente com um texto que foi escrito por um autor de telenovelas e filmado por meses. O contato com os gêneros textuais são tão presentes no cotidiano que você também deve escrever vários deles ao longo do dia. Duvida?

Os gêneros textuais estão presentes também quando você ler um romance, uma crônica no jornal, a biografia do seu cantor preferido ou confere a posologia de uma bula de remédio. Pois saiba que redigir e-mails, montar um currículo para uma vaga de emprego, fazer resenhas de livros e até mesmo criar uma lista de compras também são formas diferentes de se comunicar.

Gêneros textuais, portanto, são maneiras de utilizar a linguagem nos textos ou ainda na língua falada. Eles podem ser mais formais — como uma reportagem — ou informais — como uma receita de bolo —, mas o seu principal objetivo é promover a interação entre o emissor e o receptor. Ou seja, todos os atores envolvidos na comunicação.

Quer saber mais sobre os vários gêneros textuais e quais são os utilizados na prova do Enem? Continue a leitura do artigo!

Veja também: Quando sai o resultado do Enem 2021: tudo sobre o exame

Qual a relação entre os tipos textuais e gêneros textuais?

Tipos textual e gênero textual são conceitos diferentes. Já falamos anteriormente que os gêneros textuais são flexíveis e adaptáveis e que o seu principal objetivo é promover a comunicação entre o emissor e o receptor. Certo?

Os tipos textuais, por outro lado, contam com estruturas bem definidas e fixas. Eles também são facilmente identificados por suas características predominantes como, por exemplo, tempo verbal, aspectos léxicos e sintáticos. 

Dessa forma, podemos dizer que tipos textuais são as formas que o texto se apresenta para o leitor. Conheça quais são os tipos mais utilizados e quais gêneros textuais se enquadram dentro de cada um deles.

Textos Narrativos

A narração como é mais conhecida tem como objetivo contar uma história de um ou mais personagens em um determinado espaço e tempo. Os principais elementos de uma narrativa são: 

    • Narrador: quem narra a história e pode ser classificado ainda em três tipos. Narrador observador, narrador personagem e narrador onisciente;
    • Enredo: este elemento diz respeito à trama que os personagens estão envolvidos. Pode ser linear, psicológico ou cronológico;
    • Tempo: o tempo pode ser psicológico ou cronológico. Ele nada mais é do que a marcação de tempo dentro do enredo;
    • Espaço: é o local onde os personagens desenvolvem suas ações. Pode ser um espaço físico, psicológico ou ainda um espaço social.

O texto narrativo conta com uma introdução ou apresentação, desenvolvido com foco nas atividades dos personagens. Além disso, é no clímax que o leitor é fisgado no momento mais importante da trama para, por fim, finalizar o texto na conclusão ou desfecho. 

Os gêneros textuais mais utilizados no texto narrativo são:

  • Romances;
  • Contos;
  • Novelas;
  • Crônicas;
  • Fábulas.

Textos Dissertativos

A dissertação é um tipo de texto construído com base em argumentos e opiniões. Dessa forma, o seu principal objetivo é conquistar o leitor através de argumentos lógicos, coerentes e coesos sobre algum determinado tema.

O texto dissertativo é dividido em três partes. A introdução que também é conhecida como tese e onde se encontra a ideia central sobre o tema. A segunda parte é o desenvolvimento ou antítese, na qual são apresentadas as opiniões, estatísticas e dados que corroboram com essa opinião.

E, por fim, a conclusão ou nova tese, na qual os argumentos são concluídos e ocorre o fechamento das ideias apresentadas.

Os gêneros textuais mais utilizados no texto dissertativo são:

  • Artigos de opinião;
  • Manifestos;
  • Abaixo-assinados;
  • Editorial;
  • Cartas.

Textos Descritivos

O texto descritivo, como o próprio nome já diz, descreve algo. Essa descrição pode ser de pessoas, animais, objetos, locais e o que mais a criatividade humana mandar. O objetivo deste tipo de texto é transmitir as qualidades ou impressões de algo para o leitor.

As principais características da descrição é: predomínio de substantivos, adjetivos e locuções adjetivas; orações coordenadas justapostas, verbos de ligação e uso constante de enumeração e comparações.

A estrutura do texto descritivo é composta por introdução para apresentar o que será descrito, desenvolvimento para fazer o retrato verbal e conclusão com a finalização das ideias e comparações que caracterizam a pessoa ou objeto a ser descrito.

Os gêneros textuais mais utilizados no texto descritivo são:

  • Diários;
  • Relatos de viagens;
  • Classificados de jornais;
  • Cardápios de lanchonetes e restaurantes.

Texto Expositivo

O texto expositivo tem como foco apresentar uma ideia ou hipótese. Esse tipo de texto é, portanto, mais utilizado nas escolas e universidades. Eles são basicamente divididos em texto expositivo-argumentativo e texto expositivo-informativo. No primeiro, o autor foca nos argumentos necessários para apresentar suas ideias, já no segundo o estudante e/ou professor tem como objetivo principal transmitir as informações sobre um tema para o leitor.

Os gêneros textuais mais utilizados no texto expositivo são:

  • Reportagens;
  • Resumos.
  • Artigo científico;
  • Seminário.

Texto Injuntivo

O texto injuntivo ou instrucional indica um procedimento ou método para realizar uma ação. Dessa forma, seu principal objetivo é explicar para o leitor como algo funciona sem utilizar argumentos ou defender ideias para convencê-lo.

A linguagem desse tipo de texto é simples e objetiva. A principal característica do texto instrucional é utilizar verbos no imperativo, como por exemplo: misture os ingredientes, tome duas cápsulas por dia, aperte a tecla esc, entre outros.

Os gêneros textuais mais utilizados no texto injuntivo são:

  • Receitas;
  • Bula de remédio;
  • Manuais de instruções.

Veja mais exemplos de gêneros textuais

Conheça mais alguns exemplos de gêneros textuais para você verificar como esse conceito está presente de forma forte no nosso dia a dia.

  • Anedota
  • Contrato
  • Blog
  • Charge
  • Reportagem
  • Carta
  • E-mail
  • Bilhete
  • Declaração
  • Memorando
  • Requerimento
  • Relatório
  • Ata
  • Cartaz
  • Circular
  • Procuração
  • Contrato
  • Tirinhas
  • Cartum
  • Atestado

A diferença entre gêneros textuais e gêneros literários

É importante também ficar por dentro da diferença entre gêneros textuais e gêneros literários. Em princípio, os gêneros literários apresentam um teor artístico, ou seja, priorizam a estética do texto, e não possuem uma função prática na sociedade. Ou seja, bem diferente dos gêneros textuais, que estão presentes no nosso dia a dia em várias situações.

Um exemplo de gênero literário é o conto, uma história rápida, que pode ser um romance, com um texto esteticamente construído para ser literário. Nesse sentido, podemos citar também a prosa ou a poesia para caracterizar o gênero literário.

Elementos dos gêneros textuais

Os gêneros textuais apresentam três elementos básicos formadores do discurso: tema, forma composicional e estilo. O tema nada mais é do que o assunto a ser tratado no texto, a partir de um ponto de vista de quem escreve. Já a forma composicional e o estilo estão mais ligados às opções de vocabulário, estrutura e registro no texto, a fim de intervir socialmente em determinado contexto.

Por que estudar gêneros textuais para o Enem e vestibular?

Não é novidade que a prova do Enem ou de qualquer vestibular é composta por textos em todas as disciplinas, não é mesmo? Via de regra só por esta característica já é motivo suficiente para estudar os gêneros textuais e entender suas diferenças.

No entanto, a prova de Português no Enem, por exemplo, é majoritariamente composta de gêneros textuais, entre eles podemos citar: editoriais, cartas, tirinhas, artigos e reportagens. Outro ponto que merece destaque é que é preciso entender as várias diferenças dos gêneros textuais para escrever uma redação.

Isso porque o tipo textual da prova de redação do Enem e vestibular é um texto dissertativo-argumentativo. Como falamos anteriormente, esse tipo de texto é dividido em três partes: introdução ou tese, desenvolvimento ou antítese e conclusão ou nova tese.

Nesse tipo de texto a defesa dos argumentos e explicações são fundamentais para formar a opinião ou convencer o leitor da sua ideia. Para que isso ocorra de forma coesa e coerente é necessário ler bastante para se manter informado dos temas da atualidade.

Dicas de estratégias argumentativas para redações

Se você ainda tem dúvidas como montar boas estratégias argumentativas, confira abaixo algumas dicas:

  • Cite exemplos;
  • Apresente dados estatísticos;
  • Escreva sobre fatos de fácil comprovação;
  • Faça alusões históricas;
  • Crie comparações entre fatos históricos e momentos diferentes;
  • Se você lembrar do depoimento de algum especialista que corrobore com os seus aumentos, use-os.

E não se esqueça de criar um rascunho antes de partir para a redação em si. Um bom planejamento de redação deve contar com:

  • Interrogações sobre o tema proposto;
  • Opiniões;
  • Justificativas do argumento principal;
  • Argumentos auxiliares;
  • Estratégias argumentativas, como as citadas acima;
  • Proposta de nova-tese e conclusão.

Gêneros textuais: ficou por dentro do assunto?

Boa sorte! E se você ainda tem muitas dúvidas sobre os gêneros textuais e a redação do Enem, veja como montar uma estrutura de redação nota 1000.

Se você gostou desse assunto e deseja saber mais sobre educação, mercado de trabalho ou curiosidades, não deixe de acessar o blog Vai de Bolsa.

Outros posts da categoria

Receba novidades por email:

Vai uma bolsa aí?