Como é o curso de Direito: veja as disciplinas, áreas de atuação e carreira

como é o curso de direito

Como saber se o curso de Direito é para mim? Podemos garantir que uma das opções mais visadas por quem busca dinheiro e oportunidades é o curso de Direito. Isso porque é possível conseguir altos salários tanto no setor público quanto no privado. Além disso, a profissão se reinventou nos últimos anos e ganhou novas áreas de atuação.

O Direito é também uma profissão muito instigante. Afinal, este profissional tem o dever de zelar pelos bens e direitos, preservando interesses individuais e coletivos. Se existem muitos que procuram a profissão mirando o dinheiro, também existem os apaixonados pela área.

Neste texto você vai entender um pouco melhor porque muitas pessoas escolhem essa profissão, como é o curso de Direito, como é dividido o curso de Direito, como saber se o curso de Direito é bom, o mercado de trabalho e as possibilidades de crescer na carreira.

Leia mais: Conheça as 5 melhores faculdades de Direito do Brasil

Como funciona o curso de Direito?

Esse é um curso para quem gosta de ler, não um pouco, mas muito mesmo. São grandes listas de livros e matéria após matéria. Além disso, escrever também é bastante necessário. A dificuldade e o volume de textos são o maior desafio.

O curso de graduação em Direito dura pelo menos cinco anos e concede o título de bacharel. Durante esse período você irá estudar muitos conteúdos básicos das ciências humanas, como sociologia e economia.

Desse modo, quem gosta dessas áreas também vai sair na frente. Assim, você irá encontrar muitas disciplinas com essa cara:

  • Criminologia ;
  • História do Direito Brasileiro;
  • Língua Portuguesa;
  • Psicologia aplicada ao Direito;
  • Sociologia aplicada ao Direito.

Por fim, você também vai aprender os fundamentos do Direito e suas mais diversas modalidades. Isto é: direito civil, constitucional, agrário, indígena, entre outros. Aqui vai uma lista com algumas matérias que você deve encontrar na graduação:

  • Introdução ao Estudo do Direito;
  • Direito Constitucional;
  • Direito Penal;
  • Direitos autorais;
  • Direito civil;
  • Direito trabalhista.

Com essa lista resumida, já dá para perceber como várias matérias tratam de conteúdos bem específicos. É preciso entender, então, que a rotina não vai ser uma constante no curso de Direito. Você pode se perguntar: “eu tenho interesse em Direito ambiental, por que tenho que entender de Direito Trabalhista?”. Em três palavras: prova da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil).

Além disso, é preciso entender que você vai precisar ter horizontes abertos. Isso porque nem sempre você vai encontrar a vaga dos sonhos de primeira. Trabalhar em outra área ou descobrir outros interesses na graduação também é possível.

Como é dividido o curso de Direito

Acima você teve uma visão geral de como funciona essa graduação. Mas outra dúvida comum: como é dividido o curso de Direito?

A graduação, em média, é realizada entre oito a dez semestres. Sendo que nas primeiras etapas o conteúdo é mais introdutório e, ao longo do curso, fica mais específico, ao explorar as diversas áreas do Direito. Para você ter uma ideia, o curso de Direito da Estácio, na primeira fase, você encontra disciplinas como História do Direito Brasileiro, Língua Portuguesa, Fundamentos das Ciências Sociais e Introdução ao Estudo do Direito.

O Ministério da Educação (MEC) define que o curso deve ter no mínimo 3.700 horas, com no máximo 10% de atividades complementares. Geralmente, as instituições superiores de ensino dividem o curso em três grandes áreas de conhecimento:

  • Direito Público – Estuda o conjunto de normas e leis que regem a relação entre o Estado e a sociedade. Dentro dessa grande área temos o Direito Processual, o Direito Penal, o Direito Constitucional, o Direito Tributário, entre outros.
  • Direito Privado – Aqui a preocupação é de natureza particular de cada indivíduo. Dentro do Direito Privado estão o Direito da Família, o Direito Civil, o Direito Comercial e Empresarial.
  • Formação humanística – essa área engloba conhecimentos essenciais para o bacharel em Direito, como Sociologia, Filosofia, Psicologia, Antropologia e Direitos Humanos.

Leia também: Como ser juiz de Direito? Tudo o que você precisa saber

Quanto custa o curso de Direito?

Se você tem interesse em fazer um curso de Direito, porém tem preocupação com o valor da mensalidade, saiba que no Brasil esse custo é de R$ 1000 em média. No entanto, há uma grande variação nesse valor de acordo com cada instituição. Em outras palavras, se pesquisar no site das faculdades, você encontrará cursos de Direito entre R$ 600 a quase R$ 5.000 ao mês.

Quando falamos que esse valor depende de cada instituição, leva-se em conta fatores como a reputação da faculdade no mercado, a nota do Ministério da Educação (MEC), a infraestrutura, entre outros. Se a grana está curta, lembre-se ainda que é possível conseguir uma bolsa de estudos ou um financiamento estudantil. Leia mais sobre o Prouni e o Fies.

Cursos de pós-graduação em Direito

A pós-graduação em Direito abre diversas oportunidades. Como existem muitos cursos de Direito no país, então o mestrado e doutorado abrem a opção de dar aula em algum deles. Nestes cursos, você irá produzir uma dissertação ou tese expandindo os limites do conhecimento da ciência jurídica.

No entanto, nem só de pesquisa vive a pós-graduação em direito. Você pode fazer um mestrado profissional, especialização ou cursos de aperfeiçoamento.

Leia também: Pós-graduação em Direito: qual escolher para impulsionar a sua carreira?

Especializações

Para sair na frente dos concorrentes, a dica é fazer uma especialização. Isso porque você investe em uma área especial, criando um diferencial para as empresas que trabalham com ela. No entanto, é preciso saber escolher.

Áreas mais recentes do curso de Direito, como o Direito Ambiental e o Direito da Tecnologia da Informação estão em alta. São poucos os profissionais disponíveis, o que diminui bastante a concorrência. Confira!

Direito Ambiental

Com o aumento da preocupação com o meio ambiente, essa área começou a crescer. Essa especialização fornece as bases para um conhecimento global do Direito Ambiental. Isso possibilita entender de forma mais completa a legislação relativa ao meio ambiente, abrindo caminhos para sua carreira.

Algumas disciplinas:

  • Gestão e controle ambiental;
  • Gestão de resíduos sólidos;
  • Aspectos administrativos;
  • Linhas fundamentais de divisão do direito ambiental;
  • Ações constitucionais;
  • Processo ambiental, instrumentos de judicialização.

Direito da Tecnologia da Informação

Vivemos na era digital e o direito se inclui nisso. Dessa forma, junto com as tecnologias vêm novas leis.

Nessa área vai analisar problemas jurídicos vinculados à tecnologia da informação. A especialização engloba os institutos jurídicos tradicionais, assim como os institutos jurídicos novos.

Disciplinas:

  • Evolução tecnológica e proteção dos bancos de dados;
  • Casos práticos simulados;
  • Casos práticos reais;
  • Desenvolvimento de software;
  • Licenças de software livre;
  • Direito e desenvolvimento tecnológico.

Mercado de trabalho

É muito provável que você conheça pelo menos alguém que tenha feito um curso de Direito. Isso porque o Brasil é o terceiro país do mundo em número de profissionais formados na área. Embora seja um nicho com bastante concorrência, é importante saber porque essa área é tão procurada.

Essa resposta pode estar no mercado de trabalho, que é cada vez mais promissor e costuma pagar bons salários. Ou seja: se a concorrência é alta, a recompensa também é. No entanto, é importante lembrar que você vai precisar fazer o Exame da OAB. Ele é indispensável para atuação como advogado. Ou seja, para quase todas as vagas de emprego.

Quanto ganha um profissional da área?

Depois disso, você poderá trabalhar no setor público, privado, como prestador de serviços ou como professor. Um advogado ganha em média R$ 4.668,40 para uma jornada de trabalho de 41 horas semanais. No entanto, o teto salarial pode ser de R$ 7.055, levando em conta contratações pela CLT.

No setor público, os salários enchem os olhos. Um juiz no Brasil, por exemplo, não ganha menos do que R$ 22.000, qualquer seja a instância. Porém os concursos são muito concorridos e estudar para eles é, em si, um investimento.

Se você tem preocupações com a crise, temos uma notícia boa. Crise significa reestruturações nas empresas, como vendas, fusões e mesmo falências. Tudo isso gera problemas legais e, assim, demanda por advogados. É por isso que a consultoria Robert Half indicou que o direito empresarial está em alta.

Conheça algumas profissões nessa área

Advocacia Penal: o mais conhecido, trabalha com a defesa de réus em cortes.

Tributário: tudo relacionado ao dinheiro, como impostos e taxas que uma pessoa ou empresa deve pagar.

Trabalhista: intermediação entre funcionários e chefes, além de atuação em sindicatos e previdência social.

Direito digital: analisar as questões jurídicas ligadas ao uso da informática e às relações entre usuários, agentes e fornecedores, como provedores de internet, empresas de softwares, bancos e lojas virtuais.

Delegacia de Polícia: atua como delegado e chefia investigações, elabora inquéritos policiais, além de emitir documentos públicos.

Ministério Público: cuida de causas como direitos da criança e do adolescente, da família, causas sociais, ambientais e direitos do consumidor num cenário nacional.

Áreas que estão em alta

Se você já está pensando em se diferenciar, uma boa alternativa são as áreas que só agora têm destaque. No entanto, ainda não é possível prever todas as vertentes de como é o curso de Direito dessas novas áreas. Então, pesquise bastante antes de fazer uma inscrição.

Segundo o guia Robert Half, as áreas trabalhista, contratual e cível estão em alta. Isso porque, com a crise, muitos contratos são renegociados e pessoas são demitidas. Para o futuro, o mercado de proteção de dados é uma promessa. As law techs, como aplicativos jurídicos, também prometem ganhos a quem buscar qualificação.

Perfil de um profissional do Direito

Embora o conhecimento técnico ainda seja importante, cada vez mais é preciso investir em outras habilidades. Isso também vale para o direito. Além de entender de leis, é importante saber trabalhar em equipe, ser criativo e ter boa comunicação. Isto é: você precisa investir nas chamadas soft skills.

O novo perfil do profissional do Direito é cada vez mais estratégico para as empresas. Isso porque o conhecimento jurídico facilita os processos e economiza dinheiro. O ganho de importância precisa vir com mais habilidades.

Também é necessário estar aberto às novidades, pois a tecnologia se faz cada vez mais relevante na área. Isso não é apenas um “extra”, mas tende a ser uma condição para continuar no mercado.

Leia mais: Possíveis profissões para bacharel em Direito

A hora do veredito

Com todas essas informações, dá para ter uma ideia do que é o curso de Direito. É uma carreira que pode ser bastante rentável, com muitas oportunidades.

Se você decidiu fazer Direito, é hora de tomar uma decisão: qual instituição estudar. Isso pode ser bem difícil, pois há muitos cursos de Direito no Brasil. Muitos mesmo: temos mais do que a China. Por isso, é necessário escolher bem.

Quer saber mais sobre outras carreiras, mercado de trabalho e vestibular? Então, acesse o blog  Vai de Bolsa e aproveite para verificar quais são as novidades do mercado de trabalho. Garanta uma carreira de sucesso!

Outros posts da categoria

Receba novidades por email:

Vai uma bolsa aí?