Como é o curso de Relações Internacionais: o guia completo

Se você gosta de ler, tem interesse e facilidade com línguas estrangeiras e ainda tem afinidade com questões geográficas e políticas, você precisa saber como é o curso de Relações Internacionais.

Afinal de contas, o curso de Relações Internacionais pode ser uma excelente escolha para sua graduação superior e para sua carreira.

O profissional graduado em Relações Internacionais é capacitado para administrar relações entre nações, empresas e povos. 

O trabalho do Relações Internacionais está sempre cercado de questões que envolvem:

  • Política;
  • Assuntos Sociais;
  • Questões Militares;
  • Economia;
  • Relações Comerciais;
  • Cultura;
  • Direito Internacional.

Se você tem interesse em saber mais sobre como é o curso de Relações Internacionais, o que faz esse profissional e como é o mercado de trabalho, acompanhe o nosso post!

Como é o curso de Relações Internacionais

O curso de Relações Internacionais tem duração de quatro anos e é do tipo bacharelado. A graduação, que pode ser feita nas modalidades de ensino à distância e presencial, tem como foco as áreas de Política, Direito e Economia.

Além de aulas teóricas, que abordam principalmente a História, Economia, Geografia e Sociologia, o curso também tem algumas atividades práticas. Uma das práticas mais conhecidas e que desperta bastante interesse entre os estudantes são as simulações profissionais, que envolvem:

  • Negociações comerciais;
  • Negociações políticas;
  • Negociações empresariais;
  • Negociações diplomáticas.

Neste tipo de atividade, o aluno precisa utilizar os conhecimentos aprendidos nas áreas de Filosofia, Geografia, Estatística e Psicologia.

Um detalhe fundamental do curso de Relações Internacionais é que ele exige que os alunos tenham fluência em línguas estrangeiras, principalmente o inglês.

E, para conquistar o diploma como bacharel em Relações Internacionais, no último ano de graduação o estudante deverá apresentar um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), abordando determinada linha de pesquisa.

Todas as atividades teóricas e práticas preparam o estudante de Relações Internacionais para que, ao final da graduação, esteja capacitado para analisar, interpretar e negociar diferentes extensões das relações internacionais da atualidade

Principais disciplinas do curso de Relações Internacionais

Durante o curso de Relações Internacionais, o aluno se dedica ao estudo das áreas Humanas e Exatas. E entre as principais disciplinas da graduação superior estão:

  • Introdução às Relações Internacionais;
  • Economia;
  • História Internacional;
  • Inglês Instrumental;
  • Raciocínio Lógico para Relações Internacionais;
  • Ciência de Dados;
  • Filosofia Política Internacional;
  • Normais e Instituições Internacionais;
  • Economia Política Internacional;
  • Probabilidade e Estatística;
  • Política Externa Brasileira Contemporânea;
  • Governança Transnacional;
  • Desenvolvimento Internacional;
  • Econometria e Inferência Causal;
  • Direito Internacional;
  • Segurança Internacional;
  • Teoria dos Jogos Aplicadas às Relações Internacionais;
  • Economia Brasileira;
  • Teorias Normativas;
  • Política Comparada;
  • Análise de Risco Político;
  • Operações Cambiais;
  • Ética Profissional do Internacionalista;
  • Regimes Internacionais;
  • Tópicos Avançados em Relações Internacionais, e outras.

Estágio obrigatório

Durante o curso de Relações Internacionais o estágio é obrigatório. Os alunos devem buscar pelo estágio entre o quarto e quinto semestre do curso de graduação.

Geralmente, são empresas multinacionais, consultorias, agências de câmbio, consulados e organismos internacionais que oferecem oportunidades de estágio aos estudantes de Relações Internacionais.

Entre as principais atividades desempenhadas pelos estagiários do curso estão:

  • Operações de câmbio;
  • Marketing;
  • Elaboração de relatórios,
  • Relacionamento com investidores, entre outras.

Melhores faculdades de Relações Internacionais

Em 2016, Ranking Universitário da Folha apresentou as melhores faculdades de Relações Internacionais conforme avaliação do Ministério da Educação (MEC).

As dez melhores faculdades que fazem parte do ranking são:

  1. Universidade de São Paulo (USP) – SP 
  2. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – RJ 
  3. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP) – SP 
  4. Universidade de Brasília (UNB) – DF
  5. Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) – RS 
  6. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) – MG 
  7. Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC MINAS) – MG 
  8. Universidade Federal Fluminense (UFF) – RJ 
  9. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RIO) – RJ 
  10. Universidade Federal de Sergipe – (UFS)

Relações Internacionais x Comércio Exterior

Muitas pessoas confundem as formações e atuações de profissionais graduados em Relações Internacionais e Comércio Exterior. E a diferença entre essas duas profissões é simples de entender.

Cabe ao profissional de Relações Internacionais gerenciar o relacionamento entre nações, povos e empresas com o objetivo de prover acordos econômicos, políticos, culturais e militares.

Por outro lado, o profissional graduado em Comércio Exterior tem como principal objetivo tratar do intercâmbio comercial entre países. Isso significa que esse profissional de ocupa do comércio entre empresas e organizações de diferentes nações.

A grande confusão entre as duas formações profissionais se dá, principalmente, pois são áreas de trabalho que podem atuar de forma parceira.

Por exemplo: durante uma negociação comercial um profissional de Relações Internacionais atua na estratégia e planejamento da negociação, enquanto o profissional de Comércio Exterior cuida dos trâmites da operação e do fechamento do acordo comercial.

Mercado de trabalho para Relações Internacionais

O bacharel em Relações Internacionais, entre outras funções é responsável por:

  • Investigar mercados internacionais;
  • Analisar riscos econômicos, sociais e de conflitos;
  • Pesquisar e avaliar a situação política de outras nações;
  • Averiguar a segurança e possibilidade de realizar negócios e parcerias;
  • Atuar como um elo entre cooperações internacionais.

Esse profissional pode trabalhar em:

  • Agências governamentais;
  • Ministérios;
  • Embaixadas;
  • Organizações não governamentais (ONGs);
  • Governos Estaduais;
  • Prefeituras Municipais;
  • Empresas privadas. 

No Brasil, a área que mais absorve esses profissionais são empresas privadas, preferencialmente as multinacionais.

Uma outra oportunidade de trabalho está com investidores, que buscam a assessoria desses profissionais para fechar negócios com outros países, como a importação e exportação de produtos.

A docência também é uma área promissora de atuação, principalmente porque o curso de Relações Internacionais é relativamente novo no país. E isso significa que a busca por esses professores de graduação é grande.  

Média salarial do profissional de Relações Internacionais

Um dos grandes atrativos da profissão de Relações Internacionais é, com certeza, a média salarial. 

Conforme informações divulgadas pelo Site Nacional de Empregos (SINE), em uma grande empresa o salário inicial desse profissional é de aproximadamente R$2.250, chegando até R$R$ 5.471,30 em um cargo master.

Em uma pequena empresa, o salário inicial é de R$R$ 1.326,06, chegando a R$ 3.237,45 como profissional master.

E para conquistar melhores posições e, consequentemente melhores salários, é recomendado que o profissional de Relações Internacionais busque por uma pós-graduação, MBA ou mesmo Mestrado na área.

Como se preparar para o vestibular de Relações Internacionais

O estudante que deseja seguir uma carreira em Relações Internacionais precisa desenvolver diversas habilidades, como por exemplo:

  • Conhecimento de outras línguas estrangeiras;
  • Interesse pela leitura;
  • Tolerância cultural;
  • Estar aberto a novas experiências;
  • Boa capacidade de negociação; entre outras.

Além dessas habilidades, que podem ser desenvolvidas desde já, o estudante precisa se dedicar com afinco as disciplinas de:

  • História;
  • Geografia;
  • Português;
  • Literatura;
  • Língua Inglesa;
  • Matemática;
  • Filosofia;
  • Sociologia.

Essas matérias costumam ser a base da formação do profissional de Relações Internacionais e, justamente por isso, costumam ter peso maior nas provas de vestibular.

Na edição de 2018, a nota de corte do Sistema de Seleção Unificada (SISU) teve uma média de 730.49 pontos, sendo a maior nota de corte a da USP, chegando a 809.77.

Além de se dedicar aos estudos e se preparar para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), é recomendado que o estudante também busque informações sobre bolsas de estudo para graduação.

Mantenha-se atualizado das notícias internacionais!

E para contribuir com a formação desses estudantes, outra dica importante é manter-se atualizado sobre o noticiário internacional. Isso porque o cenário internacional fará parte do cotidiano do profissional de Relações Internacionais e também vai influenciar quem deseja fazer provas e seleções nessa área.

E aí, gostou do curso de graduação em Relações Internacionais? Para quem gosta de viajar, de mediar conflitos e relacionamentos com entes de diferentes nações, esse pode ser o curso certo para você. O interessante é que tantos instituições de ensino privadas como públicas oferecem esse curso. Desse modo, são muitas possibilidades de ingresso na faculdade dentro dessa área de estudos.

Agora que você já sabe como é o curso de Relações Internacionais, aproveite os conteúdos e dicas do blog do Vai de Bolsa para se preparar e sair na frente dos concorrentes.

Bons estudos e boa sorte!

 

Outros posts da categoria

Receba novidades por email:

Vai uma bolsa aí?