Bolsas de Estudo com a Nota do Enem: Perguntas Frequentes

Acesse o Vai de Bolsa e confira mais de 800 mil bolsas de estudo disponíveis, os descontos podem chegar a 100%* em cursos de graduação e pós-graduação, seja presencialmente ou na modalidade de ensino à distância – EAD. Para calcular o seu desconto, basta informar a sua nota geral e selecionar como deseja estudar.

Faça o teste e descubra em média quanto de bolsa a sua nota vale!

Não se preocupe! O Vai de Bolsa oferece outras cinco formas de ingresso que não exigem a nota do exame.

Inscreva-se gratuitamente! Em até 48 horas após a solicitação, você receberá mais informações das instituições parceiras. 

Através do nosso simulador gratuito de nota do Enem, você consegue saber quais são as suas chances em mais de 35 faculdades particulares. Faça o teste!

Entenda como somar a nota do Enem e fazer a média

Aprender como somar a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pode fazer a diferença para os seus estudos e sua carreira. Afinal, não basta se esforçar para estudar se você não sabe como está se saindo na hora de aplicar seus conhecimentos na prova.

Além disso, é importante entender qual nota você precisa tirar para ingressar em determinados cursos, faculdades e programas do governo, como ProUni e FIES.

Bom, antes de explicar como somar a nota do Enem é importante esclarecer que o resultado da nota final do exame não está diretamente associado ao número de questões acertadas. Pra quem não está habituado com a prova, isso pode soar estranho, mas ao entender a lógica que está por trás disso você vai ver que faz muito sentido.

A nota do Enem é calculada com base em determinado peso atribuído a cada questão. É a Teoria de Resposta ao Item, carinhosamente chamada de TRI, que determina o peso de cada item. É um método estatístico capaz de diminuir as chances de que o estudante tenha uma boa nota a partir de “chutes”.

Por isso, neste artigo, vamos explicar como funciona o TRI e como somar sua nota do Enem e fazer a média depois. Vem com a gente!

Leia mais: Como calcular a nota do Enem? Entenda agora os caminhos!

Por que aprender a somar a nota do Enem?

É importante que você saiba que aprender a somar a nota do Enem pode desempenhar duas funções complementares: ajudá-lo a otimizar seus estudos; e descobrir como foi seu resultado para utilizá-lo em um dos programas do governo ou também como processo seletivo em algumas faculdades.

Dentro do primeiro ponto, o essencial é que você entenda como funciona a nota do Enem. Ao aprender como somar a nota e calcular sua média, você poderá analisar detalhadamente seu desempenho na prova e identificar pontos de melhoria.

Conhecer qual teria sido o seu resultado final em uma prova anterior pode ajudar você a identificar os pontos que precisa melhorar e como se preparar para a realização do exame. O problema é que calcular a nota do Enem não é tão simples quanto contabilizar acertos, já que as questões têm pesos diferentes. É aí que entra o TRI, do qual falaremos mais a seguir.

Mas antes disso, vamos abordar rapidamente o segundo ponto que colocamos acima: somar sua nota após a prova e calcular sua média para utilizá-la para entrar na universidade.

Atualmente, o Enem é a principal porta de entrada para o ensino superior. Isso porque muitas faculdades utilizam a nota como complemento no desempenho do candidato no vestibular ou mesmo como único critério de aprovação dos estudantes. Também é a partir da pontuação no exame que o aluno pode conseguir bolsas de estudo em programas do governo.

A nota do Enem é utilizada nos seguintes programas:

O que é a TRI?

Agora que você já entendeu por que aprender a somar a nota do Enem, vamos falar rapidamente da Teoria da Resposta ao Item, ou TRI. Basicamente, o sistema TRI atribui diferentes níveis de dificuldade para cada questão: fáceis, médias e difíceis. O detalhe é que essa classificação não vem sinalizada na prova. Ou seja, na hora de responder uma questão, você não sabe se ela é considerada fácil, média ou difícil.

Assim, se um aluno acertou a maioria das questões difíceis, espera-se que ele também saiba a resposta das fáceis. Se isso não ocorrer e ele errar, sua nota será menor do que a de outro aluno, que acertou o mesmo número de questões, porém respondeu corretamente as fáceis e errou as difíceis, apresentando um desempenho coerente.

Na prática, o que isso significa? Que não adianta “chutar” todas as respostas aleatoriamente. Afinal, o sistema TRI vai perceber essa tendência e, consequentemente, sua nota sairá comprometida. Além disso, foque nas questões mais fáceis para você, pois assim conseguirá mostrar o desempenho dentro do que você realmente domina.

Calcule sua média nas diferentes provas

Depois de entender o peso das questões do Enem, o próximo passo é calcular a sua média em cada prova objetiva. São quatro provas objetivas de múltipla escolha que totalizam 180 questões.

Na teoria, cada prova objetiva valeria de 0 a 1000 pontos, mas, por causa da TRI, a nota mínima possível é 200, mesmo errando todas as questões. Da mesma forma, chegar a nota máxima é quase impossível. A cada edição do Enem há notas mínimas e máximas que são divulgadas junto com as notas dos participantes.

Além das quatro provas objetivas, há mais uma nota que não se pode esquecer, a redação. Ao contrário das demais, ela é corrigida manualmente e é possível tanto zerar quanto tirar a nota máxima.

Como somar a nota do Enem para obter o resultado final

A nota final do Enem é a média simples das notas das 4 provas objetivas e da redação. Portanto, todos os valores são somados e divididos por 5. Algumas faculdades também podem usar a média complexa, que se dá ao estabelecer pesos diferentes para cada área de conhecimento.

Ou seja, na prática, existem duas formas de se calcular a nota do Enem: Média Aritmética Simples e Média por Pesos.

A forma mais fácil de se calcular a nota do Enem é a chamada Média Aritmética Simples. Dessa forma, o candidato soma as notas das 5 provas (Ciências da Natureza + Ciências Humanas + Linguagens, Códigos e suas Tecnologias + Matemática e suas tecnologias + Redação) e divide por 5. 

A outra forma é chamada Média por Peso. Nesse caso, é preciso descobrir qual peso a instituição de ensino dá para cada nota do Enem (peso 1, peso 2 e peso 3). Depois, você irá multiplicar cada nota pelo peso atribuído pela universidade (por exemplo, se a instituição deu peso 3 para a redação, você irá multiplicar a sua nota da redação por 3). Logo após multiplicar todas as notas por seus respectivos pesos, você soma todos os resultados e divide esse valor pela soma dos valor dos pesos.

Dessa forma, para se calcular a média final da nota do Enem é preciso multiplicar o valor de cada nota ao seu peso específico. Feito isso, soma-se as notas das 5 provas e novamente se divide por 5. 

Mas afinal, o que é importante saber na hora de somar a nota do Enem?

O mais importante é saber que a sua nota no Enem não depende diretamente do número de questões que você acertou. Isso porque a pontuação das questões é determinada pela metodologia TRI, que considera o nível de dificuldade das questões, de acordo com o desempenho coletivo, e a consistência das respostas, conforme o padrão individual.

Assim, espera-se que o resultado favoreça quem realmente demonstrou conhecimento das matérias e não os que eventualmente acertaram as questões por sorte. Além disso, as instituições de ensino têm autonomia para determinar o peso das disciplinas para o cálculo da média final. Ou seja, entendendo como somar a nota do Enem fica mais fácil se preparar melhor para as provas, o que significa que você vai se dedicar mais àquelas matérias com peso alto para o curso que você deseja. 

Saiba mais: Como usar a nota do Enem? Confira 6 opções para o seu futuro

Gostou do conteúdo? Acesse o nosso blog e veja mais dicas de como melhorar seus estudos para o Enem!

Faça seu pedido de bolsa!
Em quantas faculdades quiser, de uma só vez.

Negocie o seu desconto diretamente com as faculdades!

Confira os posts mais acessados do nosso Blog

Se você está procurando por conteúdo valioso e altamente acessado, não deixe de conferir esta seção.